Quando deixamos que o relógio governe a nossa vida

  • 0

Quando deixamos que o relógio governe a nossa vida

Quando deixamos que o relógio governe a nossa vida Observo muitas vezes a forma como nos deixamos controlar pelo Relógio. Um instrumento que deveria poder proporcionar alivio e bem-estar, uma vez que facilita a organização, um encontro, um compromisso, uma viagem, mas pelo contrário, aparece-nos como motivo de stress… O Relógio pode-nos facilitar muito a vida, orientar-nos, mas estamos a usá-lo para nos auto-destruirmos… Andamos constantemente a correr atrás das horas! Elas são tão fugazes, que quando damos conta já passaram…ora nos distraímos e já passou o tempo! O mundo passa a ser números, tudo tem um prazo, pois tudo está estipulado e organizado assim. Hora para isto, minutos para aquilo…parecemos baratas tontas a correr o dia todo… Andamos a correr atrás de quê? Não será o Relógio só uma desculpa? Sim, porque muitas vezes nem temos um horário a cumprir (por exemplo, um horário de trabalho), simplesmente definimos para nós próprios um horários, e de modo que nunca tenhamos tempo para nada! Então estipulamos 1hora para isto, 30minutos para aquilo, mais 2 horas para ali, mais 15 minutos para acolá…e basicamente não conseguimos fazer nada, pois estamos numa tarefa já a controlar as horas para executar a tarefa seguinte. Não estamos lá, a fazer o que nos propusemos, não estamos a viver, a viver o presente, estamos distraídos desse momento, estamos mortos…pois se não estamos a viver… Mas sim, isso é só uma desculpa, para não estarmos muito tempo connosco mesmos. Porque não conseguimos lidar com os nossos pensamentos: os problemas, os desejos, as dúvidas, os medos, a raiva…então passamos o dia todo a fugir de nós mesmos, com a desculpa de que não temos tempo! E depois, quando paramos, sentimos um vazio muito grande, como se faltasse alguma coisa…e então tratamos de procurar e preencher essa falta! Será falta de comer? Será falta de roupa? Será falta de um namorado? Será falta de uma amiga? Será falta de umas férias?…e por ai vão todas as coisas que usamos para fugirmos… Mas não é nada complicado, estarmos connosco. Apenas parece, pois passámos muito tempo em fuga. Então precisamos nos conhecer novamente, precisamos aprender a sentir, a viver novamente, e não tem nada de complicado nisso. Quando entendermos finalmente que os problemas não nos são dados, mas sim criados por nós. Quando entendermos que não são os outros que nos magoam, mas sim nós que entregamos o nosso poder ao outro para nos magoarmos. Quando entendermos que a vida não é um campo de batalha, cheio de feras e armadilhas, mas sim um paraíso, onde podemos relaxar e apreciar uma infinidade de coisas belas. Quando entendermos que somos responsáveis pelo nosso bem-estar, que mais ninguém o pode fazer; quando entendermos que somos seres únicos e Maravilhosos, a passar por experiências únicas e Maravilhosas; quando sentirmos que somos livres, livres de escolher, que não há nada que nos obrigue a algo, pois quem nos limita somos nós mesmos… E para isto basta apenas responder, para si mesmo(a), a uma pergunta: Quem sou eu? E aí, deixar que a vida lhe guie, para que ela o/a oriente na resposta a essa pergunta… E a cada momento, a cada experiência pela qual passar, a vida lhe mostrará QUEM VOCÊ É, e melhor que isso, você descobrirá que pode ESCOLHER SER QUEM QUISER! Obrigado! Composto e postado por: Elisabete Milheiro


Leave a Reply

Sim, é possivel criar uma vida nova!!!