O PARADIGMA – NÃO ACEITE NEM REJEITE!..

  • 2

O PARADIGMA – NÃO ACEITE NEM REJEITE!..

 

NÃO ACEITE NEM REJEITE!..

 

Este artigo sobre a Solução Perfeita e Criativa para Todos os Problemas será o que mais se choca com a mentalidade ainda existente. Baseada em conceitos do milénio passado.

Conceitos que nos dias de hoje ainda perduram e são o cancro do desenvolvimento da nova Era. São verdades do passado baseadas no Ódio, Dor e Poder desse tempo. Falarei muito de dinheiro e riqueza o maior tabu da sociedade.

Não conheço ninguém normal que não queira ter mais dinheiro. Embora seja muito difícil falar dele duma forma saudável e honesta.  No último século do milénio passado o desenvolvimento tornou-se forçado pela PROCRASTINAÇÃO existentes nos últimos 20 séculos.

O desenvolvimento duma Era foi-se adiando até ao último século. Para que a humanidade tivesse as condições criadas para os desafios da Nova Era a industria o comércio e a politica desenvolveu-se de uma forma doentia, Criando-se falsas ilusões. Uma das principais limitações é o falso conceito sobre o dinheiro.

Ninguém que seja normal e que viva numa sociedade desenvolvida, rejeita ter mais dinheiro, embora os conceito sobre o dinheiro (nove em cada dez) seja negativo.

Essa forma de pensar transporta-nos para uma cultura sustentada na pobreza, na vítima e na doença. Essa aberração alimentou as indústrias da doença e da caridade, transpondo-nos para um patamar ilusório criando-se para esse fim universidades e organizações mundiais de doença. Universidade onde se estuda a manutenção da pobreza, com a criação dos técnicos de Serviços Sociais.

Psiquiatras e psicólogos para ser mantida a escravatura da Normose dando origem a Ego esclerose. Constroem-se falsas liberdades motiva-se a indolência, obrigando a pagar impostos quem quer criar riqueza e dá-se regalias em quem pretende fazer do modo de vida o desemprego e indolência.

 No século passado os criadores do progresso e riqueza foram os mais odiados. Cultivou-se a inveja e a maledicência. Homens como, Henry Ford,  Andrew Carnegie, John Rockefeller etc. Foram odiados e na verdade nunca foram verdadeiramente ricos. Sofreram de várias formas. Podemos compara-los aos dinossauros que tiveram uma época tão curta e devastadora mas indispensáveis para a criação de condições de desenvolvimento dos mamíferos. O mundo maravilhoso que o homem moderno usufrui deve-se aos movimentos deste grandes dinossauros do milénio passado.

 Alguns dos conceitos que hoje perduram são baseados nas aparências dessa época recente. Esse gigantesco movimento industrial e económico deu origem aos quatros “Ismos” tão doloroso como necessário ao seu crescimento e desenvolvimento. Foram pouco mais de um século de grandes confrontos, geradores de ódio, inveja em suma insanidade mental.

Tudo foi indispensável e necessário devido a procrastinação a que somos dotados.Mais uma vez o previno que se pode chocar com esta abordagem mas leia artigo após artigo reflicta esteja de mente aberta e receptiva. Não acredite nem rejeite.Paremos um pouco para pensar e vejamos quais as vantagens que existem na pobreza… Pense mais um pouco… pois é.

Continue a pensar.Nunca a pobreza trouxe nada de bom. Tudo que possa ser dito em Favor da pobreza é falso!A natureza é um complexo processo de prosperidade sucesso Riqueza. O progresso é uma lei da Natureza.O sucesso é um instinto natural.

Tudo na Natureza tem o instinto natural do sucesso. Nenhum homem tem o direito, de fugir ao processo natural de crescimento, a não ser que ele não possa ajudar-se a si mesmo.Um ser que não esteja num contínuo processo de mudança, encontra-se sob influências nocivas caindo nas grandes tentações da pobreza.

O mínimo que se pode exigir é auto-respeito para negar esse ambiente. Todo homem ou mulher é responsável por colocar-se numa posição de dignidade e independência, ou corre o risco a qualquer momento de ser um fardo para seus amigos em caso de doença ou outras emergências.O facto é que não é possível viver uma vida realmente próspera e de sucesso quando existe uma negação a riqueza.

Ninguém consegue chegar ao mais alto patamar do talento ou do desenvolvimento espiritual sem ter dinheiro suficiente para, despertar espiritualmente, e desenvolver o talento, são necessárias coisas (objectos, livros, viagens, cursos, condições), e não se pode tê-las sem dinheiro para as adquirir.Ser rico é ter condições de adquirir tudo o que necessita para o seu desenvolvimento. Vivemos numa sociedade organizada no sentido, de possuirmos dinheiro e poder.

Portanto a base de toda evolução deve ser o ensino para conseguir tudo que deseja encontrando-se na Solução Perfeita e Criativa para cada Problema. O mesmo principio que ciência usou para criar e desenvolver uma máquina, como o automóvel ou um avião é o mesmo que tem de usar para criar tudo o que se deseja.O propósito de tudo que vive, é o progresso. E tudo que vive, tem o direito inalienável a toda evolução que é capaz de atingir.

Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos. Dotados de razão e de consciência, devem agir uns para com os outros em espírito de fraternidade.O primeiro direito individual à vida é o direito de ser livre, sem restrições ao acesso de todas as coisas necessárias ao seu total desenvolvimento mental, espiritual e físico; ou seja, o direito de ser rico.

Este curso, não fala de soluções no modo simbólico ou precário, fala de soluções Perfeitas e Criativas e para isso não pode abdicar do direito a SER RICO. E ser realmente rico significa não ficar satisfeito ou contentar-se com pouco. Por outras palavras: Ninguém deve ficar satisfeito com pouco se for capaz de usar e de saborear mais e melhor.

As Soluções Perfeitas e criativas para cada problema passam por uma consciência quântica em relação a criação. A ciência moderna integra-nos nessa consciência (o fazer parte da criação). Assim somos transportados para outra dimensão da realidade. O direito a Vida = Direito a Riqueza.Não há nada de errado em querer ser rico, aliás é um direito.

O desejo de riqueza é na verdade o desejo por uma vida mais produtiva, mais próspera  e mais abundante. E esse desejo é louvável. A pessoa que não deseja viver com mais abundância é anormal, assim como a pessoa que não deseja ter o dinheiro suficiente para comprar tudo o que quer também o é.Existem três motivos para os quais nós vivemos: nós vivemos para o corpo, vivemos para a mente e vivemos para a alma.

Nenhum deles é melhor ou mais sagrado do que o outro; todos são igualmente ambicionáveis, e nenhum dos três, corpo, mente ou alma,   pode viver plenamente se qualquer uma das outras partes for anulada da plena expressão da vida.Não é correcto nem nobre viver somente para a alma e negar a mente ou o corpo, e também é errado viver, para o intelecto e negar o corpo ou a alma.

Nós estamos todos familiarizados com as indesejáveis consequências de viver para o corpo e negar a mente e a alma e todos sabemos que viver realmente significa a plena expressão de tudo o que uma pessoa pode realizar através do corpo, da mente e da alma. Diga-se o que se disser, ninguém pode ser realmente feliz ou realizar-se a menos que seu corpo viva em pleno em cada uma de suas funções, e o mesmo acontece com a mente e com a alma.

Onde quer que exista uma possibilidade suprimida ou uma acção não cumprida, existe um desejo insatisfeito.O desejo é a inteligência à procura de manifestação, e acção à procura de realização. Uma pessoa não pode viver perfeitamente no corpo sem um bom alimento, roupa e abrigo aconchegantes e confortáveis, e liberdade de escolha no ritmo de realização de seus objectivos.

O descanso é também necessário a uma vida física saudável.Ninguém pode viver a plenitude mental sem os livros, a hora e tempo para os estudar, sem oportunidade para viajar e usufruir das belezas únicas de cada lugar, ou mesmo sem uma boa companhia intelectual.Para viver a plenitude mental uma pessoa tem de ter lazer intelectual e rodear-se de todos os objectos de arte e beleza que é capaz de usar e de apreciar.

Para viver plenamente na alma, uma pessoa tem de ter amor; e a pobreza nega expressão plena do amor.A maior felicidade de uma pessoa é encontrada na doação, e de servir aqueles que a envolvem e ama; o amor encontra seu expoente máximo de expressão, e espontaneidade natural do gesto de doar. 

O indivíduo que não tem nada para doar não pode assumir o  seu lugar como um esposo, um pai, um cidadão ou como ser humano.   É uma célula morta sem energia que não desempenha a missão para a qual nasceu,  “a Razão da sua existência”. Num corpo saudável, essa célula é, expulsa pelo sistema responsável pelo bem-estar de todo o organismo.É no uso das coisas materiais que se encontra a vida plena para o corpo e desenvolvimento para a mente e alma.   

É perfeitamente normal que deseje ser rico. Ter vida perfeita para o corpo, desenvolver  a mente e a alma.   Se é um homem ou uma mulher normal não o pode evitar.    É perfeitamente certo que queira dar mais atenção a novas formas de pensar sem os preconceitos que a impedem de ser um ser normal, e desejar ser rico. 

Porque é o mais nobre e o mais útil de todos os estudos, que fez até hoje.    Se negligenciar este direito, está a desprezar, o  seu dever para consigo mesmo, para com Deus e a humanidade, ninguém tem o direito de negar à humanidade ou a Deus, a razão de sua existência. E para isso é preciso ter condições.

Continua 

Postado do: Curso Solução Perfeita e Criativa para Todos os Problemas

Shiva 


2 Comments

elisabete milheiro

Julho 25, 2011at 3:21 pm

Muito Obrigado Shiva, pelo seu Artigo!
Existe realmente uma forma muito doentia de lidar com o Dinheiro, Riqueza, Pessoas Ricas. Eu mesma cresci num meio onde a educação cultivava essa forma de estar na vida – a pobreza – e tenho feito trabalho interior de forma a me livrar desses conceitos que me estavam limitando na obtenção de Riqueza na minha vida. Existe primeiro uma definição muito doentia das próprias palavras: Dinheiro, Riqueza, Ricos – as imagens que vemos quando falamos ou ouvimos sobre isto são distorcidas, e existe logo uma rejeição ao assunto. Há um despertar de raiva, inveja, revolta, associados a essas palavras. Mas aqui mostra de forma muito clara o nosso caminho, e ele passa por usarmos todo o nosso potencial!
Fico Grata por este curso, que vai de encontro aos meus objectivos: de me libertar destes conceitos limitadores. Mais uma vez Agradeço! Obrigado!
Elisabete Milheiro

Mafalda Carvalho

Julho 31, 2011at 1:51 pm

Obrigada amigo, por mais este artigo "super" poderoso que engloba todas as áreas da vida que passam necessariamente pela riqueza. É devido ao nosso conceito "doente" de riqueza que estamos a atravessar este momento de crise mundial, adiado particularmente no nosso país.
Nada pode ser dissociado do dinheiro, não tenhamos ilusões. Abençoado seja cada cêntimo que possuímos. (Acredito que dentro de pouco tempo voltaremos ao antigo escudo, vamos ver como tudo se desenrola).
Muito obrigada, está fantástico.
Mafalda

Leave a Reply

Sim, é possivel criar uma vida nova!!!