É preciso coragem para fazer o que realmente sonhamos; por escrúpulos sem sentido, deixamos de fazer o que desejamos, baseados em preconceitos, protegemos a auto imagem através de esquemas pré-concebidos; rejeitando assim, nossa essência, e adoptamos vidas de papel, com almas de plástico, prontas para serem destruídas ou substituídas, instáveis como folhas ao vento.

A criatividade não é regalia dos génios, é atributo essencial à condição humana. Quando não vivemos o que sentimos, incentivamos a maior desgraça da existência: a morte da alma, a extinção da Alegria, a razão da vida, tornamo-nos cadáveres adiados.

Sigamos a nossa voz interior, aquilo que nos murmuram sobre felicidade, amor e ideal, é na maioria das vezes falso e escraviza-nos.

Se não ocuparmos o nosso universo interior de Amor, não poderemos ter qualquer conquista externa satisfatória e duradoura.

António Shiva