A NOVA BIOLOGIA

  • 3

A NOVA BIOLOGIA

Tags : 

A NOVA BIOLOGIA

A Nova Biologia – o elo perdido entre a vida e a consciência

 

 

A crença de que somos meras e frágeis máquinas controladas por genes está sendo gradualmente substituída pela consciência de que somos os próprios geradores e administradores da nossa vida e do mundo que nos cerca.

 

As células têm vontade própria e um propósito de vida. Procuram ambientes que sejam adequados à sua sobrevivência e evitam os que possam ser tóxicos e hostis. Por aproximadamente 2,75 bilhões de anos, a Terra foi habitada por seres unicelulares, mas as vantagens evolucionárias de viver em comunidade fizeram com que as colónias se transformassem em organizações de milhões, bilhões e até triliões de células. Essa exigência evolucionária é reflexa da necessidade biológica de sobrevivência. Quanto mais consciência um organismo tem do ambiente que o cerca, melhores são as suas possibilidades de sobrevivência. Quando as células se agrupam, aumenta exponencialmente a sua consciência do meio.

 

Podemos considerar que as células são seres humanos em miniatura dotadas de uma enorme plasticidade que, lhes permite “responder” de forma eficiente ao ambiente que as rodeia.

O verdadeiro segredo da vida não está na famosa dupla espiral (DNA), mas sim na compreensão dos mecanismos simples e elegantes da membrana mágica (membrana celular) que fazem com que o corpo transforme os sinais do ambiente em comportamento. A membrana celular é o “cérebro” da célula, composta por receptores que reagem a estímulos físicos e a campos energéticos que determinam a “resposta” da célula em codificar e produzir proteínas necessárias ao crescimento e à protecção celular. O movimento gerado pelos conjuntos de proteínas impulsiona as funções fisiológicas que mantêm a vida. Daqui depreendemos a importância do ambiente que rodeia a célula, uma vez que ela irá utilizar a sua “inteligência” e decidir se necessita mais de crescer ou de se proteger. Se o ambiente é hostil, impregnado de hormonas de stress, ela irá necessariamente “apostar” na protecção e não no crescimento resultando numa estagnação do tecido e consequentemente do órgão onde ela está inserida, levando a uma decadência dessa parte do corpo e a uma inevitável doença.

 

Aproximadamente 96% das pessoas nascem com uma carga genética capaz de lhes proporcionar uma vida muito feliz e saudável. Somente 2 a 4% das doenças são estritamente genéticas (relacionadas a um único gene), as demais são resultado de complexas interacções entre genes múltiplos e factores ambientais.

 

No século 17, René Descartes negou o conceito de que a mente tem influência sobre o corpo – a medicina tradicional, baseada num universo de matéria puramente física e em conceitos Newtonianos, concordava com a teoria de Descartes sobre a divisão mente/corpo. A realidade de um universo quântico retoma conceitos que Descartes refutou – sim, a mente (energia) emana do corpo físico exactamente como ele pensava. A nova compreensão da mecânica do universo, porém, mostra como o corpo físico pode ser afectado pela mente não material. Pensamentos, que são a energia da mente, influenciam directamente a maneira como o cérebro físico controla a fisiologia do corpo.

A “energia” dos pensamentos pode activar ou inibir as proteínas de funcionamento das células, uma vez que o cérebro emitirá sinais de stress ou de harmonia que irão ser traduzidos pela membrana celular e consequentemente interpretados em forma de crescimento ou de protecção e assim transformados em evolução ou degradação.

 

Quando se trata de habilidade de processamento neurológico, a mente subconsciente é milhões de vezes mais forte que a mente consciente. Se os desejos da mente consciente entrarem em conflito com os programas subconscientes, é com toda a certeza a mente subconsciente que vence, mas à medida que nosso cérebro vai aprendendo e incorporando informações no nosso “banco de dados”, vamos desenvolvendo nossas crenças e são as crenças que controlam a nossa biologia.  É nossa a decisão de escolher usar ou não uma “lente” que vê o mundo colorido, belo e harmónico e é esta visão que vai atrair a nossa “realidade”.  

Bióloga

 

Escrito e composto pela Bióloga:

 

Mafalda Carvalho 

 (mafaldacarv@gmail.com), 


3 Comments

Elisabete

Abril 14, 2011at 4:07 pm

Obrigado Mafalda, por este artigo Belissimo!
È espectacular a forma como as nossas células funcionam! Parece que precisamos mesmo, e com "urgência", rever as nossas crenças, não é? Podemos sim optar por pôr uma "lente" mais colorida. Com certeza que o nosso corpo agradece, e isso vai reflectir-se em todas as áreas da nossa vida: Emocional, Mental, Fisica e Espiritual.
Parabénspelo teu artigo!

Mafalda Carvalho

Abril 22, 2011at 2:33 pm

Amiga, só vi agora o teu comentário, como sabes não estivesse cá. Muito obrigada por teres gostado, a mim deu-me um enorme prazer escrever o artigo após a leitura. O livro é brutal!!!
Um beijinho, Mafalda

Elisabete

Abril 24, 2011at 4:43 pm

Olá Amiga, pois, imagino, é mesmo a tua area, deves ter vibrado! Eu dei uma vista de olhos e achei mesmo muito interessante!
Obrigado! Continua com os artigos, estão muito acessiveis e esclarecedores!
Obrigado!

Leave a Reply

Sim, é possivel criar uma vida nova!!!