ACEITAÇÃO OU TOLERÂNCIA?

  • 0

ACEITAÇÃO OU TOLERÂNCIA?

 

Aceitação ou Tolerância?

 

Situações que me agitavam imenso, levando-me ao descontrolo, da raiva. Por fora tentava manter a postura, mas por dentro todos os meus órgãos se retorciam de Raiva…

Não entendia como podia sentir tanta raiva, se aplicava as ferramentas!

Descobri que não as estava a aplicar. Descobri que em vez de Aceitação andava a praticar a Tolerância. A tolerância é uma forma muito subtil de arrogância, do género: Hum, pois, fala para ai que eu não te ligo! Ou: Meus Deus, como estão doentes!

A postura é a de que eu sou mais do que o outro. O outro está a anos-luz de mim! Como se eu fosse a Santa, e o outro o Vilão! O outro está doente, coitado, vamos ter compaixão dele! Não há nada de errado com a compaixão, muito pelo contrário, mas com a parte do coitado…

E era tão subtil que nem eu me tinha consciencializado de que o fazia!

Achava que estava a Aceitar a situação, a pessoa, a mim mesma, mas no fundo estava a ser apenas tolerante, e o resultado era uma acumulação constante de raiva.

A vida dava-me constantemente essas oportunidades para que eu tomasse consciência da forma como estava a lidar com elas, e a maior parte das vezes, ou entrava em fuga, ou então aplicava a tal tolerância.

Num curso que tenho feito, numa das instituições ligadas a este Blog, falou-se sobre a diferença entre Aceitação e Tolerância, e isso foi uma bênção para mim!

Finalmente tinha percebido porque é que criava tanta raiva dentro de mim! Já o tinha aplicado outras vezes, mas sem o saber. Não entendia porque é que umas vezes me sentia tão bem, e outras vezes me sentia tão mal! Pois não sabia distinguir entre uma e outra!

Não vou dizer que sou perfeita, e que o consigo aplicar a toda a hora, mas a primeira vez que o consegui, conscientemente, ciente de que o estava a fazer, foi uma sensação que não dá para descrever.

Estava a ser “alvejada”,” golpeada”; uma pessoa muito próxima de mim, cheia de raiva e revolta, numa procura inconsciente de se libertar de todo aquele peso, da forma que conhece. Nas outras vezes eu recebia esse peso para cima de mim, essa raiva, criando ainda mais. E naquele momento eu observava atentamente todo esse processo, como que se me tivesse desligado do significado das palavras, para apenas observar de onde elas vinham, porquê que elas vinham. Dei por mim a ver-me nela, a constatar como eu fico quando deixo que a minha mente tome conta de mim; sentia-me tão bem, tão calma; procurava aprender com tudo aquilo, questionava-me: o que posso aprender contigo?

Algo que também fez muito por mim, foi visualizar essa pessoa tendo tudo aquilo que ela merece; imagina-la a utilizar o seu potencial, visualizá-la rodeada das pessoas que ela gosta; visualizar a Riqueza, o Dinheiro a fluir na sua vida. No princípio ainda me custava, não me apetecia nada imaginá-la assim, pois o que sentia era raiva, mas depois de algumas tentativas comecei a sentir-me melhor, e a sentir que isso mudava também a forma como eu lidava com ela e ela comigo. Mas é um trabalho diário! Cada dia é um novo começo, em que preciso decidir aplicar essas ferramentas o mais e melhor que conseguir!

Elas têm feito muito por mim, e preciso me relembrar delas a cada dia: Só por Hoje!

Se tomar um dia como o único que tenho, sendo que tudo o resto não existe: o passado já passou, o Futuro não sei; posso nem estar viva amanhã! Então porque pensar no que pode vir, no que vou fazer, no que pode acontecer? E o passado? Já não o posso mudar! O único momento que posso mudar é Agora! Agora eu posso escolher, tomar uma decisão consciente de estar atenta! E quantas vezes vou me dar conta que já me perdi nos meus pensamentos do passado ou do futuro, e voltar para o meu sítio? As vezes que forem necessárias! Se for Só por Hoje, é mais fácil! Pois não há nada que eu não consiga fazer ou aguentar, Só por hoje!

 

Obrigado!

Nota: o que é aqui escrito é a minha experiência. O que se pretende aqui é dar a conhecer experiências do dia-a-dia, que poderão ser úteis a quem se identificar com elas. Isto não invalida o facto de que a verdade está em constante alteração, assim como também a nossa consciência, que com as nossas experiências vai evoluindo.

Não se esqueçam: A única coisa que temos como garantia, nesta vida, é a Mudança!

Composto e Postado por:

Elisabete Milheiro

Metamorfose Real

UMA CRISE É UMA BÊNÇÃO 


Leave a Reply

Sim, é possivel criar uma vida nova!!!