Quantas vezes as coisas não começam a correr bem nas nossas vidas e nós queremos travar essa evolução?

De alguma forma há algo em nós que não quer essa evolução – o nosso ego.

Então tudo á nossa volta está perfeito, sempre foi, mas agora as coisas começam a mexer – o dinheiro começa a fluir na nossa vida, os nossos desejos começam a se concretizar, tudo começa a encaminhar-se, e o que nós fazemos?

Arranjamos forma de boicotar tudo.

Existem imensas, aliás, inúmeras formas de nos boicotarmos. Gostaria de partilhar uma delas: os nossos pensamentos.

Começamos a direcionar os nossos pensamentos em direção contrária; queremos ir contra o fluxo.

Primeiro começámos por trabalhar afincadamente em nós mesmos, nos concentrando no que queríamos criar na nossa vida. Traçámos objetivos, metas e tirámos do nosso caminho tudo o que pudesse levar para outra direção. O nosso foco foi tão grande que os resultados começaram a aparecer.

E o que nós fazemos quando eles começam a aparecer?

Travamos a fundo…

Dá para perceber? não… realmente não faz sentido, parece de loucos até…

Começamos a procurar os pensamentos destrutivos. Eles já não estão lá, porque já tínhamos criado um fio de ligação com os pensamentos criadores (por isto vieram os resultados), mas num ato desesperado de travar a evolução vamos buscá-los de novo, e tudo num processo que nem damos conta…

Apenas nos apercebemos quando já revertemos tudo. E é quando nos apercebemos, porque muitas vezes não tomamos consciência disso sequer.

Depois já entrámos novamente nesse ciclo de auto-destruição, e começamos nos culpando de a nossa vida ter parado de novo.

E quando não queremos admitir o que fizemos e tão cegos das nossas ações ainda perguntámos porque tudo parou quando nós continuamos o trabalho tão arduamente?!!!

 

Mas tenho visto que isto acontece com muita gente, e na maioria é um processo inconsciente – a pessoa não dá conta que está revertendo tudo.

Eu tenho observado isso no meu caminho – construo e destruo. Aparentemente até parece que estou sempre subindo, mas o que acontece é que subi esses dois degraus, e depois volto a descer, para voltar a subir, e assim por diante, num ciclo vicioso. È como se houvesse ali uma barreira, que não pudesse trespassar.

Essa barreira sou eu mesma, as minhas crenças, os meus boicotes.

È preciso aprender com os nossos processos, com o nosso caminho.

Tudo pode ser mudado, mas apenas se olharmos para nós mesmos, com olhos de quem quer ver.

Se estivermos atentos e humildes admitiremos os nossos processos, e só admitindo e aceitando podemos mudar.

A mudança começa quando tomamos consciência de nós.

Senão continuaremos sempre nos enganando a nós mesmos, de todas as formas, boicotando a nossa evolução, impedindo a Riqueza de se manifestar na nossa vida.

Obrigado pela oportunidade.

 

Elisabete Milheiro