Category Archives: A Adição

  • 0

O inferno dos calmantes!

Tags : 

 

Benzodiazepina

O Inferno dos “CALMANTES”

“Foi nos finais dos anos 50 que foi sintetizada pela primeira vez a Benzodiazepina entrando no circuito comercial em 1960 com o nome Librium em capsulas de 5mg, 10mg e 25mg de Clordiazepóxido HCI.”

Desde essa altura, já foram desenvolvidos mais de 2000 compostos dessa família que detém o poder e controlo da Humanidade.

 Chegou ao mercado mundial; na altura em que os ventos da mudança começavam a soprar. O Concilio Ecuménico II, abria as portas da globalização, e a um mundo livre liberto de dogmas, em que todos se sentissem irmãos.

 Os movimentos Hippies, trocaram os habituais gritos juvenis, por um ganza e um levantar do dedo do Peace And  Love. Esta nova forma de chamar a atenção, junto com a revolução da Igreja e do Cristianismo, iniciam uma luta interior, Entre os princípios e valores que nos tinham sido incutidos e o que realmente se queria.  

A LIBERDADE e IGUALDADE, estavam a caminho.

As condições tinham sido criadas; para que homem fosse verdadeiramente livre.

 Surge a oportunidade de se drogar em massa

Assim nos meados da década de 60 já os “calmantes” eram as drogas mais receitadas no mundo moderno. Assim poder-se-ia manter uma população totalmente controlada. Hoje os nomes comerciais desta Substância infernal, são as centenas, assim o MUNDO está nas mãos da indústria da doença, que como um POLVO GIGANTE com seus tentáculos, envolve o planeta.

Embora os Vulgares “Calmantes” Benzodiazepinas, sejam rotulados de ansiolíticos, a Verdade é que a ansiedade que gera é bem mais grave, do que aquela para a qual foi receitada.

Como viver num mundo de toxicodependentes?

Hoje por mais duro que seja admitir, o “Mundo Moderno” é governado e habitado na sua esmagadora maioria por usuários de drogas duras, totalmente dependentes de um sistema assente em leis caducas, incapazes de enxergar o mundo que entretanto emergiu.

O PODER DA ESCOLHA

Sim podes escolher… ou continuar a viver no mundo dos zumbis, ou a LIBERDADE.

Se Desejas SER Livre, não hesites pede ajuda, aproveita a oportunidade, junta-te aos que já estão limpos, Se os outros conseguem; tu também consegues.

Apesar de a droga te tirar o Poder; no mais profundo de ti existe um poder infinito que tudo consegue, Capaz de criar autênticos milagres.

António Shiva

 


  • 0

Alcoolismo, Doença ou Vicio?

Tags : 

Alcoolismo, Doença ou Vicio?

O alcoolismo é uma doença progressiva e quase sempre fatal.O alcoolismo é uma doença de sentimentos e emoções. O doente não consegue lidar com os seus sentimentos e emoções e por essa razão usa o álcool. Ou outra coisa que o substitua.É uma doença que atinge todos os níveis da sociedade, independentemente do Credo, da raça, ou sexo, desde o clérigo ao médico, desde a classe social mais baixa, a alta sociedade. A estimativa é 10% de alcoólicos em Portugal.O alcoolismo é uma doença crónica que não tem cura mas tem recuperação. E uma doença que embora não seja contagiosa, envolve e afecta todos os que rodeiam o doente, conjugue, filhos, Pais, amigos, colegas de trabalho etc.Porque se encobre tanto o doente alcoólico? Porque é que se estigmatiza tanto uma doença, que a OMS recolhesse como crónica e os doentes que dela padecem estão isentos de taxas moderadoras? Porque é que um médico, um ministro, um alto funcionário, ou mesmo um funcionário auxiliar, quando se encontra de baixa médica de longa duração devido ao álcool, se esconde os verdadeiros motivos?

Pura ignorância. O alcoólico não tem culpa da sua doença, embora seja responsável por ela. Ele é tão culpado quanto o cardíaco, o diabético ou oncológico.
Também se tenta passar a ideia que o dependente do álcool é um ser humano fraco, sem força de vontade. Isso não corresponde minimamente à verdade, o alcoólico reage de forma destrutiva ao vazio espiritual que existe no meio em que se encontra inserido. Por outras palavras ele procura em lugar errado um verdadeiro sentido para a vida.

Porque é que a taxa de sucesso na recuperação de alcoólicos é tão baixa?

 

Preconceito e ignorância, são a base de todo o fracasso.

O doente alcoólico tem a tendência de não assumir a responsabilidade pela sua própria doença, considerando-a um problema da exclusiva responsabilidade do terapeuta, convertendo-se em espectador passivo da luta que o especialista trava por ele.

 

Para que seja possível uma reocupação, o alcoólico tem que assumir a responsabilidade pela sua própria doença, e converter-se a um programa de mudança. Não é possível a recuperação sem a aceitação da doença e uma predisposição para uma NOVA VIDA.Os programas que têm estado disponíveis para o problema, pelos SNS alem de insuficientes, (pouco ultrapassa a meia centena de camas) limita-se a desintoxicar o álcool e pouco mais, utilizando uma técnica de confronto, que em alguns tipos de personalidade até resulta, noutros nem por isso, e em muitos casos a confrontação pode até promover a resistência do alcoólico, isolando-se, comprometendo o sucesso e uma vida, que já se encontra fragilizada e desgovernada.A Metamorfose Real não vê o alcoolismo como uma tragédia mas como uma oportunidade de viver uma segunda vida dentro da mesma vida. Cada utente tem o seu projecto de recuperação, sendo tratado como Ser único que É.A nossa experiência, a Psicologia Quântica e os conceitos da Medicina Quântica, são três pontos de apoio, que nos garante uma recuperação rápida e eficaz, principalmente aqueles que já foram considerados casos perdidos.A psicologia quântica tem a função de reciclar e transformar em amor a rejeição, a culpa, o medo, o ressentimento, o abandono, a humilhação, a traição ou injustiça.

A Medicina Quântica tem como objectivo diagnosticar, corrigir e equilibrar, o físico o emocional o mental e o espiritual.

A nossa experiência indica-nos a forma como, e quando actuarmos em cada situação ou caso.

Um programa de recuperação é o escultor que retira dum bloco de mármore todo o que impede a visão da magnifica escultura, que dentro dele existe. Estar em recuperação é retomar o contacto com a essência da vida, que nunca deixou de existir, mas que se encontrava submersa, e que há muito se lhe tinha perdido o contacto.

António Fernandes

antonio@solucaoperfeita.com

http://solucoesperfeitasecriativas.ning.com/

 


  • 0

Quando o comer é uma Doença

Tags : 

Adiçãoá comida

Tudo acontece quando chegamos a um ponto de saturação da saturação. É um estar farta de estar farta, cansada de estar cansada, e ai tomamos uma decisão: Se eu não consigo sozinha, então vou Aceitar ajuda.

È realmente um tormento, tentar controlar tudo e todos para que as coisas se adaptem ao que “precisamos”… mas enquanto não nos consciencializamos de que somos realmente impotentes perante a nossa droga, seja ela qual for, a saga não acaba…quanto mais se luta contra ela mais força ela ganha.

Lembro-me que antes de admitir que tinha esse problema não conseguira aguentar estar numa festa de Aniversário – para tudo o que olhava queria provar, e o tentar controlar-me levava-me a uma ansiedade tão grande que parecia que a minha cabeça queria explodir! Afinal não aguentei, provei de tudo; o jogo que eu fiz para que ninguém se apercebesse de tudo o que eu já tinha comido, e continuava a comer…a cada comida que decidia provar achava que era essa que me ia satisfazer…mas não, e muito menos acabava com a ansiedade que sentia…

A culpa, o medo…a ansiedade, o descontrolo total – a impotência perante a minha droga: A COMIDA!

Tudo se desenrola na nossa mente…uma mente obsessiva – gulosa, sedenta, desesperada, esfomeada.

Passei por várias recaídas, vários processos de recuperação, até me aperceber de que a única coisa que eu precisava de estar atenta era á minha mente. Pois pensava que tudo poderia ser desencadeado pela comida – teria talvez uma intolerância ou alergia á própria comida, que me despertasse uma compulsão – e ouvi tantas vezes sobre este assunto e não conseguia entender o processo que decorria na minha mente…

 

No Principio foi-me sugerido que deixasse de comer doces; foi-me explicado que eles despertavam ainda mais a minha mente obsessiva. Eu não tinha consciência disto:

Lugares, cheiros, sabores, situações, despertam memórias. Despertam formas de lidar, rituais, hábitos. Tudo não passa de uma gravação, uma resposta automática, mas que pode ser mudada!

Estive bastante tempo sem comer doces, mas volta e meia entrava em obsessão, pois fui tão radical que cheguei a ler os rótulos dos produtos para ver se continham açúcar…mal eu me tinha apercebido de que isso já era a minha mente obsessiva a funcionar…mas não me conseguia libertar – o medo, a culpa, tomavam conta de mim. Uma sensação de prisão – uma prisão dentro de mim mesma…

Um dia pensei: Meu Deus, que se lixe! Mais vale estar recaída do que todo este sofrimento: como não como, será que como, será que posso, será que não posso? Estou farta disto!

Comecei por experimentar sumos light…depois sumos normais, pouco tempo depois comia o meu primeiro gelado. Que sabor…não podia acreditar, tinha passado tanto tempo…fiquei atenta á minha mente, não queria perder esta oportunidade de ser livre, livre na minha mente. Cerca de uma semana depois comecei a entrar em processos de obsessão e a sentir picadas na cabeça, surgiu-me um herpes nas costas da mão esquerda. Tive medo que fossem efeitos do açúcar, e já estava a começar a alimentar esse medo: se calhar estou mesmo mal…e o meu corpo quer-me avisar disso…

Pois, estava mal sim, mas era o que estava a escolher alimentar que estava mal: estive tanto tempo rígida em relação ao açúcar que sem me aperceber vinha alimentando pensamentos de medo e de culpa. Então o meu corpo estava-me a avisar sim, desses pensamentos que eu não deveria alimentar.

Neste momento surgiam novas oportunidades na minha vida, e como já tinha esgotado todas as outras desculpas para adiar a minha vida, esta seria uma boa desculpa – estar recaída novamente.

Acabei por me aperceber disso mesmo – estar mal seria apenas agarrar esta desculpa para justificar o adiar da minha vida. Afinal sempre tive processos de obsessão, fosse pelo que fosse, tudo poderia ser um alvo, não teria de ser a comida. Claro que se eu estiver mal tudo serve! Mas qual é o motivo de estar mal? O que faz com que eu decida agarrar algo para me sentir mal? O medo? O medo de quê? De não conseguir, de falhar, de não ser capaz? O não me achar merecedora do BEM na minha vida, de tudo o que este universo maravilhoso me oferece?

Tudo não passa de uma resistência ao fluxo normal da vida!

Mas porquê esta decisão? No que consiste? Ainda não sei…Só sei que é uma desculpa para não evoluir! Neste momento, Só preciso de saber que decisão eu quero tomar AGORA!

Afinal a única coisa que preciso fazer é estar bem, sendo responsável por mim: aplicar as ferramentas que aprendi.

De forma nenhuma me posso culpar de tudo pelo que tenho passado – graças a Deus que tudo foi assim, pois a consciência que tenho da adicção e da forma como ela funciona e se manifesta é cada vez maior. A consciência de mim e das formas de lidar com os meus sentimentos, emoções, é cada vez maior. E das grandes crises surgiram as grandes bênçãos – a consciência, a clareza.

Sei que tenho tendência para procurar fora de mim o que, afinal, nunca precisei ou precisarei alguma vez! TUDO está dentro de mim! Absolutamente TUDO!

A vida tem sido extremamente generosa para mim, guiando-me para situações em que posso crescer e ser uma pessoa cada vez melhor! Nada é o que parece! Cada vez tenho mais certeza disso! Pois como posso usar a minha mente para analisar algo? Como? Se a minha mente é um simples arquivo de sensações, emoções, análises, do passado? Nada é mesmo o que parece, porque o que nos parece é o que a nossa mente analisa, tentando utilizar essa informação guardada. Assim, quando eu olho para uma imagem, todo o processo de filtragem, descodificação, análise, se inicia. Mas com certeza a sua resposta será no mínimo desconexa – o que eu estou a ver é completamente novo; de nada me servem esses conceitos atrasados.

Graças a Deus que EU existo, e que tenho oportunidade de passar por TODAS estas experiências, as quais podem ser úteis a outros, que como eu, chegaram ao desgoverno das suas Vidas!

A sua Recuperação é a minha Recuperação e vice-versa – quanto melhor estiverem todos, melhor eu estarei também!

 

OBRIGADO Metamorfose Real, OBRIGADO Grupos de Auto-ajuda, OBRIGADO Grupos Terapêuticos, OBRIGADO Salas de Conferência: Grupo das Mulheres, Sala da Mente Milionária… e muitos outros mestres que passam na minha vida: OBRIGADO!

 

Obrigado

Nota: o que é aqui escrito é a minha experiência. O que se pretende aqui é dar a conhecer experiências do dia-a-dia, que poderão ser úteis a quem se identificar com elas. Isto não invalida o facto de que a verdade está em constante alteração, assim como também a nossa consciência, que com as nossas experiências vai evoluindo.

Não se esqueçam: A única coisa que temos, como garantia, nesta vida, é a Mudança!

Postado por:

Elisabete Lakshmi

 


compre-aqui o Manual
Dezembro 2016
S T Q Q S S D
« Abr    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Sim, é possivel criar uma vida nova!!!