Select Page

uso

Não existe riqueza numa mente com imagens de pobreza, sejam elas reais ou imaginárias.

Não falemos dos problemas financeiros do passado, não pensemos neles. É proibido pensar ou falar de problemas financeiros, mesmo que os nossos pais tivessem passado pela pobreza ou outras dificuldades na vida. Ao fazermos uma destas coisas classificamo-nos mentalmente como pobres agora e isto bloqueia o fluxo natural para a riqueza. Tudo o que se identifique com pobreza tem que ser afastado de nós. 

Aceitei como correta uma determinada teoria do universo, na qual deposito toda a minha confiança, fé e esperança. O que posso ganhar dando ouvidos a teorias opostas? 

Ponhamos de parte tudo o que possa ser negativo em relação ao mundo e ao universo. Livros, revistas, artigos sensacionalistas que queiram provar que caminhamos para o apocalipse, que o mundo esta no caminho do mal.

O mundo não está a caminhar para o mal, o mundo caminha para Deus. Torna-se a cada dia que passa mais Maravilhoso!

É verdade que existe uma mudança radical na postura da Humanidade. O homem tem-se deslocado na horizontal, detendo uma visão muito limitada do mundo que o rodeia, acreditando que a realidade era a ilusão que os seus 5 sentidos poderiam observar. Hoje tem consciência da ilusão e chegou a hora de seguir na Vertical.

A resistência a essa mudança radical faz-nos focar fora de nós e procuramos quem socorrer para justificarmos o nosso adiar. É verdade, que existem circunstâncias que são desagradáveis, mas para quê observá-las, se estão passando e o estudo delas tende somente a retardar a nossa mudança?

Porquê darmos tempo e atenção às coisas que nos retardam o crescimento, quando podemos apressar com a nossa evolução a sua extinção?

Quantos mais pobres se tornarem ricos menos pobreza há!..

Não importa o quanto horríveis possam parecer as condições de determinados países, regiões, ou lugares. Desperdiçamos o nosso tempo e destruímos as nossas próprias possibilidades focando-nos nelas.

Foquemo-nos no mundo que queremos viver.

Pensemos na riqueza que o mundo está a ganhar, em vez da pobreza que está a crescer e tenhamos consciência de que a única coisa que podermos fazer, para um mundo mais humano, mais igual e mais justo, é enriquecendo nós mesmos, pelo método criativo e não pelo competitivo.

Só tenho poder para mudar o mundo se for rico.

É necessário dar toda a atenção à riqueza.

Não penso na pobreza.

Pensemos e falemos dos pobres como que estejam enriquecendo. Elogiemo-los em vez de os lastimarmos, assim terão a inspiração e procurarão um caminho de saída.

Usarmos totalmente a mente focada na riqueza não significa que sejamos sórdidos ou mesquinhos.

Não existe objetivo mais nobre na vida do que querer ser Rico, porque inclui tudo o resto.

No plano competitivo, o esforço para enriquecer é uma luta pagã para obter poder sobre os outros, mas quando aderimos à mente criativa, tudo muda. Qualquer mudança grandiosa e revolucionária para melhorar o mundo passa pela riqueza.

Não é possível imaginar nada assim tão grandioso e nobre se não formos ricos. Em que posso melhorar se ajudar a procurar alimentos na lixeira de Maputo para cainças subnutridas? Sou mais um a engordar a miséria.

Só me posso considerar humano e divino se desenvolver todas as minhas capacidades para enriquecer. Assim sou digno de ser chamado filho de Deus, como o nazareno há 2000 anos falou na parábola dos talentos.

A lei da riqueza é a mesma que a lei da pobreza – é uma lei Divina imutável. Ela se auto cumpre tanto para quem a conhece, como para quem não a conhece. “ O mundo que se cria na mente é o mundo que se manifesta materialmente”.

Deus guardou a riqueza dentro de cada um de nós.

Não existem pobres e ricos, mas ricos sem saber que o são e ricos que usufruem da riqueza. Não têm qualquer cabimento as imagens de pobreza, pois são fruto da ignorância.

Respeitemos o direito à escolha de cada um.  

Existem pobres que sabem que há um caminho, mas têm tanta indolência intelectual que não fazem o esforço necessário para encontrá-lo e seguir por ele. Para estes, a melhor coisa que se pode fazer é despertar seu desejo mostrando a felicidade que a riqueza nos proporciona.

Existem outros pobres que quando tiveram alguma noção da ciência, procuraram um caminho mais curto e cómodo, e perderam-se na confusão das teorias, não sabendo que caminho seguir. Tentaram uma mistura de muitos sistemas e falharam em todos. Para estes, outra vez, o melhor a fazer é mostrarmos o caminho certo através de nossas próprias ações. Um exemplo prático vale mais do que mil teorias.

A melhor coisa que podemos fazer pelo mundo é dar o melhor de nós próprios.

O melhor serviço que se pode prestar a Deus e à humanidade é ser-se rico, mas devemos enriquecer pela criação e não pela competição.   

Mais uma coisa: o autor afirma que este livro dá em detalhes os princípios da ciência para ficar rico e se isto é verdade não precisamos ler nenhum outro livro sobre o assunto. Isto pode soar a egoísta e limitação, mas vejamos: o único método científico de cálculo que existe é a matemática através da adição, subtração, multiplicação e divisão; mais nenhum outro método é possível.

Uma reta é a distância mais curta entre dois pontos.

Só existe uma forma de pensar cientificamente, e é aquela que nos mostra o caminho mais curto e simples até ao objetivo. Ninguém formulou ainda um “sistema” mais curto e simples do que o explicado aqui.

Retirou-se tudo o que é palha.

Quando decidirmos usá-lo, deixamos todos os outros métodos e teorias.

Coloquem todos os outros de lado. Ponham-nos fora da mente completamente.

Devemos ler este livro sempre.

Mantê-lo sempre perto. Guardá-lo na memória, não pensar sobre outros “sistemas” e teorias ou surgirão dúvidas e incertezas que confundirão o pensamento e o mais certo é falhar.

Depois de seguirmos todas as sugestões e sermos ricos, podemos experimentar outros sistemas, se quisermos.

Nada de telejornais, noticiários e jornais. Não se distraiam com teosofia, espiritismos e estudos correspondentes. Talvez os mortos ainda por ai andem, se assim for deixem-nos descansar em paz; ocupemo-nos do nosso negócio.

Onde quer que os espíritos dos mortos estejam, têm o seu próprio trabalho a fazer e não temos o direito de mexer com eles. Não os podemos ajudar e duvido muito que nos possam ajudar. Deixemos os mortos e não nascidos em paz. Fiquemos ricos! Se nos misturarmos com ocultismo desenvolveremos correntes contrárias na mente, que decerto afundarão as nossas esperanças.

Agora, este e os capítulos anteriores trouxeram-nos à seguinte indicação dos fatos básicos:

Existe uma matéria inteligente da qual todas as coisas são feitas,  e que, no seu estado original, permeia, penetra, e preenche os espaços do universo.

Um pensamento nesta substância produz a coisa que é imaginada pelo pensamento.

Uma pessoa pode dar forma às coisas no seu pensamento, e, imprimindo este pensamento na substância amorfa, pode causar a criação da coisa que pensou.

Para conseguir isto, devemos transitar da mente competitiva para a mente criativa; devemos dar forma clara a uma imagem mental das coisas que queremos e fixar este retrato em nossos pensamentos, com o PROPÓSITO fixo de termos o que queremos, e a FÉ inabalável de que já é nosso, negando na mente tudo que possa mover este propósito, escurecer a visão ou extinguir a fé.A Matéria inteligente é criação, manifesta-se em nós e por essa razão ela está ansiosa por nos dar.
Para se enriquecer é só preciso usar a boa vontade para receber, nada mais.

E além de tudo isto, veremos agora que devemos viver e agir de uma certa maneira.

Pin It on Pinterest

Share This