Select Page

maneira

O pensamento é o poder criativo ou a força motriz que faz a criação atuar.

Pensar de uma certa maneira trará riqueza, mas não podemos confiar só no pensamento, descurando as nossas próprias ações. Essa foi a rocha que afundou muitos outros pensadores e cientistas – a falha em alinhar pensamentos e ações.

Ainda não alcançámos, embora acredite ser possível, o estágio de desenvolvimento em que se possa criar diretamente da substância amorfa, sem os processos da natureza ou a intervenção da mão humana. Não devemos somente pensar; é preciso completar com a ação pessoal.

Pelo pensamento podemos fazer com que o ouro do coração das montanhas seja arrastado até nós, mas ele não vai se mineralizar sozinho, refinar-se, cunhar-se em moedas e rolar pelas estradas até nossos bolsos.

Sob o poder de impulso do espírito supremo, o trabalho das pessoas será ordenado de forma que alguém estará minerando o ouro para nós. As transações comerciais de outras pessoas vão direcionar o ouro para nós. Mas devemos arranjar os nossos próprios negócios para que possamos recebê-lo quando chegar.

O nosso pensamento fará todas as coisas, animadas e inanimadas, atuarem criando o que queremos, mas a nossa atividade pessoal deve estar preparada para receber o que queremos quando chegar a hora. Não o teremos por caridade, nem será roubado. Damos a cada pessoa mais em valor utilitário do que nos dá em valor monetário.

O uso científico do pensamento consiste em dar forma a uma imagem mental clara e distinta do que queremos e em ser firme nesse propósito de ter o que queremos e em acreditar com gratidão e fé que já temos o que queremos.

Não tentemos “projetar” o pensamento de nenhuma forma misteriosa ou oculta com a ideia de que podemos tirar vantagem disso. É energia desperdiçada que enfraquece o Poder de pensar com clareza. A ação do pensamento para enriquecer foi explicada totalmente nos capítulos anteriores: a fé e o seu propósito imprimem positivamente a criação sobre a substância amorfa inteligente, que tem o mesmo desejo de mais vida que nós temos, e esta visão, imprimida por nós, coloca as forças criativas a trabalhar, (em e através, dos canais adequados de ação), porém em direção a nós.

Não é o nosso papel guiar ou supervisionar o processo criativo.

Tudo o que temos de fazer é reter a imagem, fixar o propósito e manter a fé e gratidão.

Mas temos de agir de certa maneira, de modo a poder receber o que é nosso quando vier, e que possa encontrar as coisas retidas em nossa imagem e coloca-las em seu devido lugar quando chegarem.

Veja-mos a verdade disto. Quando as coisas chegarem, estarão nas mãos de outros, que pedirão um valor por elas. E nós só poderemos ter o que é nosso, dando à outra pessoa o que é dela por direito.

A nossa carteira não se transformou numa bolsa mágica que está sempre cheia de dinheiro sem esforço da nossa parte.

Este é um ponto essencial na ciência para enriquecer.

É aqui mesmo que o pensamento e a ação pessoal devem ser combinados. Existem muitas pessoas que, consciente ou inconscientemente, colocam as forças criativas em ação pela força e persistência dos seus desejos, mas continuam pobres porque não se preparam para a receção da coisa que querem, e dessa forma, não a recebem quando ela vem.

Pelo pensamento a coisa que queremos será trazida! Pela ação a recebemos!

Seja qual for a nossa ação, é evidente que temos de agir AGORA. Não podemos agir no passado. E é essencial para a clareza da imagem mental, retirar o passado da nossa mente. Não se pode agir no futuro, porque o futuro ainda não chegou. E não podemos saber como iremos agir em alguma ocorrência futura, até que essa ocasião chegue.

Se não nos encontramos no negócio certo ou no ambiente ideal, não podemos adiar a ação até que estejamos no negócio e ambientes certos. E não percamos tempo pensando qual o melhor caminho a tomar em possíveis emergências futuras; tenhamos fé em nossas capacidades de enfrentar qualquer emergência quando ela chegar.

Ao agirmos no presente, com a mente no futuro, a nossa ação é feita com a mente dividida, e não resulta.

Tenhamos a mente totalmente na ação presente.

Não podemos dar impulso criativo à substância original e sentarmo-nos esperando os resultados. Se assim fizermos, nunca os resultados chegarão.

O passado já passou, o futuro ainda não chegou, o presente é efémero, só temos o agora para a ação. O agora é eterno.

Cause agora. Nunca houve tempo como agora e nunca haverá tempo como agora. Caso queiramos estar prontos para a receção do que queremos, devemos começar AGORA.

E a iniciativa, qualquer que seja, deve naturalmente ser no nosso negócio ou emprego atual e deve ser pelas pessoas e coisas do nosso ambiente atual.

Não podemos agir onde não estamos, não podemos agir onde estivemos e não podemos agir onde estaremos. Podemos agir somente onde estamos.

Não nos aborreçamos com o que fizemos ontem, se foi bem ou mal feito; façamos bem o trabalho de hoje.

Não tentemos fazer agora o trabalho de amanhã; haverá muito tempo para fazer isso quando o amanhã chegar.

Não tentemos, por meios ocultos ou místicos, agirmos sobre as pessoas ou coisas que estão fora de nosso alcance.

Não esperemos uma mudança no ambiente antes de agirmos; comecemos uma mudança do ambiente pela ação.

Podemos agir no ambiente em que estamos agora, para causar a transferência para um ambiente melhor.

Prendam-se, com fé e propósito, na visão de vós mesmos no ambiente melhor, mas ajam no ambiente atual com todo o coração, com toda a força, e com toda a mente, usando a boa vontade.

Não percam tempo sonhando acordados ou fazendo castelos no ar; prendam-se à imagem do que querem e atuem AGORA.

Não vamos à procura de alguma coisa nova para fazer ou alguma ação estranha, incomum ou notável para executar como primeiro passo para ficar ricos.

É provável que as nossas ações, ao menos em algum momento futuro, sejam as mesmas que já foram executadas há algum tempo, mas devemos começar agora a executar estas ações de certa maneira, o que com certeza nos fará enriquecer.

É preciso manter a atitude e o propósito!

Se estamos comprometidos com alguma atividade e sentimos que não é o certo para nós, não esperemos até entrar no negócio certo para começar a agir. Não desanimemos nem lamentemos por estarmos deslocados. Ninguém está assim tão deslocado que não possa encontrar o lugar certo e ninguém está assim tão envolvido com o negócio errado que não possa entrar no negócio certo.

Visualizemo-nos no negócio certo com o propósito de entrar nele e a fé de que entraremos nele e estamos entrando nele, mas realizemos, no nosso negócio atual. Usemos o nosso negócio atual como um meio de conseguir um melhor e usemos o nosso ambiente atual como um meio para começar um melhor. A nossa visão do negócio certo, se fixada com fé e propósito, fará o poder supremo trazer o negócio certo para nós. E a nossa ação, se executada de certa maneira, fará com que entremos nesse negócio.

O assalariado que pretende ganhar mais, mas que se limita a projetar no espaço o valor que pretende ganhar, confiando que o universo lhe trará esse emprego, o mais certo é que falhe.

Aproveite a oportunidade em que se encontra agora. Imagine-se no trabalho que deseja, enquanto age com fé, propósito e atitude, no trabalho atual. Tenho a certeza que se assim o fizer, que o que deseja já é seu.

A nossa visão de fé aliada à boa vontade, colabora diretamente com a força da criação, iniciando-se de imediato um movimento daquilo que aceitamos como certo, no próprio ambiente onde nos encontramos, levando-nos para o lugar que desejamos.

Ao fechar este capítulo, nós vamos adicionar um parágrafo ao nosso programa:

Existe uma matéria inteligente da qual todas as coisas são feitas, e que, no seu estado original, permeia, penetra, e preenche os espaços do universo.

Um pensamento nesta substância produz a coisa que é imaginada pelo pensamento.

Uma pessoa pode dar forma às coisas no seu pensamento, e, imprimindo este pensamento na substância amorfa, pode causar a criação da coisa que pensou.

Para conseguir isto, devemos transitar da mente competitiva para a mente criativa; devemos dar forma clara a uma imagem mental das coisas que queremos, e fixar este retrato em nossos pensamentos, com o PROPÓSITO fixo de termos o que queremos, e a FÉ inabalável de que já é nosso, negando na mente tudo o que possa mover este propósito e escurecer a visão ou extinguir a fé.

Para podermos receber o que queremos, devemos agir no AGORA, por meio das pessoas e das coisas em nosso ambiente atual. 

Pin It on Pinterest

Share This