Select Page

negócio

O Sucesso de um Negócio depende do desenvolvimento das capacidades requeridas para cada caso.

Um professor de música bem-sucedido tem de ter a capacidade musical bem desenvolvida. Só a habilidade bem desenvolvida na mecânica faz um mecânico de Sucesso. Sem delicadeza e capacidades comerciais, não se é um comerciante de Sucesso. Todavia, ter as capacidades requeridas para cada profissão bem desenvolvidas, não garante a riqueza.

Há músicos que têm um talento notável e contudo continuam pobres. Há ferreiros, carpinteiros, mecânicos, e assim por diante, que têm excelentes habilidades, mas não são ricos. Existem comerciantes com capacidades extraordinárias para negociar que, mesmo assim, falham.

As diferentes Habilidades e Capacidades são ferramentas.

É essencial ter boas ferramentas, mas é importante que as ferramentas sejam bem usadas. Pode-se ter uma serra afiada, um esquadro, um bom prumo, e assim por diante, e fazer um belo móvel. Um outro pode ter as mesmas ferramentas e fazer uma reprodução grosseira do móvel. Ele não sabe usar boas ferramentas para ter Sucesso.

As várias capacidades ou habilidades mentais são as ferramentas de trabalho que nos garantem enriquecer. É mais fácil ter sucesso e enriquecer num negócio em que se esteja bem equipado mentalmente. É normal que me destaque num negócio em que posso usar as minhas melhores qualidades – um negócio onde eu me identifique. Mas mesmo assim existem limitações. Ninguém deve considerar a sua vocação como algo definitivo, ligado às características predominantes com que nasceu.

Todos temos as mesmas características.

Podemos enriquecer em QUALQUER negócio, e se não tivermos talento, podemos desenvolvê-lo. Só significa que temos que desenvolver as ferramentas enquanto evoluímos, em vez de nos limitarmos a usar aquelas que conhecemos desde a nascença. Ou seja, temos de sair da nossa zona de conforto.

É mais fácil vencer numa profissão em que já tenhamos as competências bem desenvolvidas, mas pode vencer-se em qualquer profissão, porque podemos desenvolver qualquer talento essencial. Não existe talento do qual não tenhamos, ao menos, uma noção.

Enriqueço mais facilmente, em termos de esforço, se fizer aquilo a que me adapto melhor, mas enriqueço mais feliz, se fizer aquilo que quero fazer.

Fazer o que quero fazer é vida.

“É fácil encontrar quem faça o que gosta de graça, e ganhe o seu ordenado a fazer o que detesta”. Shiva A.

Não vivemos felizes, se formos forçados a fazer continuamente algo que não gostamos de fazer.

O correto é fazer o que se quer fazer. O desejo de querer fazer, prova que existe a capacidade para o fazer.

O desejo é uma manifestação da capacidade.

O desejo de tocar uma música, é a capacidade de tocar, a procurar exprimir-se e desenvolver-se. O desejo de inventar uma máquina, é a expressão e o desenvolvimento mecânico à procura do talento.

Onde não há capacidade para fazer uma coisa, nunca há o desejo total de fazer essa coisa. E onde há um forte desejo de fazer uma coisa é a prova que a capacidade de fazê-la é forte e requer somente que seja desenvolvida e aplicada da maneira correta.

Em iguais circunstâncias é melhor escolher o negócio para o qual temos mais talento desenvolvido, mas se existe um forte desejo de seguir uma atividade mesmo desconhecida, deve-se determinar essa atividade como objetivo.

Todos podemos fazer o que verdadeiramente queremos fazer.

Fazer o que queremos fazer é um direito. Devemos seguir a profissão ou o negócio que nos seja mais adequado.

Não somos obrigados a fazer o que não gostamos de fazer, e não o devemos fazer, exceto como meio de transporte para nos levar para o que queremos fazer (normalmente esta é fase em que se deve usar a aceitação no seu expoente máximo).

Quando, por erro do passado ou pela circunstância do momento, estamos num negócio ou ambiente indesejado, podemos ser obrigados por algum tempo a fazermos o que não gostamos de fazer, mas podemos tornar essa situação agradável, empenhando-nos a 100% tendo a consciência que esse é o atalho para fazer o que realmente gostamos de fazer.

Quando sentimos que não estamos na profissão certa, não tenhamos pressa em procurar outra. Normalmente a melhor forma de mudar é pelo crescimento.

Não tema a Mudança! A Mudança é constante.

Não há mal em fazer uma mudança repentina e radical. Quando a oportunidade aparece, após uma reflexão cuidadosa e se acharmos que é certo. Se existir dúvida ou pressão, nunca o devemos fazer repentina e radicalmente até que se sinta que é certa a decisão.

Não existe pressa no plano criativo e não existe falta de oportunidades.

Quando abandonamos a mente competitiva compreendemos que nunca precisamos agir apressadamente. Ninguém nos vai atrapalhar no que queremos fazer; há bastante para todos. Se um espaço foi ocupado, outro melhor será aberto; temos sempre tudo que precisamos. O instante é eterno.

Na dúvida espere….

Vamos de novo à imagem mental, aumentemos o propósito e a fé. Tudo é uma oportunidade para agradecer. Na dúvida e indecisão procura-se a gratidão.

Um ou dois dias a contemplar a imagem do que quero, e agradecer profunda e sinceramente tudo quanto tenho, transporta-me para perto da fonte suprema. Ai não existe dúvida no pôr ação.

Existe uma mente onde toda a sabedoria está depositada.

Há uma mente que sabe tudo que existe para saber, e podemos entrar em união com ela através da fé e o propósito em crescer, se tivermos profunda e sincera gratidão.

Os erros acontecem quando agirmos precipitadamente.

Age-se no erro, movidos por medo e duvida, na ignorância da lei de mais vida para todos e menos vida para ninguém.

À medida que agimos de forma correta, as oportunidades vêm em grande número. Firmes na fé e propósito, através da gratidão profunda, mantemo-nos próximos da mente suprema. Esta é a forma certa.

Ou Seja, de uma forma rápida mas sem pressa. Fazer a cada dia, tudo o que é possível fazer, de uma forma perfeita, calma, sem preocupação ou medo.

Ter sempre em mente que sempre que apressamos a ação, transitamos de criador para competidor, retornando ao velho plano.

Sempre que venha a pressa, pare.

Fixe a atenção na imagem mental da coisa que quer e agradeça o conseguido.

O exercício da GRATIDÃO nunca falha em fortalecer a fé e renovar o propósito.

Pin It on Pinterest

Share This

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Ao continuar a navegar no nosso site consente a utilização dos mesmos. Saiba mais sobre os cookies aqui

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close