Select Page

 

Se Voltarmos ao capítulo 6 e lermos novamente a história do homem que deu forma à imagem mental da sua casa, começamos a ter uma ideia clara do primeiro passo para ficar rico. Devemos dar forma a uma imagem mental específica e definitiva do que queremos. Não podemos transmitir uma ideia a menos que nós próprios a tenhamos.

Devemos ter a imagem mental bem definida do que queremos antes de entrarmos em ação com o processo da criação. Muitas pessoas falham, não porque algo não funcione perfeitamente, mas porque tentam imprimir um conceito vago e confuso das coisas que querem fazer, ter, ou se tornar. Não basta dizer: Quero ser rico! É preciso desejar e sentir o bem-estar que isso lhe proporciona. Não é suficiente dizer que tem o desejo de viajar sem definir para onde, qual o destino. Quando você entra num táxi não diz ao taxista apenas que quer viajar; você tem que lhe dizer para onde quer ir. Todos querem ter mais e melhor mas não definem o que querem. Se eu quero passar uma mensagem com este livro, tenho que ser claro no que escrevo. Não digito letras e palavras aleatoriamente e espero que alguém as junte para entender a mensagem.

Quando imprimo um desejo coerente na Matéria Inteligente, fonte de tudo o que existe, tenho a consciência do que quero sendo específico e definitivo. Nunca se enriquece com desejos vagos e ideias deformadas.

É preciso fazer como o homem do capítulo 6. Vemos apenas o que queremos e criamos uma imagem mental clara e objetiva do que desejamos, como se já se tivesse materializado.  

É fundamental manter essa imagem mental clara e continuamente.

Como o marinheiro tem na mente o porto para o qual dirige o navio, assim devemos manter-nos focados no objetivo o tempo todo. Mantemo-nos focados no que queremos, assim como o timoneiro se foca na bússola, nunca perdendo o contacto visual.

Não é necessários usar técnicas especiais como relaxamentos, meditações, ou qualquer ritual, para redefinir o pedido.

Algumas destas coisas podem ser úteis, mas tudo o que precisamos é saber o que queremos e querermos tanto a ponto de que permaneça sempre em nosso pensamento. Não desviar o foco!

É preciso que queiramos mesmo ficar ricos (se isso não acontecer neste momento, vamos de novo ao inicio, porque ainda nos encontramos intoxicados por conceitos pecaminosos, que nos tornam anormais). O desejo de riqueza tem que ser bastante para que todo o foco esteja direcionado para esse fim.

Assim como o pólo magnético atrai a agulha da bússola, também o nosso pensamento deve ser constante.

Os métodos científicos aqui divulgados são para pessoas que o desejo de riqueza é MAIOR do que a preguiça mental e o marasmo em que estão ancorados.

Quanto mais específica, definitiva e detalhada for a imagem, mais forte será o desejo. E quanto mais forte for o desejo, mais fácil será manter a mente na imagem do que quero.

Entretanto, algo mais é necessário, do que apenas ver a imagem claramente. Se isto fosse suficiente, seriamos simplesmente uns sonhadores, com pouco poder de realização.

Acima da visão deve estar o propósito da realização – de trazê-la para a expressão tangível. E atrás deste propósito tem de haver uma, Invencível e Inabalável, Fé de que a coisa já está na nossa mão e é só tomar posse.

Vivamos na nova casa mentalmente, até que tome forma fisicamente. Apreciemos no mundo mental tudo o que queremos.

.“Quaisquer que sejam os pedidos em oração, vós os recebereis, e o tereis”, conforme falou Jesus.

 É preciso ver as coisas que queremos como se estivesse o tempo todo à nossa volta. Usando-as e sentido a sua presença. Usá-las na imaginação como já as possuindo.

Foquemos a imagem mental até que esteja clara e explícita e tomemos então a atitude mental de posse de tudo nesta imagem. Tomemos posse dela mentalmente, na plena fé de que é realmente nossa.

Seguremo-nos a esta posse mental, firme nesta imagem que é real. Não vacilemos nem por um instante.

Tenhamos presente o que foi dito no capitulo anterior sobre a gratidão: sejamos tão agradecidos por nossas posses agora, como o seremos quando elas tomarem forma. A pessoa que pode sinceramente agradecer a Deus pelas coisas que tem ainda na imaginação, possui realmente fé.

Enriquecerá!.. Causará a criação de tudo o que quer!

Não é necessário pedir o que se quer repetidamente, nem falar a Deus sobre isso a cada dia.

Só temos que formular inteligentemente o desejo para as coisas que mudarão a nossa vida para melhor e organizá-lo de forma coerente e então imprimir este desejo acabado na substância amorfa, que tem o poder e a vontade para trazer o que quer.

Não fazemos a impressão repetindo as palavras; fazemo-la mantendo a visão com o inabalável PROPÓSITO de alcançá-la e com a FÉ constante de que já é nossa.

A resposta ao pedido não vem de acordo com a fé quando se falamas de acordo com a fé quando se trabalha.

Não impressionamos a mente de Deus, tirando um dia especial para lhe dizermos o que queremos, esquecendo-nos dele o resto da semana. O esforço é em vão se temos horas específicas para visualizar e imprimir, porque nos vamos distrair entres os espaços programados para isso. Não se é rico comportando-se como um pobre.

Orar é bom e tem osseus efeitos, especialmente sobre nós, para esclarecer a visão e reforçar a fé, mas não são nossos pedidos orais que trazem o que queremos. Para enriquecer não precisamos de uma “doce hora de orações” e sim de “orar continuamente”.

E por orar digo: manter firmemente a imagem, com o objetivo de causar a criação na forma real e a fé com que estamos a fazer isso. “Acredite e receberá”.

Uma vez formada claramente a imagem, a Matéria Inteira torna-se recetiva para a receber. Quando lhe dermos forma, é bom fazer uma oração dirigida ao supremo, em gratidão. Então, a partir desse momento, devemos mentalmente receber o que queremos.

Viva-se na nova casa, vistam-se roupas elegantes, guie-se o automóvel, viva-se o dia em segurança e confiantemente, façamos planos para viagens maiores.

Pensemos e falemos das coisas que pedimos como se já estivessem em nossa posse. Imaginemos os ambientes e as condições financeiras exatamente como as concebemos. Viva-se permanentemente nesse ambiente, até que estas condições financeiras se materializem.

Consciencializemo-nos de que não fazemos isto como meros sonhadores ou construtores de castelos nas nuvens. Firmemo-nos na Fé de que tudo o que nossa mente concebe e acredita acontece.

Tenhamos sempre presente em nossas mentes que a fé e o Propósito no uso da imaginação, fazem a diferença entre o cientista e o sonhador.

Agora ganhamos consciência deste facto: “tudo o que a nossa mente conceber e acreditar pode se materializar”. 

Pin It on Pinterest

Share This