hirn_modell_21

COMO CORRIGIR A CAUSA DAS DOENÇAS CRÓNICAS

Parte 2

Continuação

Ficou claro no artigo anterior que, para que uma doença se desenvolva precisa condições para tal. Assim sendo, basta retirar as condições que a doença precisa, para que seu processo evolutivo seja travado. Sim; mas não é suficiente… travar a evolução, não resolve o problema. Apenas trava a evolução.

Para que que exista a extinção da doença, é preciso algo mais amplo. É necessário recuperar da inércia, ampliar a visão, e transitar para uma nova consciência. Isso somente se consegue com boa vontade e mente aberta.

Antes de continuarmos é importante relembrar que: A OMS alerta a humanidade para o facto de 85 % das doenças serem Psicossomáticas, que é o mesmo que dizer, que o corpo reflete o que se pensa e sente. E qualquer médico experiente e honesto pode afirmar; que sentimentos e emoções reprimidas geram uma poderosa tensão que esmaga até à exaustão um órgão mais sensível, até à manifestação do sintoma que normalmente damos o nome de doença.

Não nos alongando no que é sobejamente conhecido, basta uma busca no Santo Google, e toda essa informação está disponível.

E então; como corrigir a causa, em vez de cegamente se lutar contra o sintoma, que o máximo que consegue é uma melhoria fictícia, ao mesmo tempo que enfraquece o organismo.

Ainda hoje um leitor de nosso Blog deixou este comentário, na página da Asma e Bronquite – “olá eu tenho asma crônica e bebo cloreto de magnésio PA a mais ou menos uns 3 meses todos os dias 1 vez ao dia, mas infelizmente não tive melhoras, pelo contrário fico com um peito muito cansado um desconforto e falta de ar toda vez q eu bebo uma vez fiz nebulização com cloreto e me desencadeou uma crise, e olha q eu faço exercício respiratório e uso remedio Chamado xxxxxxxx, vou fazer o teste ficar um tempo sem tomar o cloreto, infelizmente não tive a mesma sorte q vcs !!!!” Aqui está um caso típico. Para que esta ou outra doença crónica possa ser suprida; não basta tomar este ou aquele remédio suplemento ou veneno. Por exemplo, este leitor usa um remédio broncodilatador que ajuda as vias aéreas pulmonares a permanecerem abertas e um corticosteroide, que reduz a inflamação e a irritação nos pulmões. Isto apenas ajuda a remediar a doença e a esgotar. A doença está numa realidade mais profunda da existência. Produzida pela energia proveniente da contenção de sentimentos e emoções.

A Solução – Como também ficou esclarecido na palestra anterior é urgente mudar o paradigma. Comecemos por aceitar que uma doença crónica não tem cura; mas tem recuperação.

Então o que é recuperação? Recuperação é mudança. Por isso a necessidade urgente de mudar, quando uma doença crónica surge.

Embora todos desejemos melhorar; e seja esse o propósito primordial de cada individuo que habita este planeta; todos têm medo do desconhecido reagindo a mudança. Essa reação ao novo, torna-nos escravos.

A ESCRAVIDÃO DO MITO

Embora experiências cientificas, mostrem com clareza que “TODAS AS POSSIBILIDADES ESTÃO NO MESMO LUGAR” base da tecnologia de ponta, usada na realidade diária. E apesar dos utensílios que usamos no dia-a-dia serem há bem pouco tempo considerados misticismo. Mesmo assim enlouquecidos pela negação ao novo, continuamos escravos de verdades antigas, sem qualquer utilidade hoje.

Simplificando: o mito é muito conveniente; mantem o individuo preso numa dimensão espiritual obsoleta, justificando a constante procrastinação.

“Tudo existe num estado de mudança”

O que funcionava antes, já não funciona mais. Somente existe vida no agora, cada momento é novo. O mundo é um lugar seguro e amistoso, para todos que se responsabilizam pela sua vida.

Quando nos comprometemos com a vida, tudo é perfeito no lugar onde nos encontramos. Aceitamo-nos tal como somos, e confiamos no fluxo e processo da vida. Reconhece-se que nada acontece por acaso, e respeita-se a infinita inteligência que reside em cada célula do nosso corpo. CONTINUAÇÃO