Plano Competitivo

O que acontece quando negociamos a partir do plano competitivo?

Tudo gira em volta de um interesse egoísta, em nos beneficiarmos a nós mesmos, porque acreditamos que a fonte de riqueza é limitada, que não existe o suficiente para todos, que para que eu possa ter o outro não tem, que só podemos ter uma coisa ou outra, e que somos independentes e separados de todos os outros: Eu e o Outro.

Plano Criativo

Mas o que acontece quando negociamos a partir de um plano criativo?

Tudo gira, na mesma, em volta de um interesse egoísta, em nos beneficiarmos a nós mesmos, mas porque temos a consciência de que quando estamos beneficiando o “outro”, estamos beneficiando a nós mesmos – pois somos todos parte de um TODO. Temos consciência de que a fonte de riqueza é ILIMITADA, de que existe mais do que suficiente para todos e todos podemos igualmente prosperar.

E desta forma não vamos tentar enganar ou tirar partido do outro, mas sim beneficiá-lo da forma que ele merece, porque somos conscientes da lei da Riqueza, e da lei do Retorno.

Mas não o fazemos por medo: o que faço aos outros a mim retorna em dobro…

Fazemos porque somos conscientes da unicidade, e que se o “outro” estiver melhor, eu estarei melhor.

Agora, pôr isto em prática:

Pois, todos fomos formatados no plano competitivo, e faz-me lembrar uma história muito interessante que ouvi, uma história Hindu:

A Tartaruga e o Escorpião

O Escorpião queria passar para a outra margem, e viu uma tartaruga passar, e pediu-lhe se o podia levar em cima da sua carapaça.

A tartaruga disse que não, porque tinha ouvido dizer que os escorpiões são muito imprevisíveis e que ele poderia a meio do caminho a ferrar.

E o escorpião disse que isso não fazia sentido, pois se ele a ferrasse morreriam os dois afogados.

A tartaruga ficou convencida e levou o escorpião em cima da sua carapaça.

A meio do caminho o escorpião ferrou-a.

A tartaruga, já sem forças, quase se afogando, pergunta ao escorpião porque ele tinha feito aquilo.

Ao que ele respondeu:

 – Olha…é a vida…

 

Porque o escorpião ferrou a tartaruga? Porque é a tendência dele.

Assim nós, por tendência vamos agir da forma que fomos formatados. Mas isso não impede que possamos mudar e melhorarmo-nos a nós mesmos, de forma a atingir aquilo que queremos.

O hino da Gabriela: eu sou assim, eu nasci assim…

Isso é para os irresponsáveis, que preferem continuar a justificar a sua vida miserável com os outros, com a situação financeira, com o país em que vivem, com o periquito, o cão, e por aí vai.

Elisabete Lakshmi