objetivos

A parte mais sensível na realização de objetivos é, talvez, sabermos o que realmente queremos, e contudo, isso é o mais importante de todo o processo.

É importante entender que fixar um objetivo não significa ficar detido nele. Pode-se mudar quantas vezes quisermos e sempre que sentirmos que é necessário.

É preciso ter consciência que realizar sonhos não depende de esforço extra, pelo contrário, é só necessário torná-los objetivos e prosseguir no caminho focados na meta a alcançar; como alguém que vai ao sabor da corrente, sabendo que está cada vez mais perto da foz. Como ninguém duvida que o rio corre sempre para o mar, também não se duvida que tudo o que acontece faz parte do trajeto até á concretização.

Por outras palavras, só nos encontramos perdidos e a andar em círculos quando de facto não transformamos nossos sonhos em objetivos.
Vida é mudança criativa. Tudo no universo é um vasto e complexo processo de mudança.

Os nossos sonhos, transformados em objetivos, são um centro de interesses com uma direção objetiva, nos quais se abrem canais para o fluxo natural da energia criativa.

A energia criativa própria de tudo o que se possa chamar vida, precisa de sonhos e desejos para se poder expressar. O processo da realização de objetivos é estar em sintonia com o princípio fundamental do Universo. É estar a fazer a vontade do Todo (Deus).

Porque só se pode chamar vida à continua evolução.

O bem-estar Pleno é estar em sintonia com a vontade do universo, que é o mesmo que dizer: estar no caminho do sucesso e riqueza, conduzido pelo poder da mente criativa; aí entra-se no estado de felicidade.
É preciso ter consciência de que o objetivo é parte inerente da vida, sem ele não pode existir vida. Onde não existe objetivo não existe vida. Sem objetivo não existe crescimento, tudo o que deixa de crescer entra no processo de morte.

Por essa razão a falta de objetivos cria mal-estar, depressão, doença, pobreza, miséria, infelicidade, tristeza, sofrimento etc.

Os objetivos fazem da vida um jogo divertido em que, cada contratempo é um ganho de energias necessárias para a realização plena.

Vamos pôr ação:

Ação. Agora munido de papel, caneta e honestidade criamos a vida que desejamos. Com o mínimo de palavras façamos o ponto da situação atual:

Como me sinto neste momento e qual é a minha situação atual em todas as áreas da minha vida?

1º. Trabalho \ carreira
2º. Relações
3º. Dinheiro \ posses
4º. Nível de vida.

Depois de fazer um rápido, mas honesto inventário, da situação atual, e se não sente bem-estar pleno é porque não está em crescimento.

Agora que já tem consciência da situação atual reescreva o cenário atual, com o que gostava de modificar ou melhorar no futuro próximo. Não pense demais seja simples e criativo, escreva o que lhe parece viável. Não se esqueça de acrescentar as viagens com que sempre sonhou.

Quando escreve os seus objetivos assegure-se de expor objetivos reais e significantes para si, as coisas que verdadeiramente quer. Ninguém precisa de ver a sua lista, a não ser que a queira mostrar a alguém. É preciso lembrar que esta forma exige uma honestidade total para consigo mesmo.

Exemplo:
A minha vida chegou a um beco sem saída, tudo se repete como se não parasse de andar em círculos. A minha profissão não tem mais saída, o meu casamento há muito que acabou, tudo o que possuo não passa de uma ilusão, as minhas finanças estão na ruina. O meu nível de vida é precário, sinto uma necessidade incrível de mudança.

Vivo a vida a plenos pulmões, tudo flui com facilidade, a minha nova atividade dá-me a possibilidade de ganhar muito dinheiro, dando muito mais aos meus clientes do que aquilo que eles me pagam. Vivo uma verdadeira relação de amor; eu e minha esposa temos os mesmos objetivos, vibramos na mesma frequência. Possuo a casa e o carro com que me sinto verdadeiramente abençoado, o dinheiro flui para tudo o que preciso, tenho uma vida a crescer a cada dia que passa.

Algumas regras fundamentais:
Ser honesto, querer o que deseja, permitir que aconteça.

António Shiva