PERCEPÇÕES SENSORIAIS DA CRIANÇA

PERCEPÇÕES SENSORIAIS DA CRIANÇA

O PENSAR VINCULADO ÀS PERCEPÇÕES SENSORIAIS DA CRIANÇA

Percepção sensorial da criança

“Quanto mais actuamos e percebemos a vida, mais desenvolvemos nossa capacidade de pensar. Através das minhas vivências e experiências crio minhas próprias concepções individualizadas das percepções sensoriais através do pensar. Através da vivência, aprofundo meu pensar. Assim o pensar é capaz de criar relações de minhas vivências com outros âmbitos da vida. Neste processo é desenvolvida a nossa Alma individual. Atuamos com mais profundidade, complexidade e sensibilidade (sentidos). Uma vida rica em experiências eleva o nosso pensar e aprofunda nossa percepção da vida, aumentando nossa sensibilidade. Uma pessoa que desenvolve uma grande sensibilidade pode perceber as forças sutis na natureza, suas atuações e relações (até os âmbitos supras-sensíveis).

Leonardo Maia

Vivemos uma época onde o pensar humano se tornou um processo essencial para o desenvolvimento da individualidade.

Mas sobre o que pensamos? Como ele actua no processo de individualização?

Todos os nossos pensamentos são baseados em percepções sensoriais absorvidas pelos sentidos. Quanto mais actuamos e percebemos a vida, mais desenvolvemos nossa capacidade de pensar. Por exemplo:

Você encontra um amigo que lhe dá um abraço.

Através da percepção sensorial, posso dizer:

“Encontrei um amigo que me deu um abraço caloroso e apertado.”

Caloroso e apertado são concepções desenvolvidas a partir do meu pensamento vinculado a percepção sensorial do evento (o encontro e o abraço). Isso me leva a uma percepção mais subtilizada e profunda. Assim, através das minhas vivências e experiências crio minhas próprias concepções individualizadas das percepções sensoriais através do pensar.

Cada pessoa cria suas próprias concepções de suas percepções sensoriais. Outra pessoa que recebe o mesmo abraço poderia dizer:

“Encontrei um amigo que me deu um abraço e ele quase me esmagou.”

Através da vivência, aprofundo meu pensar. Assim o pensar é capaz de criar relações de minhas vivências com outros âmbitos da vida. Neste processo é desenvolvida a nossa Alma individual. Atuamos com mais profundidade, complexidade e sensibilidade (sentidos).

Uma vida rica em experiências eleva nosso pensar e aprofunda nossa percepção da vida, aumentando nossa sensibilidade. Uma pessoa que desenvolve uma grande sensibilidade pode perceber as forças sutis na natureza e suas actuações e relações (até os âmbitos supras-sensíveis).

Por isso, todo ser humano é capaz de se tornar criativo, catalisar conhecimentos a partir de si e expressá-los através de sua Alma individual. A expressão da Alma estaria vinculada diretamente à actuação da Vontade.

Por outro lado, uma vida pobre em experiências, pode limitar o campo de actuação do pensar, criando pensamentos fixos e diminuindo a sensibilidade. Crianças que têm apenas estímulos intelectuais podem se tornar adultos insensíveis e ressecados.

Como as experiências são vinculadas diretamente às percepções sensoriais, um ambiente de estímulo aos sentidos é essencial para um melhor desenvolvimento do pensar individual. Isso estimulará a criatividade, a imaginação e terá seus reflexos na saúde e vitalidade da criança.

Exemplos de situações que abafam a percepção sensorial da criança (os sentidos):

 Ambientes com muito barulho e ruídos: as crianças acabam por ignorar o sentido da audição, para se acomodar à situação. Podem se tornar barulhentas e inclusive desafinar seus ouvidos…

– Excesso de contatos com objetos de borracha e plástico: as crianças têm considerável diminuição do sentido do tato. Ao andar constantemente com borrachas no pé (sapatos, chinelos, crocs e etc…) e a falta de contato com artefatos naturais, como madeira, folhas, sementes, areia, terra e etc…

 Comer produtos industrializados em excesso: a padronização dos sabores e excesso de sódio e açúcar anulam o sentido do paladar. A criança não sentirá o doce natural da fruta madura. Não desenvolverá apreciação por sabores amargos e  azedos…

– Excesso de TV: além de atrapalhar o sentido auditivo, devido ao excesso de ruídos emitidos pelos personagens de desenho animado, a poluição visual também não permite percepção das cores, luzes e sombras. Atrapalha também o sentido do equilíbrio e o sentido do movimento, devido à necessidade de estática para assistir. Outro sentido afetado é o do pensar, devido indução a pensamentos e conceitos coletivos pré-moldados. (Este assunto é um pouco profundo e será abarcado posteriormente)…

– Falta de contato com outras crianças: afeta diretamente o sentido do EU, pois percebendo o outro que eu percebo a mim mesmo…

Isso mostra a importância de criar um ambiente adequado e de proporcionar vivências ricas e saudáveis para nossas crianças.

Fonte: Biblioteca Virtual da Antroposofia

http://www.antroposofy.com.br/forum/o-pensar-vinculado-as-percepcoes-sensoriais-da-crianca/

Postado por Isabel Pato

Subscreva o nosso blog, e receba as nossas atualizações!

Holler Box

Pin It on Pinterest