Graças a Deus que o Outro existe!

  • 2

Graças a Deus que o Outro existe!

 

Andava na pesquisa e por aconselhamento de um grande amigo meu, fui ao blog Somos Todos Um, e lá li um artigo que falava sobre relacionamentos. No princípio ainda comecei a rejeitar algumas ideias que a autora focava, mas depois procurei pôr uma postura Aberta, pois eu não sou dona da verdade, e cada um acredita no que acredita, nem é certo nem é errado, é o que é! Então esse artigo acabou por despertar algumas questões em mim…

 

Tenho uma grande tendência para me afastar de relacionamentos, seja de que tipo for. Especialmente quando acho que não sei lidar com eles, procuro o isolamento, procuro o meu espaço, numa atitude de fuga.

Por vezes queria estar aqui o tempo todo, o dia todo, com a desculpa de querer crescer, evoluir, e de que é aqui que o consigo, pois estou em contacto com os meus objectivos, relembro-me deles, estou em contacto com pessoas que partilham da minha vontade de evoluir. Então queria mergulhar aqui, neste ninho, e ficar aqui aconchegada, pois aqui não tenho conflitos, não tenho atitudes menos próprias. Apesar de procurar me libertar e partilhar-me com o mundo, apesar de conseguir sentir a energia do outro, aqui estou mais protegida, posso “controlar” aquilo que eu quero receber.

Lá fora não, lá fora é tudo inesperado, nunca sei o que vai acontecer, o que vou encontrar, quem vou encontrar. Aqui é tudo mais calmo, posso criar o ambiente que eu quiser, lá fora já não é assim…lá fora, com o relacionamento com o Outro, não sou eu que domino…a minha mente procura, mesmo assim controlar, adaptar, e desse modo apetrecha-me de ferramentas para me proteger de tudo isso: óculos escuros, barreiras intransponíveis…

Porque é que eu vejo no outro uma ameaça tão grande?

Será que me custa olhar para mim? Será que não quero olhar o outro pois ele me relembra de quem eu sou e eu não gosto de quem eu sou?

Será que preciso rever os meus conceitos sobre mim própria?

Será que estou a fugir de mim?

Será que estou a adiar a minha evolução?

Todas estas são questões que me faço agora… Tudo isto só por ler um artigo de outra pessoa. Ela despertou em mim algo, uma luz! Uma consciência sobre mim.

Graças a Deus que o Outro existe, ou eu não me poderia experienciar…

Nota: o que é aqui escrito é a minha experiência. O que se pretende aqui é dar a conhecer experiências do dia-a-dia, que poderão ser úteis a quem se identificar com elas. Isto não invalida o facto de que a verdade está em constante alteração, assim como também a nossa consciência, que com as nossas experiências vai evoluindo.

Não se esqueçam: A única coisa que temos como garantia nesta vida é a mudança.

Composto e Postado por

Elisabete Milheiro


2 Comments

gloria

Janeiro 13, 2011at 1:37 am

a única coisa que não muda é a mudança…e viva a mudança…Gloria

Elisabete Milheiro

Janeiro 17, 2011at 4:30 pm

Olá Glória,

Realmente essa é a única coisa que não muda mesmo!

Obrigado pelo seu comentário!

Elisabete Milheiro

Leave a Reply

Sim, é possivel criar uma vida nova!!!