GRATIDÃO E ABUNDÂNCIA

  • 4

GRATIDÃO E ABUNDÂNCIA


por Oliveira Fidelis Filho

Na área da psiconeuroimunologia, cresce a convicção de que as emoções, crenças, formas-pensamento, valores (nosso “mapa” do mundo) tem efeito determinante no funcionamento do corpo. Ao optarmos pela gratidão como filosofia de vida, como prática constante, presenteamos a nós mesmos com uma vida mais feliz, saudável e bem sucedida. A gratidão gera ondas de vibração positiva deixando-nos afinados com o universo, com nossa essência divina, proporcionando harmonia interna e externa, gerando cura e rejuvenescimento. A gratidão,  como modo de ser, lembrando a Dra. Sharron Stroud, começa a se manifestar como arte e ciência da bênção.

No solo fertilizado pela gratidão, é impossível encontrar preocupação, raiva, depressão ou emoções negativas. Há uma nítida diferença entre os que vivem alimentando-se de amargura e os que vivem movidos por gratidão. Há um revigorante poder na gratidão, também na medida em que libera endorfinas, fortalecendo o sistema imunológico. Quando a gratidão se transforma em estilo de vida, abrem-se as portas para a felicidade e a saúde.
Não foi por masoquismo que São Paulo recomendou “em tudo dai graças”; há razões óbvias nesta orientação. E não tem a ver, necessariamente, em nos tornar aptos para irmos para o céu e sim tornarmo-nos mais felizes e eficientes aqui na Terra. O apóstolo Paulo, constantemente submetido a duras privações e grandes obstáculos, sabia que o antídoto contra o veneno da amargura é a gratidão; por experiência percebia que não há como ser grato e infeliz ao mesmo tempo. Sabia que a prática da gratidão o libertava do pensamento negativo, da dúvida, do cinismo, do comodismo resignado e covarde, ao mesmo tempo em que o transportava para a dimensão criativa onde o amor, a fé e a esperança habitam.
Precisamos conscientemente injectar no cérebro doses maciças de gratidão todos os dias e várias vezes por dia. Ao agirmos assim, perceberemos que mesmo um período doloroso pode receber uma leitura nova e positiva, abrindo-se a múltiplas possibilidades. A vida se expande e floresce na gratidão podendo também se retrair e murchar na ausência dela. Um coração fechado bloqueia o acesso a fonte de toda a felicidade, a manifestação de Deus em nós, interrompe a linha de transmissão da energia criativa oriunda do Criador.  O universo enamora-se da gratidão. Quanto mais gratos formos mais motivos para sermos gratos teremos.  A gratidão é a senha que nos permite o acesso aos tesouros da abundância; em contrapartida, a falta de gratidão e as queixas lamuriosas tornam as fontes de regozijo cada vez mais secas.
Durante muitos anos tive dificuldade de aceitar presentes, o que acabei percebendo tratar-se de baixa auto-estima e orgulho velado. Hoje, ao ser presenteado, gosto de dizer que aceito com gratidão e alegria. Percebo que ao agir assim me coloco como alvo da generosa e dadivosa Providência.
O universo sempre nos dá mais daquilo em que nos concentramos. Há um princípio aceito de que aquilo que focamos se expande. O Mestre Jesus declarou: “Porque a todo o que tem se lhe dará, e terá em abundância; mas o que não tem, até o que tem lhe será tirado”. À primeira vista, tal declaração soa muito dura, parece injusta; entretanto, ela faz justiça aos princípios que regem o universo. O que o Mestre está dizendo é que a abundância, antes de ser plasmada no tempo e no espaço, precisa existir como forma-pensamento, como sentimento de gratidão pela abundância, implicitamente. Para o Mestre, pessoas que se alimentam de crenças negativas em relação a abundância, a prosperidade, colhem os frutos destas crenças.
As parábolas dos talentos, onde se encontram as palavras de Jesus supracitadas, referem-se a três personagens, três formas de lidar com o que a vida disponibiliza. O terceiro personagem, que recebeu um talento, representa os que crêem em um Deus amedrontador, severo, vingativo, que julga, condena e inibe a iniciativa humana. É do tipo que diz “fazer o que, a gente tem que se conformar, é a vontade de Deus…” e, de posse desta crença vive a enterrar o potencial nele existente. Os outros dois, no entanto, são movidos pelo dinamismo, criatividade e flexibilidade que a gratidão proporciona, vivendo para multiplicar o que lhes foi dado possuir.   A gratidão nada tem a ver com comodismo ou resignação frustrada, ao contrário, é poderoso combustível para a acção. A partir da plataforma da gratidão é que se lançam os destemidos projectos de fé.  Jesus estava, portanto, ensinando a importância de nos concentrarmos no que temos e no que verdadeiramente desejamos, em vez de focarmos e relembrarmos o que nos falta. Se focarmos no que nos falta, o que nos falta é o que na verdade temos. Portanto, se não abrigarmos pensamentos e sentimentos de abundância, corremos o risco de ter cada vez menos.

Tal afirmação do Mestre me remete a uma história que li no livro “GRATIDÃO, UM ESTILO DE VIDA”. O autor do artigo que contem a historia, Alan Cohen, assim a descreve: “Ouvi falar de uma mulher chamada Sarah, que se encontrava deitada na cama de um hospital, depois de ter sofrido um acidente, profundamente deprimida, incapaz de mexer qualquer parte de seu corpo excepto o dedinho de uma mão. Sarah decidiu, então, que faria uso do que tinha, em vez de se lamentar pelo que não tinha. Começou, então, a abençoar o único dedo que podia mexer e acabou desenvolvendo um sistema de comunicação, baseado em sim e não com o dedinho. Sarah tornou-se agradecida pelo fato de poder se comunicar e, assim, sentiu-se mais feliz. Na medida em que ela abençoou o movimento, sua flexibilidade aumentou. Dentro de pouco tempo, Sarah conseguia mexer a mão, depois o braço e, finalmente, todo o corpo.”

A radical alteração no corpo de Sarah teve início quando no lugar de uma atitude crítica e queixosa ela passou a alimentar-se de abençoada gratidão. Entre as dietas alimentares que objectivam saúde e longevidade, gostaria de propor mais uma: à base de generosas e enriquecidas porções de gratidão diárias.

Lembrando Milady Bertie “A gratidão desbloqueia a abundância da vida. Ela torna o que temos em suficiente, e mais. Ela torna a negação em aceitação, caos em ordem, confusão em claridade. Ela pode transformar uma refeição em um banquete, uma casa em um lar, um estranho em um amigo. A gratidão dá sentido ao nosso passado, traz paz para o hoje, e cria uma visão para o amanhã.”

Estamos vivendo, mais uma vez, a experiência da “passagem de ano”. Que a vivenciemos com gratidão, com alegria e com prazer. Será também oportuno, juntamente com os novos projectos, promessas e propósitos pessoais, concentrarmo-nos no que temos, no que funciona, no que não precisamos pedir. Deixar-nos embriagar de gratidão, além de não provocar ressaca, abrirá as portas para o caminho da abundância.

Ah, não posso esquecer! Deixo aqui minha gratidão a você que leu este texto e talvez muitos outros de minha autoria, também. Sinto-me privilegiado e feliz com a disponibilização do seu tempo. MUITO OBRIGADO!

por Oliveira Fidelis Filho fidelisf@hotmail.com
Teólogo Espiritualista, Psicanalista Integrativo, Administrador,Escritor e Conferencista, Compositor e Cantor.
E-mail: fidelisf@hotmail.com
Visite o Site do autor

postado por António Fernandes


4 Comments

Vania Vazzoller

Janeiro 13, 2011at 8:07 pm

Adorei esse texto , Obrigada amigo

Elisabete Milheiro

Janeiro 17, 2011at 5:00 pm

Olá,

Queria Agradecer por ter partilhado este belo artigo, que de certo, tal como em mim, tocou “na gratidão” (no coração) de muitos.
A Gratidão é, definitivamente, a chave para abrir todas as portas: Felicidade, Sucesso, Amor, Abundância, Bem-estar, Serenidade, Liberdade, Aceitação, enfim…
Apenas e somente a Palavra: Obrigado! É a melhor Oração que se pode fazer!

OBRIGADO!

Elisabete Milheiro

Mafalda Carvalho

Janeiro 30, 2011at 6:21 pm

A gratidão é algo que nos esquecemos diariamente de fazer pelas coisas materiais e/ou emocionais com que somos abençoados todos os dias e só nos lembramos delas quando as perdemos ou quando estamos prestes a perdê-las, por exemplo, a comida que está na nossa mesa todos os dias, a cama quentinha para descansarmos, a água que circula nas nossas torneiras, a luz eléctrica que nos ilumina a escuridão, o ar que respiramos, a possibilidade de sentir o sol, a chuva ou vento,…, a sensação de estarmos vivos, enfim, tantas são as coisas pelas quais deveríamos estar gratos e só nos lembramos da importância delas quando não as temos.
Eu estou a passar por uma limitação física que me impossibilita de fazer ou ter algumas coisas, mas…quando a angústia ou o desânimo toma conta de mim, lembro-me de todas as capacidades que tenho e mudo o meu pensamento para a gratidão, porque esta limitação não me impede simplesmente de SER.

Mafalda Carvalho

maria

Maio 15, 2011at 6:40 pm

olha! com toda segurança e alegria do meu ser ,posso dizer que estou muito agradecida sim,por  voce..que  dedicou um pouco do seu tempo com o intuito de orientar e ajudar psicologicamente e emocionalmente  a cada um de nós,especialmente a mim ajudou,muito obrigada pelas palavras e que me ajudou muito  a rever conceitos antes tido como únicos e verdadeiros.Meu muito obrigada

Leave a Reply

Sim, é possivel criar uma vida nova!!!