DOR DE CABEÇA

DOR DE CABEÇA

 

Bloqueio físico

A seguinte significação aplica-se a uma dor de cabeça normal. Para maiores problemas ligados à cabeça, bem como para enxaquecas, ver descrição da doença ou do mal-estar neste livro.

 

Bloqueio emocional

 

A cabeça, tal como se explica nas enxaquecas, tem ligação directa com o SER. Ter uma dor de cabeça (sobretudo no cimo da cabeça) significa que a pessoa bate na cabeça com um sentimento pessoal depreciativo. Acusa-se de não ser isto ou aquilo e, sobretudo, de não ser bastante inteligente; exige muito de si.
Diz ou pensa muitas vezes uma ou várias das seguintes expressões:
– “Isto apanha-me a cabeça.”
– “Quebro a cabeça.”
– “Dás-me cabo da cabeça.”
– “Estou farto.”
– “Estou um bocado maluco ou maluca.”
– “Dou com a cabeça nas paredes.”
– “Não sei o que fazer.”
– “Estou farto até à ponta dos cabelos.”
– “Vai cair-me em cima da cabeça” (serei acusado).
– “Arrisco a cabeça.”
– “Tenho a cabeça dura.”
– “Perdi a cabeça.”

Deprecia-se em vez de se apreciar. Para quem tem a impressão de que a cabeça lhe vai estoirar, a mensagem é parar de tanto acumular em si com medo do juízo dos outros sobre o que a pessoa é ou não é. Pode tratar-se de uma pessoa que não se aceite após uma cabeçada. Acusa-se de ser muito irreflectida. Ou então trata-se de uma pessoa que tem medo de estar à frente, isto é, de ser a primeira ou de indicar a direcção.
Ter dor de cabeça, sobretudo na testa, é indicação de que a pessoa se esforça demasiado para compreender tudo. Deve dar tempo ao seu intelecto para acumular bastantes dados na memória para que a sua inteligência possa fazer uma síntese e compreender.

 

Bloqueio mental

 

Sendo o centro de quatro dos cinco sentidos, a cabeça é uma parte do corpo muito importante. Quando dói, impede de ver bem, de ouvir, de sentir e de dizer o que se refere às tuas verdadeiras necessidades, o que te afasta daquilo que queres ser. Recebes a mensagem de retomar contacto com o que verdadeiramente ÉS no momento. É inútil forçares-te a SER o que julgas que os outros querem que sejas. Ninguém no mundo pode conseguir chegar a ser exactamente o que todos os que o rodeiam esperam dele.
Se és mais do género de resistir aos outros, também te inibes de seres tu próprio. Magoas-te continuando a julgar que é bom para ti resistir. A tua cabeça indica-te, além disso, que renuncies ao mental, isto é, a querer compreender tudo mentalmente para te permitires seres mais tu. Se utilizas uma ou várias das expressões acima citadas, toma consciência de que o medo dissimulado por trás dessas expressões não é bom para ti.

Do livro: Bourbeau L.  O teu corpo diz “ama-te”: A metafísica das doenças e do mal-estar.  Cascais: Pergaminho; 2002.

 

Nota:

 

A informação contida nesta página, não substitui a opinião de um técnico de saúde. Para um acompanhamento mais personalizado contacte as Terapias Online, ou, Questão ao Naturopata, ou,  A Saúde Quântica Responde, ou, “A Saúde Integral tem a Solução”.

Partilha!