Intoxicação do Organismo

 

A intoxicação do organismo, em conjunto com um pH desequilibrado, carências nutricionais e um estado emocional desequilibrado, são os 4 fatores base que levam à degradação do organismo, ou seja, à doença.

 

Quais são as consequências da intoxicação do organismo?

As consequências de um corpo intoxicado são: dor, excesso de peso, desequilíbrio geral, cansaço, doença.

 

Como o organismo chega a um estado de intoxicação?

Existem fatores internos e externos que levam á intoxicação do organismo.

 

Fatores externos

Temos como fatores externos, a poluição ambiental; os medicamentos; venenos alimentares tais como os conservantes, adoçantes, açúcar; excitantes tal como o café, a coca-cola e outros refrigerantes, tabaco, entre outros.

Só por curiosidade, se tomarmos um copo de refrigerante – a pior coisa que se pode tomar, mas ainda assim, dão ás crianças como se fosse uma bebida – o estrago no organismo é tão grande que precisaríamos de 60 copos de agua (água boa – com um pH equilibrado) para devolver o equilíbrio ao organismo… Dá que pensar…

O seguinte vídeo demonstra o que faz um refrigerante no nosso organismo:

 

Fatores internos

Temos como fatores internos os padrões de gestão das situações diárias. Estes padrões geram stress. Este stress causa a repressão dos órgãos e tecidos, influencia todo o equilíbrio do organismo, gera doença, mal estar, etc.

Como assim? A forma como lidamos com as situações diárias.

Como nos sentimos perante um acontecimento que não estava nos planos? Como lidamos com uma conta para pagar? Como lidamos com uma dívida? Como lidamos com a opinião das outras pessoas? Como lidamos com os acontecimentos no mundo? Mas, ainda mais importante, como lidamos connosco mesmos? Como nos sentimos connosco mesmos? Falhados? Desmotivados? Deprimidos?

Quais são as emoções prevalecentes? Raiva? Ressentimento? Medo? Dúvida? Culpa?

Será que confiamos numa ordem divina que nos guia, orienta e nos fornece tudo o que precisamos para o nosso crescimento individual e para nos tornarmos melhores?

Ou será que vemos tudo como acontecimentos aleatórios que nos provocam sofrimento e mal estar?

Os nossos pensamentos, emoções e sentimentos podem “curar”, ou podem criar doença.

Existem estudos que comprovaram o poder do pensamento sobre o corpo. Um deles, efetuado em atletas de alta competição, ligados a máquinas que analisavam os estímulos cerebrais; foram colocados em esteiras e pedido que corressem, e depois, sentados, pediram que imaginassem estar a correr uma maratona. Quais foram os resultados? Tanto enquanto correndo, como imaginando que corriam, as mesmas zonas do cérebro foram ativadas.

Outro exemplo é o exercício do limão. Siga o exercício – Imagine um limão, bem amarelinho. Cheire esse limão imaginário. Tem um cheiro ácido, ácido, como é o limão, certo? Agora imagine que tem o limão na mão esquerda e uma faca na mão direita. Corte o limão ao meio – cuidado para não se cortar… Pegue numa das metades e cheire esse limão que é bem ácido, ácido, ácido! Agora morda esse limão e chupe o seu sumo.

Resultado: A sua boca ficou cheia de saliva?

E foi apenas um limão imaginário…

Então imagine o que pensamentos negativos provocam no seu organismo…

 

Elisabete Milheiro

 

Partilha!