obesidade

OBESIDADE

Bloqueio físico

Define-se a obesidade como uma sobrecarga ponderal do organismo, por acumulação excessiva de gorduras de reserva no tecido adiposo. A obesidade é considerada um problema quando a pessoa obesa corre um risco de saúde, em virtude do seu excesso de peso.

 

Bloqueio emocional

Podem existir várias causas para a obesidade, rnas em todos os casos a pessoa afectada viveu uma situação de humilhação em jovem, o que foi por ela considerado vergonhoso. Sofre ainda do medo de ter vergonha, de causar vergonha a alguém ou que alguém lhe cause vergonha. Associa frequentemente ser humilhada (sentir-se diminuída) e ter vergonha (querer esconder-se).
O excesso de peso é uma protecção contra os que lhe pedem demasiado, pois esta pessoa sabe que tem dificuldade em dizer não e tendência para carregar tudo sobre si. Pode ser também uma pessoa que se sente muitas vezes presa entre duas outras e desde há muito tempo. Sente-se como em sanduíche e tem de fazer todos os esforços para tornar felizes as pessoas a cada um dos seus lados. Quanto mais quer tornar os outros felizes para lhes provar que não se envergonha deles, tanto mais dificuldade tem em reconhecer as suas verdadeiras necessidades.
Acontece frequentemente uma pessoa ganhar muito peso para não se tornar desejável ao outro sexo, por medo de ser enganada e, portanto, desprezada e humilhada. A pessoa obesa é também a que quer tomar o seu lugar na vida, mas que lhe custa fazê-lo. Não se apercebe de que, apesar de tudo, já ocupa muito (e só falo fisicamente).

 

Bloqueio mental

Pude observar que parece muito difícil a uma pessoa obesa olhar-se realmente em virtude da sua grande sensibilidade. És capaz de olhar cada parte do teu corpo num espelho? A capacidade de olhares o teu corpo físico tem ligação com a tua capacidade de olhar para além do físico, quer dizer, em ti, para descobrires a causa que está por detrás do teu excesso de peso.
É a razão pela qual é possível que resistas ao que lês nesta descrição. Sugiro, pois, que a releias várias vezes e sigas no teu ritmo.
O facto de teres vivido uma situação de humilhação em jovem levou-te a quereres proteger-te, pelo que decidiste não mais te entregares. Com esta decisão quiseste a todo o custo ser uma boa pessoa e é por isso que tanto carregas aos ombros. É tempo de aceitares receber sem achares que tomas alguma coisa do outro e que deverás retribuir-lhe mais tarde. Sugiro que ao fim de cada dia faças uma retrospectiva e anotes cada incidente que possa ter ligação com a vergonha e a humilhação.
Depois, pergunta a ti mesmo se é realmente verdade ser isso vergonhoso. Verifica com outras pessoas. Adopta também o hábito de perguntares a ti mesmo: “O que quero realmente?”, antes de dizer sim a todos os pedidos exteriores e antes de ofereceres os teus serviços. O amor e a estima que os outros têm por ti não diminuirão. Pelo contrário, apreciarão o facto de te respeitares e tomares o teu lugar.
É certo que serás sempre uma pessoa obsequiosa, mas trata-se para ti de aprender a fazê-lo, escutando as tuas necessidades. Além disso, permite-te o direito de seres uma pessoa importante e de tomares lugar (não só fisicamente) na vida daqueles que amas. Acredita na tua importância.

 

Do livro: Bourbeau L.  O teu corpo diz “ama-te”: A metafísica das doenças e do mal-estar.  Cascais: Pergaminho; 2002.

 

Nota:

 

A informação contida nesta página, não substitui a opinião de um técnico de saúde. Para um acompanhamento mais personalizado contacte as Terapias Online, ou, Questão ao Naturopata, ou,  A Saúde Quântica Responde, ou, “A Saúde Integral tem a Solução”.

 

 

Artigos relacionados:

Holler Box

Pin It on Pinterest

Share This