OBSTIPAÇÃO

 

OBSTIPAÇÃO

 

Bloqueio físico

 

A pessoa sofre de obstipação quando as suas fezes permanecem muito tempo no intestino e o ritmo da evacuação intestinal afrouxa de forma variável, com fezes duras e secas. Para haver obstipação, deve haver evacuação difícil acompanhada de fezes duras e secas. Se existe um ritmo lento, mas as fezes são normais, não se trata de obstipação.

 

Bloqueio emocional

 

Como a função do intestino grosso é evacuar o que não é útil ao organismo, a obstipação tem ligação directa com renunciar aos velhos pensamentos que já não são úteis. A pessoa que retém as fezes é também quem se abstém muitas vezes de dizer ou fazer alguma coisa, com medo de desagradar ou de não ser correcta, ou com medo de perder alguém ou alguma coisa. Pode também tratar-se de uma pessoa mesquinha, que se agarra demasiado aos seus bens e que tem dificuldade em largar aquilo de que já não precisa por achar que lhe faria falta um dia, o que é pouco provável. A obstipação pode igualmente produzir-se na altura em que uma pessoa se sente forçada a dar alguma coisa, como seja o seu tempo, algo da sua pessoa ou dinheiro. Quando dá, é para não se sentir culpada, mas preferiria guardá-lo para si.

Pode tratar-se de alguém com ideias fixas sobre um incidente do passado e que dramatiza esse incidente. Não pode pôr de parte as suas ideias. Esse stress, causado pela dificuldade em desligar-se do passado, cria inquietações, ideias negras, furor, medo de ser humilhado e até ciúme.

 

Bloqueio mental

 

Se sofres de obstipação, o teu corpo diz-te que é tempo de abandonares as velhas crenças que já não te são benéficas. Dá lugar ao novo. O teu corpo diz-te que é necessário deixar o intestino evacuar como deve ser se quiseres ingerir novos alimentos. O mesmo se dá com os teus pensamentos. Preocupações, ideias negras, etc., devem ser tratados como resíduos do plano mental e evacuados como tais. O facto de julgares que deves sempre reter-te, com medo de perder alguém ou alguma coisa, não é bom para ti. Mais te valia verificar se de facto sairias perdendo se te permitisses dizer ou fazer o que queres. Eis uma nova atitude que certamente te será mais benéfica. 

 

Do livro: Bourbeau L.  O teu corpo diz “ama-te”: A metafísica das doenças e do mal-estar.  Cascais: Pergaminho; 2002.

Nota:

A informação contida nesta página, não substitui a opinião de um técnico de saúde. Para um acompanhamento mais personalizado contacte as Terapias Online, ou, Questão ao Naturopata, ou,  A Saúde Quântica Responde, ou, “A Saúde Integral tem a Solução”.

Artigos relacionados:

Holler Box

Pin It on Pinterest

Share This