NASCIMENTO DA TRAGÉDIA

  • 0

NASCIMENTO DA TRAGÉDIA

 

 

 

 

NASCIMENTO DA TRAGÉDIA


Torna-se cada vez mais irrefutável o facto de que pensamentos, sentimentos e palavras são, também, condutores de vibrações e de energia, potencialmente capazes de afectar positiva ou negativamente a vida, em todas as suas expressões. Que, elaborados e mantidos sob a energia negativa, possuem o poder de intoxicar e densificar o ambiente, podendo ainda condensar-se em egrégoras do mal, verdadeiros demónios que uma vez concebidos, estruturam-se, agigantam-se e passam a exercer domínio, manipoliuzando as realidades infernais, quer no âmbito individual, familiar, social ou planetário. 

Não é sem razão que o Apóstolo Paulo instrui que se desejarmos alcançar coisas boas, agradáveis e perfeitas,  e de origem divina, é imperativo desconstruirmos padrões viciados de formas-pensamento e buscarmos a auto transformação a partir da renovação da mente. (Romanos 12.2). É ainda do Apóstolo a recomendação: "tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento." (Filipenses 4.8). 

 O profeta Isaías ratifica este princípio quando diz "assim será a palavra que sair da minha boca; não voltará para mim vazia, mas fará o que me apraz e prosperará naquilo para que a designei"(Isaias 55.11). Ou seja, nada é neutro. Cada palavra, pensamento ou sentimento possui em si um desígnio, uma força vibracional e energética criadora de realidades, além de um inevitável efeito bumerangue. Bumerangue que retorna acrescido de vibrações idênticas às arremessadas. É desta forma que o Universo conspira a nosso favor ou contra nós.  

A energia da emoção disponibilizada a serviço de sentimentos tais como amor ou ódio, fé ou medo, alegria ou tristeza, pode tanto gerar quanto atrair, respectivamente, egrégoras angelicais abençoadoras ou construtos demoníacos, perpetrando maldições as mais variadas.  

Bênção e maldição, antes de se situarem diante ou ao redor de nós, encontram-se e emanam de dentro de nós. Da mesma forma que o livro sagrado cristão declara que "o mundo inteiro jaz no Maligno"(I João5.19) ouvimos, no livro do profeta Isaías, os Serafins declarando que "a Terra está cheia da glória de Deus"( Isaias 6.3). A escolha de viver sob a força criadora do que classificamos de Maligno ou de Benigno é actividade pessoal intransferível. Luz e trevas, bem e mal, bênção e maldição, são por nós gerados,  exportados e importados.  

Alimentamo-nos mutuamente das vibrações e energias produzidas, quer as geradoras de harmonia, saúde e felicidade ou as carregadas de desarmonia, doenças e infelicidade.  Nutrimo-nos da sopa energética que individualmente e colectivamente produzimos.  

Tal sopa energética é, simultaneamente, criação e residência de cada órgão ou indivíduo que compõe o corpo social. Assim como as vibrações energéticas negativas de uma pessoa possuem o potencial de somatizarem-se em um de seus órgãos físicos mais vulneráveis, o mesmo acontece com indivíduos fragilizados que compõem o corpo social. E aqui me refiro à fragilidade das sombras e contraste com a força da Luz. Neste sentido, um fraco pode se degenerar em suicida, assassino, pedófilo, dependente químico, psicopata, depressivo, fanático, corrupto, enfim um Hitler ou um Wellington.  

Em termos de micro sociedade, na família a sopa psíquica produzida e compartilhada parece cada vez mais densa, o que desenvolve as mais variadas patologias, quer nos filhos, quer nos cônjuges. Neste aspecto, pouco efeito terá nutrir o físico com alimentos orgânicos uma vez que o emocional se encontra envenenado.  

Ainda lembrando o apóstolo Paulo,  "se um membro sofre, todos sofrem com ele; e se um deles é honrado, com ele todos se regozijam.  (I Coríntios 12.26). 

Cada indivíduo é um órgão, um membro deste grande corpo. E sobre estes órgãos o inconsciente colectivo, as crenças, os valores e formas-pensamento exercem considerável influência. Há muitos órgãos fracos nos quais são somatizadas as energias densas, as vibrações negativas emanadas de muitos. A mídia, sobretudo a televisiva, tem há muito optado por um "noticiário" potencialmente carregado de sombras. Faz vista grossa ao estrago, ao dês serviço que presta à sociedade, em parte pelo facto de estar viciada na desgraça, em parte por somatizar a fome da desgraça presente em seus telespectadores.  

Paulo diz que "se um membro sofre, todos sofrem com ele". Lembro, entretanto, que o membro que sofre o faz também em consequência de pensamentos, sentimentos, palavras e actos de todo o corpo. É no ponto fraco que a somatização se manifesta. Não existe dúvida que enfermidades resultem de somatizações de energias negativas, de sentimentos menores. Assim, é o corpo psíquico desajustado e descompensado o responsável pelo órgão adoecido; portanto, é o órgão "que toma sobre si" o sofrimento do corpo. Por mais que me desagrade dizê-lo, o "monstro" é sim, também, vitima. Nos Frankensteins  presentes na sociedade há um pouco de muitos de nós.  

Enfim, multiplica-se o número de enfermos na sociedade com as mais diferentes patologias. Explodem nos membros fracos as ulcerações de uma sociedade enferma e, ainda que somatize nos mais fracos,  todo o corpo social sofre e paga a conta. Lembro que o fraco encontra-se entre pobres e ricos, academicamente cultos e analfabetos, religiosos e ateus, famosos ou invisíveis.  

Precisamos urgentemente buscar a individuação, reencontrar a alma, relegar o ego com a essência divina que nos habita de tal forma que sejamos iluminados pela Luz Crítica, pela Energia de Deus, e isso em nível pessoal. Precisamos nos encontrar e nos amar para que possamos amorosamente ir ao encontro do outro.  

Precisamos vigiar para conscientemente fazer fluir a energia da emoção pelos canais de sentimentos enraizados pela Luz e pelo Amor.  Orar para que o Reino de Deus que está dentro de nós, como disse Jesus, cresça e transborde para o semelhante.  

Precisamos constantemente verificar se o que estamos produzindo em termos de sentimentos e pensamentos é energia pura e purificadora; responsabilizar-nos pelo nosso próprio lixo emocional, recolhê-lo e deixar de produzi-lo.  

Precisamos deixar fluir através de nós o Espírito de Deus para que sejamos sarados, assim como a sociedade e toda a Terra.  

Felizmente, cresce o número dos que saem da dimensão fetal e infantil, instintiva e inconsciente, e já despertam para uma responsável e expandida consciência. Nascem da Luz e para a Luz e por isso conseguem perceber claramente as sombras que ainda projectam, possuindo, no entanto, o poder de diluí-as na Luz do Amor Crítico.  
Texto revisado 

Por Oliveira Fidelis Filho  fidelisf@hotmail.com   
Teólogo Espiritualista, Psicanalista Integrativo, Administrador, Escritor e Conferencista, Compositor e Cantor. 
E-mail: fidelisf@hotmail.com
Visite o Site do autor


Leave a Reply

Sim, é possivel criar uma vida nova!!!