Palestra de 4ª Feira  19/11/2014

 

Neurotransmissores e as doenças cardiovasculares

Por mais que se queira retalhar o organismo humano, todas as dez triliões de células estão intimamente ligadas entre si. O corpo humano é um universo em que tudo é coeso num campo eletromagnético que, além de energia, leva também informação. Essa informação é inerente a esse mesmo campo. Os neurotransmissores são substâncias químicas produzidas pelos neurónios, as células nervosas com a função de In-formar. Por meio delas, são enviadas informações a outras células. Podem também estimular a continuidade de um impulso ou efetuar a reação final no órgão ou músculo. Os neurotransmissores atuam nas sinapses, o ponto de ligação do neurónio com outra célula.

Estima-se que existam 100 biliões de neurónios no ser humano. As possibilidades são infinitas quando se conhece a química das emoções. O potencial de produção de neurotransmissores é variável e por isso os estímulos são extremamente importantes. Estas substâncias ativam emoções, sentimentos e atitudes. Hoje através da nanotecnologia pode criar-se a emoção que desejarmos em nós ou nos outros, estimulando a criação de certos neurotransmissores. A produção de neurotransmissores por uma pessoa está relacionada com a bitola que ela aceitou como verdadeira. Mudando- se o conceito ou bitola, alteram-se instantaneamente os neurotransmissores. O importante é conhecer a mecânica e funcionamento. Qual o neurotransmissor que é produzido, em que quantidade e quando. Se entendermos a atividade bioquímica do corpo humano, podemos controlá-lo.

Na próxima palestra falaremos das chaves que incitam a produção de neurotransmissores produtores de sentimento proactivo em vez de reativo.

Hoje vamos falar dos neurotransmissores, mais importantes

Dopamina:

Gera prazer, alegria, força, êxtase, euforia, poder, sexualidade, confiança, sentimento de poder e coragem para enfrentar qualquer desafio. É um neurotransmissor extremamente potente. Sua falta é arrasadora para o estado geral de felicidade e força pessoal.

Serotonina:

Excita uma parte do cérebro e inibe outras. Alivia a depressão, a ansiedade e ajuda no sono. Atua no controle da dor, humor e instiga o sono. Estabiliza emocionalmente.

Endorfinas:

São extremamente importantes para o sentimento de felicidade, euforia, êxtase, relaxamento e bem-estar geral.

Contém propriedades analgésicas, calmantes, alívio da dor. Está diretamente ligada à existência aos níveis de dopamina no organismo.

Acetilcolina:

É estimulante. Controla o funcionamento de inúmeros órgãos, movimentos, memória, concentração, atividade sexual e emoções. Controla a libertação da hormona pela pituitária, na aprendizagem.

Noradrenalina:

É excitante. Aumenta o nível de atenção, melhora a memória. Alivia a depressão.