Quando chega o Inverno, a população em geral, pensa logo em se proteger do frio, e principalmente das constipações!

A preocupação é tanta, que até se adquirem vacinas, para que, de uma forma fictícia se proteja o corpo da Gripe.

Foi me enviado por email, um artigo sobre as tão famosas vacinas da gripe, que me fez saltar de alegria!

Alegria por nunca ter levado nenhuma, nem ter vacinado os meus filhos, para os prevenir da gripe.

Deixo vos aqui um excerto da noticia:

veias

“O que nos metem nas veias

Actualmente estão a ser comercia­lizadas várias vacinas contra a gripe sazonal, que cumprem as recomendações da Organização Mundial de Saúde. Tem sido possível encontrar (pelo menos) quatro delas nas farmácias portuguesas: Fluad, Fluarix, Influvac e Istivac. Quem consultar a lista de possíveis efeitos secundários, disponibilizada nos folhetos informativos do Infarmed, encontra a síndrome de Guillain-Barré – uma doença degenerativa do sistema nervoso, manifestada em dezenas de pessoas que receberam a polémica Pandemrix.

A lista de componentes destas quatro vacinas, igualmente divulgada nos folhe­tos informativos, revela um cocktail de químicos tóxicos. Três das vacinas (duas delas aconselhadas a crianças) contêm polissorbato 80 (também conhecido como Tween 80), uma substância usada como emulsionante em produtos de beleza e que diversos estudos associaram a convulsões, choques anafilácticos, abortos espontâneos e infertilidade. Este é também um ingrediente da Gardasil, a vacina contra o HPV que os últimos governos têm promovido às mulheres (e crianças) portuguesas. Nos EUA, a Fluarix chegou a ser comercializada com a indicação de “não ter sido avaliado o potencial carcinogénico ou mutagénico, nem de diminuição da fertilidade”.

Os folhetos do Infarmed alertam a presença de “quantidades pequenas” de outros componentes em várias destas vacinas: brometo de cetiltrimetilamónio (CTAB), um desinfectante usado para esterilizar laboratórios; octoxinol, outro detergente utilizado no processo de produção das vacinas, que pode danificar células e causar tumores; gentamicina, “um antibiótico utilizado para tratar “infecções bacterianas” com a sua própria lista de efeitos secundários, na qual muitos investigadores incluem a doença de Alzheimer; assim como neomicina e deoxicolato de sódio – substâncias consi­deradas tóxicas para o sistema imunitário. O formaldeído, um químico que várias entidades – como a Agência Internacional para a Pesquisa sobre Cancro – classificaram como cancerígeno, está presente nestas quatro vacinas.

Fonte: http://grupolegio.blogspot.pt/2013/04/o-que-nos-metem-nas-veias_5578.html

Impressionante como o nosso corpo, que é o nosso maior amigo, é alvo de uma falta de respeito tão grande. Envenenamo-nos a pouco e pouco, porque se confia num sistema a quem nós demos o poder de governar as nossas vidas.

Postado por Isabel Pato

Fonte