Obstáculos ou Oportunidades?

Obstáculos ou Oportunidades?

Quando queremos vemos oportunidades, quando não queremos vemos obstáculos

Tudo o que possamos dizer para justificar a nossa inacção não passa de desculpas.

Podemos analisá-lo através das experiências que tivemos ao longo da nossa vida.

Cada um de nós passou por situações em que, tendo decidido, interiormente, que faria dada coisa, não deixou que nada se interpusesse no seu caminho, para alcançar o seu objectivo. E também temos situações em que dissemos que queríamos muito fazer tal coisa mas isso nunca passou do “queria muito”.

E qual foi a diferença entre essas duas situações? Porque é que na primeira conseguimos atingir o nosso objectivo e na segunda não?

É simples, na primeira nós queríamos.

Nem precisámos de grande esforço, foi até um desafio que nos deu “gozo”. A nossa decisão interior foi forte e ficou marcada na tela dos desejos do Universo, e foi fervorosamente posta em prática!

Pelo contrário, na segunda, não houve sequer uma decisão interior.

Vacilámos entre a dúvida, a preocupação, a indecisão. Focámo-nos nos entraves, nos obstáculos, etc.

Por outras palavras, não o queríamos realmente fazer!

Muitas vezes andamos atrás daquilo que não queremos.

Ou porque queremos mostrar aos outros que somos capazes, para que gostem de nós.

Ou porque queremos provar a nós mesmos de que não somos capazes, para de alguma forma justificar a inércia, e então arranjamos metas, objectivos, que não queremos na realidade alcançar.

É como que um certo hábito que criámos, uma resposta espontânea.

Mas seja qual for a razão, só precisamos ter consciência disso – que não o fizemos porque verdadeiramente não o quisemos – para que esse facto mude.

De nada adianta nos lamentarmos, ocupando espaço e tempo que pode ser usado para concretizar algo que realmente queremos. 

Elisabete Milheiro