Luz

Para que se possa fazer luz é preciso esclarecer que a depressão é uma doença de sentimentos e emoções; a pessoa que dela sofre vive um sentimento real e muito doloroso. Mas somente a recuperação pode trazer resultados maravilhosos. A Depressão é um grito de socorro.

TIREM-ME DAQUI”!

A saída da depressão não se obtém com químicos mas com um salto quântico ou transição para outra frequência da realidade. Por essa razão quando irrompe um incêndio no quarto do deprimido, a realidade é outra e a pessoa deixa a depressão.
Embora a indústria divida a depressão em dois grupos: Endógena e exógena ou reativa, não é propósito desta palestra defender qualquer tese apresentada até hoje. As teses defendidas ao longo das décadas, limitaram-se a fornecer explicações da doença, exibindo terapêuticas, que fechavam o utente num círculo vicioso “de pescadinha de rabo na boca”, esquecendo a sua verdadeira causa (o vazio espiritual), e a sua recuperação.
Se verificarmos chega-se à conclusão que a humanidade vive a maior e mais fascinante aventura da sua história. Tudo se altera a uma velocidade vertiginosa. Somos envolvidos diariamente com essa realidade; mas para usufruir desta maravilhosa aventura tem que abandonar os princípios enganadores com que fomos educados. O conceito de estabilidade, é sem dúvida a mentira mais enganadora e destrutiva com que se ludibriou o homem moderno. A ilusão da matéria e a “zona de conforto”, são a consequência disso. Impedindo assim o homem de hoje a surfar cada onda da vida com alegria e amor.
A depressão está diretamente imbuída no mundo ilusório da matéria que já não satisfaz o homem de hoje. Depressão ou “noite escura da alma”, advém da ilusão materialista dos sentidos. Fomos educados desde crianças a procurar a estabilidade, invalidando sonhos ,desejos e talentos; em troca dum falso conceito que somente existe na morte.
A vida é uma corrida de obstáculos e provas; transpor cada um com amor e alegria, é fazer da vida um fluxo em contínuo crescimento.

António Shiva