Extração de óleos vegetais

Todos os óleos vegetais provêm das sementes de plantas com flôr.

Antigamente, o óleo era removido simplesmente através de processos de torrefação e de esmagamento das sementes, permitindo que o óleo se elevasse acima da mistura. Este não era um processo muito eficiente, de maneira que veio a introduzir-se a prensagem a fim de extrair mais óleo.

O óleo de boa qualidade apresentado pelos grandes produtores pode ser simplesmente prensado, filtrado e engarrafado. Estes óleos guardam ainda a cor, o aroma, o sabor e o valor nutricional dos óleos naturais.

Há dois métodos para extrair óleo – a pressão e os solventes químicos.

A pressão é normalmente realizada com uma prensa. Para remover o máximo de óleo possível, a grande pressão usada desenvolve calor em excesso, que pode atingir os 3009 F ou mais. Este forte calor pode escurecer o óleo e modificar as proteínas contidas nas sementes. A temperaturas e pressões mais baixas, o óleo perde pouco do seu aroma ou do seu valor nutricional, todavia, 12-15% do óleo é deixado na mistura de sementes.

Na extração com solventes, o hexano é o químico mais utilizado (o hexano é um derivado do petróleo e é altamente volátil, inflamável e tóxico). O hexano infiltra-se por entre as sementes torradas e moídas para dissolver e extrair o óleo. A remoção do solvente também reduz os aromas naturais do óleo, por isso se usam os dois métodos combinados. Tanto os óleos obtidos pelo sistema de pressão como pelo de solvente encontram-se ainda no estado natural por refinar; estes são apenas métodos de extração.

Do livro: Manual Completo de Medicina Natural, de Marcia Starck

Postado por: Isabel Pato

Artigos relacionados

Holler Box

Pin It on Pinterest

Shares
Share This