Hidrogenação

Muitos óleos vegetais, incluindo a margarina, são hidrogenados. A hidrogenação é o passo seguinte após a refinação, em que se introduz hidrogénio gasoso no óleo líquido na presença de um catalisador metálico, normalmente o níquel ou o cádmio. Os iões de hidrogénio ligam-se então às moléculas do óleo, fazendo-as passar do estado líquido ao sólido. Algumas margarinas contêm pequenas quantidades de óleo polinsaturado líquido numa base hidrogenada, mas o grosso da gordura é saturada. Em Inglaterra, uma análise estatística recente mostrou uma correlação entre a incidência de doenças cardíacas e o consumo de gorduras hidrogenadas. Sempre que se verifica o emprego de margarina e gorduras vegetais, a taxa de ataques cardíacos era mais elevada. No sudeste dos Estados Unidos, sempre que o consumo de margarina é muito alto, a incidência de ataques cardíacos é também aumentada.

Há uma grande variedade de óleos e gorduras usados na produção da margarina comercial, em que a seleção dos essenciais é governada pelo seu preço (houve um ano em que se usaram quantidades imensas de banha de porco por ser mais barata que os óleos vegetais). A restante porção não gorda pode ser constituída por água, produtos lácteos ou soja moída.

As normas federais americanas permitem ainda uma variedade de químicos para atingir um odor e sabor do tipo da manteiga.

As margarinas de óleo vegetal que se encontram nas lojas de produtos naturais são feitas com ingredientes mais puros contendo menos químicos, e algumas delas não contêm sal. Uma vez que são feitas de óleos vegetais, podem ser melhores do que a manteiga por serem mais facilmente digeríveis e por formarem menos muco no organismo, mas não deixam de ser um produto hidrogenado. É preferível utilizar os próprios óleos não refinados.

OLEOS NÃO REFINADOS

Os óleos não refinados apresentam uma cor mais escura: acumulam sedimentos no fundo da garrafa, e as cores e sabores são mais fortes e distintas. A consideração mais importante a fazer na escolha de óleo não refinado é a sua estabilidade; os óleos não refinados tornam-se facilmente rançosos. O azeite e o óleo de sésamo são os mais estáveis, e contêm o mais baixo teor de polinsaturados. Ambos têm sido usados ao longo dos tempos, enquanto o óleo de açafrão e de soja (os dois mais instáveis), de milho, de girassol e de amendoim são invenções bastante recentes.

Do livro: Manual Completo de Medicina Natural, de Marcia Starck

Postado por: Isabel Pato

Artigos relacionados

Holler Box

Pin It on Pinterest

Shares
Share This