1.  Patologia: Tratamento das perturbações funcionais dos órgãos.
  2.  Veículos de transporte:  Prolina ; Glicerina; Álcool
  3.  Quantidades: Microgramas
  4.  Pai: Jacques Ménétrier

Durante os anos 30, o Dr. Jacques Ménétrier fez, pela primeira vez, uma abordagem diferente das doenças, tanto no campo do diagnóstico como no campo do seu tratamento. O Dr. Ménétrier defendia a tese de que as perturbações de saúde podiam ser ultrapassadas pelos dois motivos seguintes:

  • A carência quantitativa de oligoelementos podia ser ultrapassada pela ingestão dos alimentos.
  • A carência qualitativa, ou de ação, podia ser ultrapassada pela ingestão de apenas um oligoelemento específico, numa dose certa, que, por sua vez, reativaria a reação.

A sua forma de terapia está limitada à patologia funcional, não considerando as lesões celulares orgânicas.

Mas, mesmo assim, a sua importância é considerável, uma vez que a maior parte das lesões se produzem depois de longo período de perturbações funcionais. A posologia assenta em doses na base dos microgramas, utilizando, principalmente, a glicerina, a prolina e o álcool como veículos de transporte.

O seu diagnóstico baseia-se num conjunto de sintomas em determinado momento da vida, conjuntamente associados à natureza própria da constituição de um determinado indivíduo. São os comportamentos mórbidos ou funcionais que evoluem para doenças orgânicas.

Também pode acontecer um terreno sintomatológico misto na mesma pessoa.

Os cinco tipos de diáteses de Ménétrier

  1.  Diátese alérgica ou artrítica

Acontece particularmente na idade jovem. Os indivíduos não estão frequentemente doentes, mas, quando acontece, a sintomatologia é explosiva e muito violenta, provocando estados agudos. Reagem fortemente às agressões externas, quer sejam infecciosas, tóxicas ou psicológicas. Com a idade, este terreno tende a evoluir na direcção da diátese distónica ou neuroartrítica.
Características:
. Dores de cabeça, dificuldade em acordar de manhã, eczemas, carâcter optimista e hiperactivo, urticária, dificuldade em andar ou em caminhar, asma alérgica, colites direitas, náuseas matinais, reumatismo sem deformação.

2.   Diátese hiposténica ou artrotuberculose

É o terreno das pessoas que se fatigam facilmente e, à medida que o dia avança, vão sentindo mais cansaço, ficando angustiadas e pessimistas. A patologia é sempre de origem infecciosa com secreções crónicas. Todas as mucosas secretam anormalmente em frequência e em intensidade, o que corresponde à escrofulose e linfatismo da medicina antiga. É também a diátese típica encontrada em pediatria.

Características:
. Falta de confiança em si próprio, afecções rinofaríngeas frequentes e reincidentes, pessimismo, alternância de obstipação e diarreia, esgotamento pela tarde, friorentos (tiróide perturbada), urticária, menstruações irregulares, dolorosas e escassas, cefaleia, crianças com escoliose, cifose ou atraso na ossificação, asma, acne, eritema, psoríase.

3.    Diátese distónica ou neuro-artrítica
Esta diátese aparece com a idade madura, cerca dos 45/55 anos. Nesta altura, as disfunções neuro-hormonais e eliminatórias sâo acompanhadas de perturbações circulatórias veno-arteriais; digestivas (duodeno, vesícula biliar e pâncreas); e renais. O terreno começa a acumular sobrecargas tóxicas, dificultando a capacidade de eliminação, os tecidos são menos elásticos; os músculos menos tónicos e os vasos mais duros, provocando ureia, colesterol, ácido úrico, etc.

Características:

. Sono ligeiro, com dificuldade em adormecer, dores espasmódicas, angústia e depressão com perda de memória, formigueiros, dores cardíacas, obstipação, reumatismo deformante, dificuldades digestivas.

4.    Diátese anérgico
Esta diátese acompanha a evolução negativa das outras diáteses. Delimita as patologias funcionais das outras diáteses que estão a desenvolver-se pouco a pouco numa patologia lesional; sejam elas físicas, infecciosas, tóxicas ou psicológicas. As infecções, geralmente, são rebeldes e do tipo microbiano e viral.
Características:

. Envelhecimento acelerado, astenia profunda, infecções reincidentes, pensamentos de morte e suicídio, indiferença e falta de gosto pela vida, cistites de repetição, desgosto pela vida, demissão das responsabilidades, anginas, febres,sensação de que se foi vencido pela vida, sinusite, otites.

5.   Diátese da síndroma de desadaptação
Trata-se de uma síndroma do tipo endócrino em vez de uma diátese, pois não consiste apenas numa predisposição mórbida mas também é factor que determina a passagem a uma diátese patológica. Trata-se de uma síndroma de hipoglicemia provocada e agravada pelo stress. A desadaptação resulta de um desequilíbrio, quer hipófiso-supra-renal, quer gonádico. Esta síndroma pode ser observada em todas as idades.

Características:

. Cansaço súbito pela manhã, entre as 10.30 e as 11.30 horas, e ao fim da tarde, entre as 17.30 e as 18.30 horas, sonolência após as refeições e meteorismo, perda de apetite sexual, astenia psíquica cíclica, crises hipoglicémicas, depressões transitórias com perda de forças e de moral.

 

Fonte: Manual de Medicina Ortomolecular- Ana Paula Ivo
Postado por: Isabel Pato

Artigos relacionados

Pin It on Pinterest

Shares
Share This