O pólen de abelha, retirado das colmeias, é conhecido desde há muitos anos por várias das suas propriedades curativas. É usado em estados de constipação e alergias já que contém vitamina C e bioflavonoides (vitamina P) que intensifica a eficácia da vitamina C. Mais recentemente, o própolis uma substância resinosa que reveste as colmeias e que as abelhas recolhem das flores, caules e galhos, provou ser um forte agente curativo devido às suas propriedades antibióticas e antivirais.

O própolis tem uma cor castanha ou castanho-esverdeada e um aroma agradável a papoilas em botão, a mel e a baunilha. É usada para vedar as fendas na colmeia e para proteger as abelhas de infeções.

Quando outros insetos entram na colmeia e são mortos são envolvidos em própolis e cobertos de cera de abelha. Assim se conservam embalsamados sem se deteriorarem ou decomporem. Alguns cientistas estão a usar o mesmo princípio para imobilizar bactérias e vírus infeciosos.

Uma vez que o própolis é rico em bioflavonoides, é eficaz no tratamento de inflamações da garganta, perturbações respiratórias tensão alta, hemorragias e desordens femininas. Os bioflavonoides do própolis inibem as enzimas que produzem a prostaglandina causadora de febre e dores. Assim, atua como uma aspirina natural. Os bioflavonoides também estimulam os glóbulos brancos a produzir interferon, uma substância proteica natural que combate várias doenças. Além disso, o própolis é -a grande fonte de histamina e serotonina, substâncias necessárias no combate de alergias.

O própolis tem-se revelado eficaz em problemas periodontais ou na erosão das gengivas e outros tecidos. Os bioflavonoides bloqueiam a formação de prostaglandina que causa a decomposição. Isso diminui o sangramento.

Os bioflavonoides estimulam também a formação de enzimas para fortalecer as paredes dos vasos sanguíneos nas gengivas.

No instituto de Radiologia na Jugoslávia, os pacientes sofrendo de doenças causadas por radiação com danos graves do fígado foram tratados com própolis durante uma experiência, e os problemas de radiação diminuíram ou desapareceram. Na China, o própolis foi administrado a pacientes com hiperlipidemia, ou seja, gordura no sangue muito alta e após quatro semanas verificou-se um abaixamento. Áustria o Dr.Franz Feeks usou o própolis com resultados positivos no tratamento de úlceras e no tratamento de feridas e inflamações internas. Usou-o também localmente, aplicado com um pincel, para tratar herpes zoster. A dor desapareceu em 48 horas. No instituto Médico da Crimeia, os médicos aplicaram uma solução de própolis como pomada em mulheres que apresentavam erosão ou irritação no colo do útero e problemas vaginais. Em quatro ou cinco dias notou-se uma melhora. O própolis é também usado com sucesso por mulheres com dismenorreia.

De acordo com investigações, o própolis ativa a glândula do timo e, portanto, o sistema imunitário. O timo está situado na parte inferior do pescoço e consiste no desenvolvimento de linfócitos, os glóbulos brancos do sangue necessários à imunização contra a doença e a infeção. O própolis é ainda usado para curar doenças e manchas na pele, congestões nasais, problemas respiratórios, gripes e viroses.

Do livro: Manual Completo de Medicina Natural, de Marcia Starck

Postado por: Isabel Pato

Artigos relacionados

Holler Box

Pin It on Pinterest

Shares
Share This