Queijo, requeijão e iogurtes

Queijo e requeijão

O queijo é leite coalhado após a remoção da maior parte da água ou do soro. E um alimento altamente concentrado e pode tornar-se difícil de digerir, a não ser quando consumido em pequenas quantidades. O queijo de leite cru é mais fácil de digerir do que o queijo pasteurizado. Além disso, a maioria dos queijos pasteurizados contêm aditivos que lhes dão uma cor amarela ou alaranjada. Tradicionalmente, juntavam-se ao leite culturas de enzimas e bactérias para desenvolver um determinado aroma e carácter no queijo. Usava-se coalho para coagular a caseína numa massa sólida, que era processada em queijo de pasta dura. Nunca era submetido a processos de preservação químicos.

Hoje em dia, pode usar-se leite desnatado ou leite enriquecido com nata em vez de coalho. Muitas vezes junta-se sal, bem como cloreto de cálcio, para transformar o leite numa massa semissólida. Certos produtores de queijo no nosso país usam descolorantes, o que faz aumentar o teor de peróxido de hidrogénio e a catálase (uma enzima) no leite destinado a queijo. Outros usam peróxido de benzoílo ou outros ingredientes que impedem a formação de bolor, como o ácido sórbico ou os sais dele derivados.

Além de tudo isto, a casca do queijo é muitas vezes envolvida em cera e óleos vegetais que podem penetrar no próprio queijo. Encontram-se frequentemente nos queijos corantes vegetais, além de resíduos de pesticidas.

Se incluir queijo na dieta, deve tentar-se que ele seja feito de leite cru, envelhecido naturalmente, sem conservantes ou produtos químicos.

Mais uma vez, o queijo de cabra e de soja ou tofu são bons substitutos.

Iogurte e produtos de leite fermentado

A prática de criar produtos de leite fermentado como o iogurte, o soro e o kefir torna o leite mais fácil de digerir, conserva-o e impede o crescimento de bactérias indesejáveis. O método mais comum é pôr simplesmente o leite de parte e deixá-lo fermentar. Nos países balcânicos, especialmente na Bulgária, as bactérias locais produzem um leite fermentado bastante delicioso. A isto chama-se iogurte, e esta cultura especial junta-se ao leite nos EUA. O leite é fervido antes da cultura lhe ser acrescentada, isto destrói todas as bactérias que possam ser causa de doenças e inativa certas enzimas que tenderiam a matar a bactéria a acrescentar.

Durante o processo de fermentação, a lactase é decomposta em ácido láctico; por isso, os produtos de leite fermentado são mais facilmente suportados por aqueles que também não toleram o açúcar do leite. O crescimento de novas bactérias no leite durante o processo de fermentação pode também desenvolver uma variedade de bactérias benéficas ao trato intestinal

O iogurte comercial comporta a adição de várias formas de gelatina e gomas vegetais para o tornar mais espesso. Os iogurtes com sabor a fruta também têm açúcar e aromatizantes artificiais.

Do livro: Manual Completo de Medicina Natural, de Marcia Starck

Postado por: Isabel Pato

Artigos relacionados

Pin It on Pinterest

Shares
Share This