vitamina-b1Vitamina B1   

Acção

A maior parte da tiamina ou vitamina Bé fornecida pela alimentação e por microrganismos presentes no intestino grosso que a sintetizam.

Após ser absorvida pelo intestino é conduzida ao fígado, e daí segue para todas as partes do organismo, desempenhando as suas funções específicas e adequadas.

A maior concentração desta vitamina aparece no coração, rins, fígado e cérebro, no entanto, o organismo não tem capacidade para a armazenar em grandes quantidades, sendo o excedente eliminado pela urina. A vitamina B1  exerce a sua acção sobre o metabolismo dos açucares, que estão presentes em especial no pão, massas e arroz; é a sua intervenção nas reações de degradação que fornece a energia ao organismo.

Sinais de carência

As causas que mais frequentemente provocam hipovitaminose da vitamina B1 são os problemas relacionados com a absorção intestinal: as infecções intestinais; diarreia prolongada; sequelas de intervenção cirúrgica nas vias digestivas, o consumo excessivo de álcool; e, ainda, uma alimentação empobrecida à base de géneros submetidos a tratamentos industriais.

A carência vitamínica dá origem a uma manifestação patológica chamada beribéri, cujas alterações funcionais se dão na região gastrintestinal; na região cardíaca; no sistema nervoso; e no tecido muscular.

As manifestações sintomáticas caracterizam-se por cansaço; pela perda de apetite; pela perda de peso; por perturbações cardiovasculares com aumento do ritmo cardíaco, palpitações e sensação de sufoco; por perturbações neurológicas com cãibras musculares e perda de sensibilidade; pela ausência de reflexos tendinosos; e por atrofia muscular.

No entanto, a causa mais frequente de hipovitaminose, nomeadamente nos países europeus e nos Estados unidos da América, é o consumo excessivo de bebidas alcoólicas, que provoca manifestações do foro da neurologia, como é caso da encefalopatia de Wernicke e da síndroma de Korsakoff; a hipovitaminose leva, nestes casos, a um quadro sintomático de estado de confusão, incapacidade para memorizar, incapacidade de concentração, irritabilidade e depressão.

Isto porque o álcool interfere com a absorção vitamínica, quando as pessoas bebem muito e têm um regime pobre em alimentos satisfatórios sob o ponto de vista dietético, sendo então os danos causados ao fígado um entrave à utilização normal de vitamina por este órgão.

Toxicidade vitamínica – hipervitaminose

Não existe qualquer risco de toxicidade provocado pelo uso da vitamina.

Fontes de origem

  • Presunto
  • Fiambre
  • Chourição
  • Salsichas
  • Carne de porco
  • Carne de vitela
  • Fígado de vaca
  • Fígado de vitela
  • Fígado de bezerro
  • Galinha/frango .
  • Ovos – gema
  • Pão branco
  • Pão integral
  • Massas
  • Biscoitos
  • Flocos de aveia
  • Feijão seco
  • Ervilhas frescas
  • Ervilhas secas
  • Lentilhas
  • Levedura de cerve.ia
  • Alimentos lácteos
  • Cereais
  • Legumes
  • Melaço de cana.

Outras indicações terapêuticas

A vitamina Bé particularmente indicada para o tratamento ou profilaxia de nevrites, polinevrites; síndromas dolorosas; cardiopatias e manifestações psíquicas causadas pelo alcoolismo. Esta vitamina, mesmo quando administrada em altas doses, não produz efeitos hipervitamínicos, uma vez que os excessos são facilmente eliminados, em especial pela urina e pelas fezes.

Fontes de destruição

Meio alcalino, alguns métodos de cozedura.

Fonte: Manual de Medicina Ortomolecular- Ana Paula Ivo
Postado por: Isabel Pato

 

Artigos relacionados

Pin It on Pinterest

Shares
Share This