Ansiedade! Medo! Sofrimento! A fabricação de um “eu” doente.

Estou convicto que os psicólogos e psiquiatras da nova era não hesitarão em aceitar a ideia de que “O EU” seja a origem de todos os problemas e sofrimento humanos. Enquanto agarrados ao paradigma materialista/dualista, vamos construindo um “eu”, baseado na mentirosa ilusão da aparência. Esse “Eu” torcido e desfigurado, vai servir de bitola padrão com que nos avaliamos e avaliamos a vida o mundo e os outros. Essa visão falsa e superficial da realidade faz-nos sentir bem-sucedidos ou fracassados, reconhecidos ou ignorados, depende do “eu” que fabricamos. Sentir-se em estado de graça ou em sofrimento depende do aceitar e agradecer ou do negar e rejeitar.

Desmontar o “EU” do Sofrimento

   Se queres mesmo sair do “modo sofrimento”, precisas encarar a tua realidade e saber que a ansiedade (ou medo sem coisa) e toda a forma de sofrimento são algemas mentais fabricadas através de um “eu” imaturo (o rei bebé…, ou “EU” imaturo que se porta como uma criança mimada que faz birra no lugar mais impróprio quando não lhe é feita a vontade). Vive como que seja o “rei bebé” que habita no centro do mundo. Essa imaturidade enriquece a indústria da doença e é a fonte de rendimento dos seus agentes psicólogos e psiquiatras, que dentro do que sabem, fazem o melhor que podem para garantir e perpetuar a sua fonte de rendimento.

É urgente baixar os braços e deixar a luta, “birra infantil” e deixar que o crescimento aconteça naturalmente na nossa vida.

Como é que um ansioso encontra a serenidade?

  Será que é com drogas?…,

Todos sabemos que não… A droga simplesmente seda! Droga o indivíduo para que não sinta a vida. A droga apesar de receitada por uma entidade de poder, somente rouba a vida e desgraça o ansioso, empurrando-o para a toxicodependência.

Será que o ansioso encontra a paz interior com técnicas oferecidas pelos gurus new age?

Apesar de algumas técnicas simples, que serão ensinadas mais à frente, assim como técnicas de relaxamento ou mesmo de meditação, terem o poder de parar pensamentos obsessivos e ajudarem no momento; não levam o ansioso ao “reino dos céus”, que é nem mais nem menos que a paz interior.

Como é que a ansiedade (“já conhecida como a peste do novo milénio) pode dar lugar à serenidade?

Da mesma forma que ninguém aprende a nadar ou a surfar uma onda lendo um livro, ou fazendo um workshop quântico, ou um curso on line, também ninguém consegue a paz interior sem mudança de paradigma.

Como se muda o paradigma?

O mundo já mudou e homem moderno ainda é educado através do velho paradigma. Está é causa essencial do sofrimento. A humanidade vive num mundo quântico (espiritual), usando as ferramentas e leis de um mundo materialista/dualista. É como ligar o telemóvel à tomada de 220 volts sem transformador ou ligar um eletrodoméstico de 110 volts à corrente de 220.

Como fazer?

Para quem já se deixou possuir pela ansiedade, a melhor solução é pedir ajuda a quem saiba. Quanto mais tentar sozinho, mais se vai afundar chegando muitas vezes a becos de muito difícil saída (embora exista sempre uma solução para cada situação).