Como se Libertar da Dependência dos “Ansiolíticos”

Como se Libertar da Dependência dos “Ansiolíticos”

Nota: Este artigo não oferece aconselhamento médico, nem recomenda técnicas de tratamento para males físicos, emocionais sem conselho médico, direto ou indireto. O autor pretende apenas oferecer informações de natureza geral, úteis na busca de bem-estar físico, emocional, mental e espiritual. Nem o autor nem os colaboradores são responsáveis pelo uso das informações aqui apresentadas.


Como se Libertar da Dependência dos “Ansiolíticos”

O Elevado uso de tranquilizantes é “problema de saúde pública”

Portugal o Pais do XANAX e Brasil o pais do RIVROTIL.

O tenebroso mundo dos Sedativos Hipnóticos

Vou-lhe ensinar passo a passo como se libertar desta maldita prisão (os ansiolíticos) que fez do povo Português um povo Toxicodependente.

Esta é uma notícia  do Publico que pode ler na integra no site do Infarmed no link que deixo no final.

“Apesar dos alertas repetidos nos últimos anos, a utilização de medicamentos ansiolíticos, sedativos e hipnóticos continua muito elevada em Portugal. Tão elevada que, nas conclusões de estudo em que analisou o consumo dos psicofármacos em Portugal Continental entre 2000 a 2012, uma especialista da Autoridade Nacional do Medicamento (Infarmed) defende que este é “um importante problema de saúde pública””.

Por mais que se alerte, para este grave problema de saúde pública, que alastra como fogo em capim seco dia após dia, criando assim um mundo de toxicodependentes; fáceis de manipular, assegurando o poder da indústria de estupefacientes.

Muito existia para narrar desde os simples analgésicos de compra livre a muitos xaropes que levam na sua composição Benzodiazepinas, para que os “inocentes” utentes fiquem dependentes desta ou daquela marca. Tudo isto acontece a dezenas de anos, com o conhecimento de todos mas o medo do sistema, aterroriza qualquer um. Lembro as palavras do Dr. Ryke Geerd Hamer o pai da nova Medicina Alemã. “Assim como na Idade Média, a Igreja era a instituição mais poderosa do planeta. Era dela que os reis e rainhas recebiam o poder de governar e de onde também poderiam ser excomungados, caso os interesses da Igreja estivessem em risco. Assim também a indústria da Doença mantém o planeta sob controlo, através da constante imposição do medo”.

Por isso o melhor é estar-se quieto e irmos ao que é importante a liberdade da maldita droga que mantem no cativeiro famílias inteiras.

Como se encontra a Liberdade das drogas. Neste caso as Benzodiazepinas (vulgo Calmante)?

Para que possa libertar-se desta dependência. É preciso em primeiro lugar, saber como a droga funciona.

Ao contrário do que muitas vezes se tenta fazer crer as benzodiazepinas não podem passar por um processo de desmame. O desmame pode sim ser aconselhável, noutras substancia, ou no caso do utente não se encontrar dependente da substância. O que é pouco provável, se assim fosse, não precisaria da desintoxicação.

Embora não exista um estudo oficial para a desintoxicação do organismo de Benzodiazepinas, a minha experiencia em quinze anos, a resgatar homens e mulheres desta maldita prisão, concedeu-me experiencia, para ajudar qualquer um que queira libertação.

Antes de iniciar a desintoxicação é preciso saber como o processo se vai desenrolar. É preciso também saber que se está perante um adversário poderoso, e que de forma alguma o poderemos vencer se quisermos fazer braço de ferro com ele.

Ansiolíticos – uma droga dura

Depois de Aceitar a impotência em relação a droga eu vou ensinar como se proceder.

Precisa também saber como tudo vai acontecer. O processo de desintoxicação tem o seu pico as 72 horas. Por outras palavras as primeiras 72 horas ou 3 dias, é quando se chega ao pico da ansiedade. Começando a diminuir até que a droga sai-a definitivamente do organismo. Mas para que não sinta ansiedade nessa fase vai suplementar-se com um ou dois produtos naturais, que vão substituir a benzodiazepina. Deixando assim definitivamente, a droga de uma forma simples e sem sofrimento.

Como não existem duas pessoas iguais, e para melhor poder assegurar o sucesso da desintoxicação peço-lhe que me contate. Asseguro que todos os seus dados médicos e pessoais estão cobertos pela lei do sigilo e anonimato. Somente servem para o fim que se destinam.

Espero por si!

António Shiva

antonio@solucaoperfeita.com

http://www.rcmpharma.com/actualidade/medicamentos/21-02-14/infarmed-elevado-uso-de-tranquilizantes-e-problema-de-saude-public

GABA – o que é?

GABA – o que é?

GABA – Serenidade e Bem-Estar

O que é o GABA?

GABA (Gamma-AminoButyric Acid), é a sigla para o composto Ácido gama-aminobutírico.  Foi descoberto em 1950 como uma parte integrante do sistema nervoso central dos mamíferos.

O ácido gama-aminobutírico (GABA) é um aminoácido que ocorre no SNC em altas concentrações, e que desempenha uma função importante na bioquímica neuronal cerebral e nos fenómenos de regulação pós-sináptica e da neurotransmissão autonómica. O GABA ativa os fenómenos enzimáticos (transaminação, descarboxilação) do ciclo de Krebs.

O GABA é sintetizado a partir do glutamato utilizando a enzima L-ácido glutâmico descarboxilase e a Vitamnina B6 como cofator. Este processo converte o principal neurotransmissor excitatório (glutamato) num dos principais inibitório (GABA).

O GABA é o principal neurotransmissor inibidor no sistema nervoso central dos mamíferos. Ele desempenha um papel importante na regulação da excitabilidade neuronal ao longo de todo o sistema nervoso.

O GABA reduz o stress e ajuda o cérebro a se preparar melhor para o sono pela ativação de receptores do cérebro e nervos.

 

Desenvolvimento do Cérebro

O GABA regula a proliferação de células progenitoras neurais, a migração e diferenciação, o alongamento de neuritos e a formação de sinapses.

O GABA também regula o crescimento das células estaminais embrionárias e neurais. O GABA pode influenciar o desenvolvimento do cérebro através da expressão de células progenitoras neurais derivadas de fatores neurotróficos (BDNF).

 

Baixos Niveis de GABA no organismo

Níveis baixos de GABA podem levar a vários problemas de saúde como depressão, hipertensão, alterações de humor,  transtornos de pânico, ansiedade, baixo desejo sexual, dores de cabeça, palpitações cardíacas e até convulsões, epilepsia e doença de Parkinson.

 

Utilização Terapêutica do GABA

Estudos clínicos e experimentais empregando GABA demonstraram que este atravessa a barreira hematoencefálica e atua em nível central, modulando e moderando a excitabilidade sináptica neuronal.

A sua utilização terapêutica é semelhante a um sedativo, induz ao sono e diminui a ansiedade. O GABA pode substituir tranquilizantes químicos, tendo um efeito sedativo notório, ajudando a prevenir e a tratar o stress e a ansiedade.

Alguns estudos mostram que o uso de GABA (ácido gama amino butírico) tanto pode reduzir a hiperatividade, como beneficiar crianças com distúrbios de aprendizagem.

Fontes: http://solucaoperfeita.com/magnesio/gaba-o-que-e/