O significado original da palavra ansiedade é “estrangular, oprimir, sufocar”, de acordo com o termo grego anshein, o que traduz com clareza os sintomas apresentados pelas pessoas com algum tipo de Transtorno Ansioso.

Os Transtornos de Ansiedade envolvem diversos quadros da doença, cada um com suas características específicas. É importante delinear cada caso com precisão, saber exatamente em qual tipo de Transtorno Ansioso se encaixa, para garantir um prognóstico efetivo.

  • TRANSTORNO DE ANSIEDADE GENERALIZADA (TAG)

O Transtorno de Ansiedade Generalizada corresponde a um quadro onde os sentimentos de ansiedade, tensão e preocupação tomam proporções excessivas, e afetam o indivíduo continuamente, causando um intenso desgaste psíquico.

O estado permanente de angústia, apresentado nos casos de TAG, nem sempre é desencadeado por alguma razão, por vezes, nem mesmo o próprio indivíduo consegue identificar os motivos das suas preocupações.

SINTOMAS DE TAG

Quem convive com o Transtorno de Ansiedade Generalizada sofre com preocupações excessivas constantes, problemas para dormir, dificuldade de concentração, fadiga, irritabilidade, tensões musculares, medos irracionais, alterações de humor, transpiração excessiva, refluxo gástrico e falta de ar.

A Ansiedade Generalizada também está associada ao desenvolvimento de outros Transtornos Ansiosos como Pânico, comportamentos compulsivos e fobias como medo de falar em público, por exemplo.

O Transtorno de Ansiedade Generalizada é diagnosticado a partir da manifestação recorrente dos sintomas: quase todos os dias da semana durante, aproximadamente, seis meses, interferindo negativamente em quase todos os aspetos da vida, sejam eles profissionais, pessoais, amorosos, familiares e na própria saúde do indivíduo.

  • PÂNICO

O indivíduo com Transtorno do Pânico é acometido por sentimentos repentinos de angústia, desespero, sensação de catástrofe iminente, medo de morrer, medo de enlouquecer e perder o controle.

As crises de Pânico são súbitas, imprevisíveis, isso faz com que o indivíduo que sofre com essa desordem fique em constante estado de alerta e preocupação, sem saber quando e onde uma nova crise poderá acontecer.

SINTOMAS DE PÂNICO

Entre os sintomas presentes nos quadros de Transtorno do Pânico estão: falta de ar; taquicardia; tremores; calafrios; dor no peito; sudorese; vertigens; enjoo; medo da morte; incapacidade de se controlar.

Para que o Pânico seja diagnosticado, o indivíduo deve apresentar ao menos quatro dos sintomas citados acima, considerando que nas crises de Pânico, estes sintomas aparecem subitamente, e se instauram com alta intensidade em menos de dez minutos.

  • REAÇÃO AGUDA AO STRESS

 Trata-se de um quadro temporário, não crônico, acarretado pela exposição a situações altamente stressantes, que envolvam desgaste físico ou mental.

O desenvolvimento da Reação Aguda ao Stresse é comum em pessoas que sofreram algum tipo de violência, como assalto, assim como em casos de convivência contínua com situações estressantes, como lares violentos, insatisfação com o ambiente de trabalho ou problemas crónicos de saúde agravados.

Os sintomas desse quadro podem atenuar, e até desaparecer, após um curto período de tempo.

Por outro lado, existe o risco de que se transforme em um transtorno ansioso de maior gravidade, como Transtorno de Ansiedade Generalizada ou TEPT- Transtorno do Estresse Pós-Traumático.

SINTOMAS DA REAÇÃO AGUDA AO sTRESS

Os sintomas desse quadro incluem: ondas de calor, transpiração, taquicardia, desorientação e aturdimento, agitação, e até estados parciais de amnésia.

  • TRANSTORNO DE STRESS PÓS-TRAUMÁTICO

Este quadro se instaura em casos em que as pessoas vivenciam situações altamente stressantes angustiantes. Trata-se de um transtorno muito comum em ocorrências de sequestro, estupro, acidentes graves, perdas trágicas, guerras e desastres naturais.

O indivíduo com Stresse Pós-Traumático é acometido frequentemente por pensamentos intrusivos, ou pesadelos, que o levam a reviver o momento do trauma.

As lembranças surgem acompanhadas de sentimentos de ansiedade e angústia, semelhantes às sensações experimentadas na ocasião traumática.

Essas recordações torturantes fazem com que a vítima com TEPT apresente comportamentos de isolamento e evitação em relação a tudo que lembre o fato vivido, algumas pessoas evitam até mencionar o assunto, para não recordar.

Por exemplo, uma vítima de violência, como sequestro, assalto ou estupro, pode evitar sair de casa porque algumas pessoas na rua a fazem se lembrar do agressor, assim como se mantém dominada pelo medo de que o acontecimento se repita.

Uma pessoa que desenvolveu TEPT após um grave acidente de automóvel, pode ficar longos períodos sem conseguir entrar em um carro.

O Transtorno de Estresse Pós-Traumático acaba se tornando uma condição limitante, e deve ter o devido acompanhamento profissional, caso contrário pode desenvolver ou agravar outros quadros de Transtornos Ansiosos, como casos específicos de fobia.

SINTOMAS DE TEPT

Os sintomas e complicações desse transtorno são:

  • Recordações constantes e intrusivas do evento traumático, acompanhadas de aflição intensa;
  • Comportamentos de esquiva e retraimento;
  • Desprazer e falta de vontade de viver (anedonia);
  • Insônia;
  • Estado contínuo de alerta (híper vigilância);
  • Comorbidade com outros Transtornos Ansiosos ou Depressão;
  • Ideação suicida.

 

  • TRANSTORNO OBSESSIVO COMPULSIVO

 Conhecido como TOC, o Transtorno Obsessivo Compulsivo é caracterizado pela recorrência de pensamentos intrusivos acompanhados de compulsões mentais ou comportamentais.

As compulsões são atos repetitivos, excessivos, que comprometem a vida funcional do indivíduo, já que consomem muito tempo. São rituais mentais ou comportamentais executados para diminuir a ansiedade provocada pelas obsessões.

As obsessões são representadas por pensamentos, ideias ou imagens indesejadas, que invadem a mente do indivíduo com TOC de forma súbita, causando intensa ansiedade e aflição. A pessoa é incapaz de controlar ou banir tais pensamentos obsessivos.

  • Exemplos de TOC

A prevalência do Transtorno Obsessivo Compulsivo é bem alta, a doença é mais comum do que parece e já acomete milhões de pessoas.

As obsessões mais comuns são relacionadas à limpeza, organização, medo de contaminação, dúvidas repetidas, impulsos de agressividade e pensamentos associados à sexualidade e religião.

As compulsões que se manifestam na maioria dos casos são:

  • Mania excessiva de limpeza;
  • Tomar banho ou lavar as mãos com frequência exagerada;
  • Averiguar diversas vezes se executou determinada ação, como trancar a porta, apagar o fogo, desligar interruptores;
  • Organizar o ambiente constantemente, respeitando ordem e simetria dos objetos;
  • Rituais mentais que reduzem a aflição causada por pensamentos inaceitáveis e obsessivos, como a ideia de machucar um filho, por exemplo.

 

  • AGORAFOBIA

Este é mais um dos tipos de Transtrnos de Ansiedade, e comumente está presente nos quadros de Pânico.

A Agorafobia é definida pelo medo e apreensão de andar na rua, sair sozinho, frequentar espaços abertos, lugares públicos.

O agorafóbico tem medo de se descontrolar em público, medo de ficar desamparado, de não ser socorrido caso precise, de não encontrar saída em situações de emergência.

Nos casos associados ao Pânico, o indivíduo se sente apreensivo com a possibilidade de apresentar crises em público e passar por constrangimentos.

FOBIAS

As fobias são Transtornos de Ansiedade caracterizados pelo medo incontrolável e limitante de determinada situação, objeto ou animal, como por exemplo:

  • Fobia social: medo de exposições públicas;
  • Claustrofobia: medo de espaços fechados;
  • Aracnofobia: medo de aranha.

Transtornos de Ansiedade → Saiba as causas, sintomas e tratamentos!