“É mais fácil ensinar um porco a assobiar do que ajudar quem não quer”

5/20

Temos consciência que muitas pessoas passam por dificuldades, com carência de meios materiais, com desequilíbrios emocionais e psíquicos, incapazes de superar problemas quotidianos. Essa realidade mostra total ignorância, em relação à vida e ao meio ambiente. São peixes fora de água. Na verdade, vida é crescimento; alegria; abundância!  Só facto de nascermos (virmos à vida), já implica abundância. Muitos experimentam a escassez, o medo, a angústia, por ignorância, porque não sabermos viver de acordo com a natureza.

Vida é prosperidade simplesmente…, vida não é pobreza; vida não é ataques de pânico; vida não é medo; vida não é sofrimento; Vida não é estabilidade; vida não xenofobia; vida não é depressão; Vida não é homicídio; Vida não é genocídio; vida não é suicídio; vida não é solidão; tudo isto é efeito da ignorância. Vida é fluxo constante de mudança e crescimento “realização”. Como fazer no deserto árido da ignorância?

Vida é abundância! E o caminho da pobreza até a riqueza é simples, mas não é fácil (é preciso querer, e vencer a inércia da preguiça, e sair da ignorância).  Vimos nos artigos anteriores que é mais fácil transformar uma crise numa bênção, do que sair da pobreza. Também ficou esclarecido no artigo anterior que não podemos separar a ignorância da pobreza. E que pobreza ignorância e ansiedade e doença, estão intimamente ligados. Tentar separar a ignorância da pobreza material, e da miséria existencial, em que cai um agoráfobo ou ansioso é tentar separar do sol a luz e o calor.

Como fazer? Antes de tudo, é, aceitar a nossa condição; e ganhar coragem para aceitar que nos encontramos cegos nas trevas da ignorância…, sempre, que não nos sentimos realizados e felizes. Quando alcançámos essa consciência, começamos a enxergar na escuridão e perdemos a estupidez de querer as coisas a nossa maneira, a inteligência inerente a todo ser humano fala mais alto e começamos a viver de acordo as leis da natureza, entrando-se no fluxo e processo da vida, sem medo, ansiedade ou miséria. Irradiando a nova frequência, que cria uma realidade pessoal e coletiva. Ter consciência que, tudo o que temos na vida – amigos, relacionamentos, carreira, dinheiro, saúde, emoções etc.,- é reflexo do que irradiamos, não do que sabemos ou conhecemos, libertando-nos da competitividade…, é preciso entrar no fluxo natural do sucesso.  Como é que tudo se processa? Como se muda a frequência que irradiamos? – É um processo simples em três andamentos conscientes.

Eu explico mais uma vez; então vamos lá com calma e jeito…, primeiro precisamos saber que existimos inseridos num mundo de infinitas possibilidades. Ponto final!

 Segundo…, se as possibilidades são infinitas…, já podemos escolher…, e decidir se queremos que seja o que parece…, ou escolher que seja outra coisa. Certo? Ok…, mas se não é o que parece, o que é? – O que é que queres que seja? Aqui quem decide em liberdade é o interveniente no acontecimento. E dependendo do que decide que seja, um determinado acontecimento… rejeita pela aparência (criando e irradiando uma frequência negativa de frustração, atraindo mais do que não quer, através da lei universal da atração); ou aceita como sendo o melhor não se deixando influenciar pela aparência (criando e irradiando uma frequência de amor e satisfação, atraído mais satisfação, através da mesma lei universal da atração). Estes são os três andamentos para subir a onda da realização.

Resumindo; por trás de um princípio supostamente simples esconde-se uma verdade transformadora: atraímos tudo aquilo a que dedicamos atenção…, assim perante um acontecimento…, se ficamos, seguros, confiantes e otimistas, atraímos coisas melhores, boas e gratificantes. Se estamos inseguros, desconfiados e receosos, atraímos mais motivos para continuarmos inseguros e medrosos.

A pergunta que mais se faz ao longo destes vinte artigos é; há na história conhecida da humanidade, uma época tão bela e grandiosa para viver?

É resposta é certamente bem clara, para todos. Mesmo para aqueles que ainda não despertaram totalmente.

Mas a verdade é também bem nua e crua…, apesar de vivermos na melhor versão de mundo (paraíso), nunca existiu tanta gente no inferno existencial, com dificuldades materiais, de toda a monta, com desequilíbrios emocionais e psíquicos, incapazes por si só, de lidar e superar as adversidades diárias.

Como é que isso pode acontecer, neste mundo maravilhoso? A resposta é simples. O mundo já mudou. Mas há ainda uma grande massa da humanidade (maioria), mergulhada na hipnose coletiva materialista dualista. São as legiões de ansiosos, pobres e doentes com desequilíbrios físicos emocionais e psíquicos. Perderam a identidade quando aderiram à massa, e caminham ao lado da vida, dentro da sua bolha, débeis e impotentes, lamentando-se, culpando-se e queixando-se dos fantasmas, que eles próprios criam. Sem sequer reparem que este mundo é um novo paraíso.

Vamos terminar por aqui…, lembra-te que a tua participação é sempre preciosa.

Obrigado

antonio@solucaoperfeita.com

António Teixeira Fernandes