“Faça-se luz”

Tudo é energia! Tudo é Deus! Tudo é criação!

O mundo já mudou e a humanidade desperta para a nova realidade a um bom ritmo.  A velha crença materialista/dualista torna-se, a cada dia que passa, mais obsoleta e a consciência coletiva está em expansão; mesmo que a maioria ainda não entenda que o mundo já mudou e continue a interpretar as mudanças como sendo más, rejeitando-as, o mundo e a humanidade caminham a um bom ritmo para o bem-estar comum (“a terra prometida”).

Em todas as épocas, as grandes mudanças foram acompanhadas por uma mudança de paradigma (a forma como se vê o universo e a criação (Deus)).

A humanidade neste momento dispõe da moderna mecânica quântica, que abrange o Todo (universo) e mostra de uma forma simples e clara o que mestres e místicos de todas as épocas trouxeram e tentaram mostrar à humanidade. Nessa altura as suas palavras foram mal-entendidas, a maioria das vezes, e até houve quem acabasse na cruz. Apesar de agora ainda existir uma grande confusão em relação à física quântica e o entendimento não ser muito diferente do que era no tempo dos mestres e místicos, temos algo que não existia na altura e que faz agora toda a diferença. A inteligência artificial, aliada à tecnologia de ponta, contida em 98% dos utensílios usados no mundo moderno. Estes factos não só comprovam a eficácia da física moderna, como englobam o ser humano na mecânica e funcionamento universal.

Antes de entrarmos na pedagogia da nova era, que concede o poder consciente ao ser humano de criar intencionalmente a realidade que deseja, em vez de por defeito criar o que não quer, temos que ter consciência que o ser humano é o único ser de todos os reinos da natureza dotado do poder divino, ou poder de criar. Com a expansão da consciência concedida pelo novo paradigma científico e sua utilização no quotidiano, certamente criaremos um mundo de paz, alegria e amor, em vez do medo, doença e sofrimento em que a humanidade está mergulhada.

Tudo começa na pessoa

Aparentemente ainda existe uma grande confusão (caos), quando se fala de quântica e os mais adormecidos não conseguem conceber como a ciência da nova era, ou tecnologia de ponta, que mudou a realidade do mundo, pode transformar o vazio existencial, ansiedade, doença e sofrimento em paz interior, alegria de viver… enfim felicidade…

Peço só que tenhas um pouco de paciência e que me acompanhes numa rápida visão, para que não tenhas a tentação de tentar perceber a mecânica quântica, com uma mente materialista/dualista. Seria a mesma coisa que tentar medir e pesar a energia (eletricidade) que usamos para alimentar os nossos eletrodomésticos ou a iluminação de nossas casas com uma balança ou uma fita métrica.

Então vamos lá. Mas porque é que os mestres que passaram por cá ao longo dos tempos não foram bem entendidos? Acontecia algo muito semelhante ao que acontece hoje com a física quântica. Tentar perceber a espiritualidade e unicidade através de um paradigma materialista dualista é impossível. Ou seja, quando mais tentamos perceber a mecânica quântica menos percebemos (como disse Santo Agostinho pai da teologia “quanto mais tento perceber Deus, menos percebo”).

Todos se recordam como o Mestre falou para Pedro às portas de Jerusalém, quando a multidão o aclamava com Hossanas. Pedro confrontou-o com a questão: “Mestre o que é que eu preciso para entrar no Reinos dos Céus”?

O Pedro queria saber o que precisava fazer para viver a plenitude da paz interior… enfim…, a felicidade.

Então vejamos…, o Pedro não tinha deixado tudo para seguir o mestre? Pedro não tinha acompanhado o mestre em todo o seu trajeto? Não tinha também ouvido as parábolas, assistido à transformação da água em vinho, ao renascimento de Lázaro, etc… etc… etc…? Pedro sentia a paz do mestre e isso fez com que deixasse tudo e o seguisse. Tentou perceber o mestre com o paradigma da época e nunca teve a “iluminação”, a paz interior que cria o paraíso exterior (por isso, Pedro logo que saiu do campo energético de seu mestre o negou!)

Na Física moderna e na “moderna” mecânica quântica é muito semelhante. Comprova-se em laboratório que tudo é onda e partícula simultaneamente (não há dualidade) …, que tudo que existe visível ou invisível é átomo. Também que os átomos nunca estão parados (deitando por terra a velha lei da dinâmica, base onde ainda se sustenta a ação no quotidiano de homens e mulheres treinados na luta (competitividade) que sempre acabam frustrados, doentes e infelizes) e que seu movimento é alterado através da ação de observar. Apesar de esta teoria provar o seu funcionamento prático com a 5G de telemóveis, inteligência artificial e um mundo de coisas maravilhosas, quando trazida para a nossa prática diária parece não funcionar, porquê?

Se pensarmos em qualquer área da nossa vida, desde a financeira, social, relacionamentos, educação, etc.  e se aplicarmos estes princípios quânticos, sentimos (em vez de percebermos) o que mestres e místicos de todas as épocas nos quiseram mostrar, veremos a realidade mudar. Então vejamos; se, por meio da observação, o ser humano (no ato de observar) é capaz de influenciar a realidade do microcosmo das partículas subatómicas, também seria possível alterar nossa realidade por meio do pensamento proativo.

 Quando a ciência moderna nos mostra sem sombra de qualquer dúvida que o nosso corpo é composto de átomos, assim como toda realidade que nos envolve visível ou invisível e que os pensamentos sentimentos e emoções também são átomos, tudo muda.

Perante este princípio é necessário responsabilizarmo-nos pela realidade que experimentamos e que tenhamos uma atitude proativa em relação a tudo que nos envolva.

Por onde começar?

Como fazer para deixar de alimentar a crescente onda de jovens desmotivados sem esperança no futuro? 

É indispensável que a mudança se inicie por pais, educadores e professores, através de uma pedagogia que cria e não tolhe.

Já sabemos que a nossa mente é capaz de alterar a nossa realidade e também sabemos que a nossa realidade é o resultado dos nossos pensamentos, sentimentos, emoções, palavras e ações, então não podemos continuar a pensar da mesma forma, se queremos que a realidade mude.

Não basta conhecer é preciso ser.

A realidade que experimentamos começa e termina em nós. Independentemente da situação que nos encontremos no momento, tudo pode mudar num estalar de dedos…, basta mudarmos a forma de pensar sobre nós e sobre tudo o que nos rodeia.

Um educador seja ele pai, mãe, instrutor, professor é responsável por nunca ter uma atitude de vítima, se quer ser admirado e respeitado pelos seus educandos. Só uma atitude de responsabilização pode despertar o entusiasmo e a alegria de viver de uma criança ou jovem que se prepara para a vida.

Antes de entrarmos nos próximos capítulos e entramos na mudança prática, vou fazer só mais um paralelo entre o que a ciência moderna ensina e o que ensinaram os mestres de todos os tempos, apesar das diferentes termologias.

A ciência moderna ensina que tudo o que existe é átomo. Outros afirmaram que tudo que existe é Tao; outros que tudo é Ki; outros que tudo é Shi; outros que tudo é Prama; outros energia vital; etc… etc… ou que tudo o que existe é Deus.

Na verdade, a ciência moderna de “moderna” pouco tem. Mas apesar de criar utensílios, há bem pouco tempo inimagináveis para o bem estar pessoal e coletivo disponibiliza-nos uma mecânica simples e clara que nos pode ajudar a transformar-nos em sábios mestres em vez de barulhentos palradores.

As nossas crianças nascem com um nível consciente muito elevado. Interpretam a realidade através a um nível diferente de um adulto, que na maioria ainda luta pela sobrevivência, interpretando a realidade através duma consciência tridimensional (um mundo de predador e vitima, em que todos os predadores são vítimas e todas as vítimas são predadores).

Pais, educadores, professores chegou a hora de despertar e responsabilizarmo-nos pela realidade que cada um de nós experimenta. Não há culpa nem culpados, vítimas ou predadores, cada um só vê o que consegue enxergar e todos fazemos o melhor que sabemos e podemos, dentro da realidade que experimentamos. 

A nossa realidade e o mundo não podem mudar, enquanto não mudarmos a nossa forma de nos vermos, de ver os outros, de ver o mundo; enfim, de ver a Deus.

Como é que um educador pode ter sucesso com os seus educandos, quando não se sente bem com ele próprio, não está satisfeito com a sua profissão e não se sente realizado e feliz?

A revelação

O segredo é abrir a mente ao novo (desconhecido) e boa vontade para entrar no fluxo. Só isso basta para que a mudança radical aconteça.

Nos próximos capítulos aprendes como transformar qualquer crise numa bênção com os princípios da mecânica quântica.

Convido-te a fazeres parte desta mudança de pedagogia… as tuas questões, sugestões e experiências são bem-vindas… Por favor não hesites, somos responsáveis por deixarmos um mundo melhor do que encontramos. Uma questão, sugestão ou experiência pode fazer toda a diferença.

Endereço para sugestões:

pedagogiadanovaera@solucaoperfeita.com

Pin It on Pinterest

Share This