Ossos e o Magnésio – Magnésio de A a Z

ossos

Os ossos são os elementos constitutivos do esqueleto, garantido a estrutura e a estabilidade do copo. Existem aproximadamente 18 nutrientes essenciais para ossos fortes e saudáveis, incluindo o magnésio. É um grande erro suplementar somente o cálcio quando se quer tratar ou prevenir a redução da densidade óssea.

Magnésio e o metabolismo ósseo

 Níveis adequados de magnésio são essenciais para a absorção e utilização do cálcio: o magnésio estimula a produção de calcitonina, uma hormona que ajuda a preservar a estrutura óssea e retira o cálcio excedente da circulação sanguínea e dos tecidos moles, fixando-o no osso. Sem o equilíbrio adequado entre magnésio e cálcio, em uma razão de um para um, o cálcio acaba depositando-se nos rins (podendo formar pedras), nas artérias coronárias (resultando em artérias obstruídas) e nas cartilagens das articulações, em vez de chegar aos ossos, onde mais precisamos. Quanto mais cálcio ingerir sem o efeito equilibrante do magnésio, mais sintomas de deficiência em magnésio e excesso de cálcio está sujeito a vivenciar.

Também suprime a ação de outra hormona ligada ao metabolismo ósseo, a paratormona, reduzindo a reabsorção óssea. O magnésio é necessário para converter a vitamina D inativa na sua forma ativa, o que ajuda a aumentar a absorção de cálcio. As reações enzimáticas necessárias para a formação do osso novo são magnésio dependentes.

Um artigo publicado em 1995, mostra que entre outras coisas, o magnésio regula o transporte de cálcio activo. Como resultado, tem havido um interesse crescente no papel do magnésio no metabolismo ósseo. Um grupo de mulheres na menopausa receberam magnésio para avaliar os efeitos deste sobre a densidade óssea. No final do estudo de dois anos, a terapia com magnésio parece ter prevenido fraturas e resultou num aumento significativo na densidade óssea.

Do Livro: Magnésio, o Sal da Vida

Relembramos que os resultados que partilhamos no nosso site são acerca do cloreto de magnésio P.A. em sais. Porquê Cloreto de magnésio P.A.? Porque daqui se extrai todas as formas de magnésio que o organismo humano usa nas infinitas ações químicas e biológicas. Outra forma não vai repor o equilíbrio, mas somente restaurar uma carência específica.
Como tomar o Cloreto de Magnésio PA?

Nota: A informação contida nesta página, não substitui a opinião de um técnico de saúde. Para um acompanhamento mais personalizado contacte as Terapias Online ou “Há sempre uma solução perfeita na Casa Escola António Shiva®

Pack de 5 Cloreto de Magnésio P.A. 100g + Oferta de 100g

Óleo de Magnésio

Loção Canforada

Como fazer Óleo de Magnésio

óleo de magnésio tem uma ação rápida e eficaz na reposição de magnésio a nível local, como por exemplo, os músculos ou as articulações. A aplicação de magnésio cria uma “saturação do tecido, ” e tem a capacidade de colocar o magnésio onde ele é mais necessário, diretamente a partir da circulação, onde pode atingir os tecidos do corpo em altas doses, sem perdas.

Combinado com a manipulação do tecido – que ocorre durante uma massagem – o sangue também é trazido para mais perto da superfície da pele, permitindo assim uma absorção mais rápida de magnésio para dentro das células. Além de ser um “analgésico” natural, o óleo de magnésio descalcifica os tecidos e atua sobre as afeções da pele, especialmente da celulite.

Quais são os efeitos do Óleo de Magnésio no nosso organismo?

  • Alivia dores e espasmos musculares, tremores e cãibras;
  • Auxilia o tratamento da artrite e da artrose;
  • Estimula o crescimento capilar;
  • Trata problemas de pele como celulite, acne…
  • Ajuda no processo de cicatrização (aplicação do Óleo de Magnésio diluído);
  • Descalcifica e relaxa os tecidos.

A aplicação do Óleo de Magnésio é suficiente para repor as carências de magnésio no organismo?

Não, a aplicação de Óleo de Magnésio irá levar a uma reposição local momentânea, mas é necessário assegurar que o organismo é fornecido regularmente com o magnésio. O nosso corpo necessita regularmente de magnésio para realizar as suas funções vitais, por isso é tão urgente a reposição via oral de magnésio. Para além disso, a deficiência em magnésio é tão grave, que o nosso organismo não possui os receptores necessários para a sua absorção. Uma aplicação local não é absorvida por todo o corpo e acaba por funcionar de forma limitada.

No seguinte vídeo é explicado como fazer óleo de magnésio e em quais são as suas utilizações.

Fonte: https://casaescolaantonioshiva.com/como-fazer-oleo-de-magnesio-workshop/

Lumbago e Magnésio – Magnésio de A a Z

lumbago

O que é o lumbago?

O lumbago é uma afeção do núcleo do disco intervertebral situado entre as duas últimas vértebras lombares. Manifesta-se quando um indivíduo, querendo levantar um objeto, sente bruscamente uma dor forte na região lombar, que o impede de se endireitar completamente. Associa-se-lhe então a rigidez lombar e o indivíduo desloca-se com grande dificuldade.

O magnésio e o lumbago

O magnésio é um excelente aliado da saúde dos músculos, tendões e ossos. Em primeiro lugar o seu efeito relaxante, permite uma maior flexibilidade muscular e evita os dolorosos espasmos musculares.

O magnésio é também fundamental para a formação do colagénio no nosso organismo. O colagénio é de suma importância para a constituição da cartilagem dos discos intervertebrais da coluna e para a formação da membrana que recobre os ossos nas articulações (periósteo).

A deficiência em magnésio causa um desequilíbrio no metabolismo do cálcio, fazendo com que este último, em vez de se fixar nos ossos, se deposite nos músculos, criando calcificações. Com o tempo estes depósitos de cálcio levarão a uma rigidez nos músculos, interferindo com a mobilidade do indivíduo, podendo provocar problemas na coluna vertebral.

Deficiência de magnésio e o corpo humano

É urgente repor a carência de magnésio, não só para evitar problemas ao nível da coluna, como é o caso do lumbago, mas também para permitir um equilíbrio de todo o organismo, uma vez que o magnésio é essencial para mais de 300 reações enzimáticas e desempenha um papel muito importante na saúde de todos os sistemas do corpo humano.

Do Livro: Magnésio, o Sal da Vida

Relembramos que os resultados que partilhamos no nosso site são acerca do cloreto de magnésio P.A. em sais. Porquê Cloreto de magnésio P.A.? Porque daqui se extrai todas as formas de magnésio que o organismo humano usa nas infinitas ações químicas e biológicas. Outra forma não vai repor o equilíbrio, mas somente restaurar uma carência específica.
Como tomar o Cloreto de Magnésio PA?

Nota: A informação contida nesta página, não substitui a opinião de um técnico de saúde. Para um acompanhamento mais personalizado contacte as Terapias Online ou “Há sempre uma solução perfeita na Casa Escola António Shiva®

Pack de 5 Cloreto de Magnésio P.A. 100g + Oferta de 100g

Óleo de Magnésio

Loção Canforada

Funções do Magnésio

O magnésio é principalmente encontrado na célula, agindo como um contraíon para o energeticamente rico ATP e para os ácidos nucleares. O magnésio é cofator em mais de 300 sistemas enzimáticos que regulam diversas reações bioquímicas no corpo, incluindo a síntese de proteínas, a transmissão muscular e nervosa, a transdução de sinal, o controlo da glucose no sangue e a regulação da pressão arterial.

Algumas enzimas dependentes de magnésio são a Na+/K+-ATPase, hexoquinase, creatinofosfoquinase, proteína quinase e ciclases. O magnésio é também necessário para as funções estruturais das proteínas, dos ácidos nucleicos e da mitocôndria. É necessário para a síntese de DNA e RNA e para produção aeróbica e anaeróbica de energia – fosforilação oxidativa e glicólise – seja indiretamente como parte do complexo magnésio-ATP ou diretamente como ativador enzimático.

O magnésio desempenha também um papel fundamental no transporte ativo de ions de cálcio e potássio através das membranas celulares, um processo que é importante na condução do impulso nervoso, na contração muscular, na vasoconstrição, e no ritmo cardíaco normal.

Como um antagonista natural do cálcio, acredita-se que o bloqueio dos canais receptores de N-metil-d-aspartato (NMDA) pelo magnésio seja de grande importância fisiológica. Além disso, o magnésio contribui para o desenvolvimento estrutural dos ossos e é necessário para a síntese da glutationa, que é dependente de trifosfato de adenosina, sendo a glutationa um dos mais importantes antioxidantes intra-celulares.

(…)

O magnésio é, para além do sódio, potássio e o cálcio, um eletrólito importante para o metabolismo humano. Cerca de 99% do total de magnésio no corpo está localizado nos ossos, nos músculos e tecido mole não muscular. Aproximadamente 50%-60% do magnésio reside como substituto superficial da hidroxiapatita mineral componente dos ossos. A maioria do magnésio remanescente está contido no músculo esquelético e nos tecidos moles. O conteúdo de magnésio dos ossos diminui com a idade, e o magnésio que é armazenado desta maneira não é completamente biodisponível durante a privação de magnésio.

(…)

Traduzido de: Gröber, U., Schmidt, J., & Kisters, K. (23 de Setembro de 2015). Magnesium in Prevention and Therapy.

Magnésio na Prevenção e Terapia – Introdução

O magnésio é o oitavo elemento mais comum na crosta terrestre e está maioritariamente ligado a depósitos minerais, como, por exemplo, o carbonato de magnésio e a dolomita.

A fonte mais abundante de magnésio é contudo a hidrosfera (oceanos, rios, etc). No oceano, a concentração de magnésio é de 55 mmol/L e no Mar Morto, como um exemplo extremo, a concentração de magnésio é de 198 mmol/L, tendo aumentado ao longo dos anos.

O magnésio é um eletrólito essencial para os organismos vivos e o quarto mineral mais abundante no corpo humano. Os seres humanos precisam consumir magnésio diariamente para prevenir a sua carência, mas como a sua dose diária recomendada varia, é difícil definir qual é a quantidade correta a ser ingerida diariamente. Baseando-nos nas diversas funções do magnésio no organismo humano, este desempenha um papel importante na prevenção e tratamento de diversas doenças.

Baixos níveis de magnésio têm sido associados com um grande número de doenças crónicas e inflamatórias tais como doença de Alzheimer, asma,  transtorno de déficit de atenção e hiperatividade, resistência à insulina, diabetes tipo 2, hipertensão, doenças cardiovasculares (por exemplo acidentes vasculares), enxaquecas e osteoporose.

Traduzido de: Gröber, U., Schmidt, J., & Kisters, K. (23 de Setembro de 2015). Magnesium in Prevention and Therapy.

Saiba mais sobre o magnésio:

Pin It on Pinterest