CANCRO

CANCRO

O cancro representa simultaneamente uma alteração da própria célula e um desvio considerável do mecanismo de reprodução de todo um grupo celular. Ver ainda a parte do corpo atingida pelo cancro e a sua utilidade, para ter mais informações sobre a mensagem particular.

 

Bloqueio emocional

Esta doença manifesta-se numa pessoa que sofreu uma ofensa importante na infância (com um ou os dois progenitores) e que a viveu no isolamento. As ofensas emocionais importantes que podem causar doenças graves são: rejeição, abandono, humilhação, traição ou injustiça. Certas pessoas podem mesmo viver várias dessas ofensas durante a infância. Geralmente, a pessoa que sofre de cancro é do género de querer de tal modo viver no amor que recalcou completamente, desde há muito, o rancor, o ressentimento ou o ódio que pode ter vivido em relação a um dos progenitores. Algumas até rejeitam Deus pelo que viveram ou vivem. Não se permitem reconhecer estes sentimentos, que se acumulam e aumentam
sempre que um incidente vem recordar-lhes a antiga ofensa. Um dia, quando a pessoa atinge o seu limite emocional, tudo estoira nela e surge o cancro. Este tanto pode manifestar-se após a pessoa ter finalmente resolvido o seu conflito, como durante o bloqueio.

 

Bloqueio mental

Se sofres de cancro, tens muito interesse em reconhecer que sofreste em jovem e permitires-te ser humano, isto é, teres o direito de querer mal a um ou outro dos teus progenitores, ou mesmo aos dois. É o facto de viver essas ofensas (sofrimentos) no isolamento que cria mais problemas. Possivelmente julgas que se conseguisses libertar-te deles, ficarias mais livre. Pelo contrário, a maior necessidade da tua alma e do teu coraçáo é
aproximares-te do amor verdadeiro. O meio por excelência é o perdão. Não te esqueças de que perdoar não quer apenas dizer deixar de querer mal aos outros. A maior dificuldade da pessoa atingida por cancro é perdoar a si mesma ter tido tais pensamentos de ódio ou ideias de vingança, ainda que inconscientes. Perdoa à criança que em ti existe, que sofreu em silêncio e viveu a raiva e o rancor, sem ter alguém para a apoiar e compreender. Deves deixar de pensar que o facto de querer mal a outra pessoa significa ser mau. Não é mau, é apenas humano. Sugiro que sigas as etapas do perdão, tal como descritas no final deste livro.

Do livro: Bourbeau L.  O teu corpo diz “ama-te”: A metafísica das doenças e do mal-estar.  Cascais: Pergaminho; 2002.

Nota:

A informação contida nesta página, não substitui a opinião de um técnico de saúde. Para um acompanhamento mais personalizado contacte as Terapias Online, ou, Questão ao Naturopata, ou,  A Saúde Quântica Responde, ou, “A Saúde Integral tem a Solução”.

 

Pin It on Pinterest

Share This

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Ao continuar a navegar no nosso site consente a utilização dos mesmos. Saiba mais sobre os cookies aqui

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close