loader image

CLORETO DE MAGNÉSIO P.A. – NUTRIENTE ESSENCIAL

O cloreto de magnésio PA é bastante eficaz contra asma, bronquite, pneumonia e enfisema, faringite, amigdalite, rouquidão, gripe, coqueluche, sarampo, rubéola, caxumba, escarlatina, envenenamento, gastrenterite, furúnculos, abscessos….

O primeiro pesquisador a investigar e a promover os efeitos antibióticos do magnésio foi um cirurgião francês, o Professor Pierre Delbet, MD, (nascido em La Ferté-Gaucher em 15 de Novembro de 1861 e falecido em 17 de Julho de 1957 na cidade de Paris).

Em 1915, trabalhando como médico durante a primeira guerra mundial, o Dr. Pierre foi à procura de uma solução para limpar as feridas dos soldados, porque ele descobriu que os antissépticos tradicionalmente utilizados nos tecidos danificados incentivavam as infecções em vez de eliminá-las.

Em todos os seus testes, a solução de cloreto de magnésio foi, de longe, a melhor. O Cloreto de Magnésio não somente era inofensivo para os tecidos, mas também aumentava a atividade dos leucócitos e a fagocitose, a destruição de micróbios.

Por acaso, descobriu que quando esta solução era tomada por via oral ou intravenosa, o cloreto parecia ser um remédio para outras doenças.

Ele acreditava que o cloreto aumentava a eficiência das células sanguíneas no combate às doenças, como escreveu em seu tratado “Política Preventiva do Cancro”, em 1926.

O Padre Ignácio Puig y Simón (Manresa, 1887 – Barcelona, 1961), Físico e Jesuíta, após ser transferido da Espanha para Buenos Aires, em 1936, fundou ali um Observatório de Física Cósmica onde podia dedicar-se aos seus projetos de Física, Química, Mineralogia e Geologia, além da Astronomia popular e do estudo da Estratosfera.

Nos seus estudos de Química e Mineralogia, descobriu os segredos e os benefícios do magnésio como nutriente essencial para o corpo humano, deixando registrado em livro as suas descobertas.

Outro Padre Jesuíta, Beno José Schorr, recebeu de presente num “Encontro dos Jesuítas Cientistas”, um pequeno livro dos anos 30, escrito pelo Padre Ignácio Puig que falava sobre o “Cloreto de Magnésio” e os seus poderes de cura e prevenção para artrites, artroses e diversas calcificações.

Tempos depois, já com mais de 60 anos e acometido de calcificações na coluna que o impediam até mesmo de deitar direito, resolveu seguir os ensinamentos do Padre Puig registrados no seu livro. Passou a utilizar o magnésio diluído em água e dez meses depois o seu corpo dobrava-se como uma cobra, como conta no seu livro “Um Remédio Incrível para um Mal Incurável e Outros Males”, publicado em 1985.

Segundo o Padre Puig e o Padre Beno, o magnésio tem mais de 300 funções no corpo humano. O cloreto não é um remédio, mas um elemento essencial que promove o equilíbrio mineral, melhora o desempenho dos órgãos e provoca o remanejamento do cálcio dos órgãos para os ossos, impedindo que exista a osteoporose.

Segundo o Professor da USP, José Luiz Aiello Ritto, o corpo humano contém cerca de 25 gramas de cloreto de magnésio distribuídos de forma desigual (ossos: 1g/kg; rins: 207mg/kg; músculos: 215mg/kg; coração: 175mg/kg; baço: 142mg/kg; cérebro: 140 mg/kg; testículos: 95mg/kg; pulmões: 74mg/kg).

“O magnésio atrai moléculas de água, liga-se a proteínas, aminoácidos, oxigênio e outros elementos. Quando ingerido é absorvido no intestino e enviado através da corrente sanguínea para seus tecidos-alvo, promovendo um conjunto de benefícios que hoje são demonstrados pela literatura científica, como auxiliar no controle da hipertensão, insuficiência cardíaca, AVC, enxaquecas e muitos outros”, afirma.

Benefícios do Magnésio

O cloreto de magnésio é bastante eficaz contra asma, bronquite, pneumonia e enfisema, faringite, amigdalite, rouquidão, gripe, coqueluche, sarampo, rubéola, caxumba, escarlatina, envenenamento, gastrenterite, furúnculos, abscessos, feridas infectadas, osteomielite, choque, tétano, herpes zoster, conjuntivite aguda e crônica, neurite ótica, doenças reumáticas, doenças alérgicas, crises epilépticas, dependência química e alcoolismo. Os níveis de magnésio são baixos nos alcoólatras, causando muitos dos seus problemas de saúde. Muitos dos sintomas da doença de Parkinson são superados com uma suplementação de magnésio, além de proporcionar a redução da rigidez muscular e óssea.

……………………………………………………………..

1 – DOSAGEM DO CLORETO DE MAGNÉSIO (PA)*: Normal

20 g (2 colheres sopa) em 1 litro de água filtrada.

……………………………………………………………..

* (PA) A sigla PA significa PARA ALIMENTAÇÃO.

Renato dias

Do livro: O LIVRO VERMELHO DA SAÚDE

Relembramos que os resultados que partilhamos no nosso site são acerca do cloreto de magnésio P.A. em sais. Porquê Cloreto de magnésio P.A.? Porque daqui se extrai todas as formas de magnésio que o organismo humano usa nas infinitas ações químicas e biológicas. Outra forma não vai repor o equilíbrio, mas somente restaurar uma carência específica.

Como tomar o Cloreto de Magnésio PA?

Nota: A informação contida nesta página, não substitui a opinião de um técnico de saúde. Para um acompanhamento mais personalizado contacte o Aconselhamento Online ou “Há sempre uma solução perfeita na Casa Escola António Shiva®

Registe-se para receber as nossas novidades no seu email.

Não enviamos spam! Leia a nossa política de privacidade para mais informações.