loader image

O que é o Magnésio? E como funciona no organismo?

Sem magnésio não poderíamos produzir energia, os nossos músculos estariam num estado permanente de contração, e não conseguiríamos ajustar os níveis de colesterol produzido e lançado na corrente sanguínea.

O Magnésio é o elemento central na clorofila e a base do início da vida no planeta. Íons de magnésio regulam mais de 300 reações bioquímicas no corpo através do seu papel como co-construtor de enzimas.

Os Íons também desempenham um papel vital nas reações que geram e utilizam ATP, a unidade fundamental de energia dentro das células do corpo.

Porque o magnésio tem tanta importância no funcionamento do nosso corpo?

O segredo é de como ele funciona dentro das células, sendo até agora objeto de estudo intenso por centenas de cientistas no mundo inteiro. Uma explicação adequada sobre o funcionamento do magnésio foi encontrada pelo Padre Beno:

“Todos nós nascemos de uma única célula, que se multiplica até a idade adulta em cerca de 100 trilhões de células de todos os tipos, que nos fornecem calor e energia. Cada célula tem no seu interior um pequeno núcleo, tido como sede da vida e com toda a programação da primeira célula. O núcleo consiste de um enorme conjunto de átomos em forma de rede espiralada, onde aqui e ali existe um átomo de magnésio, tipo borrachinha.” Este é o grande segredo!” Tais células são flexíveis e ativas, como todo o corpo. Se faltar magnésio na formação dessas células, ocorre uma invasão de cálcio, tipo pedrinhas, e tais células vão perdendo sua flexibilidade e atividade, e todo o corpo endurece e envelhece. Por isso, o cálcio é o grande vilão em 80% das doenças como calcificações, artrites, dores ciáticas, cancro, enfartos e mais umas seis mil doenças que causam dor e matam”.

Sabe aquele grande segredo da borrachinha? A célula era flexível e ficou dura por causa do cálcio. Basta devolver às células o magnésio que falta e ele vai direto aos núcleos da célula e chuta as bolinhas do cálcio invasor. Assim, o corpo endurecido pelo cálcio volta a ser flexível e ativo, pois o magnésio restaura as células e limpa as veias, artérias e até aqueles pequeninos vasos sanguíneos dentro do cérebro onde ocorrem os AVCs.

O magnésio é o segundo elemento mais abundante dentro das células humanas, sendo o cloreto de magnésio (PA)* a melhor forma de absorção pelo corpo, por ser solúvel em água.

O corpo necessita de magnésio para absorver e utilizar os nutrientes. Sem ele, o corpo não consegue utilizar adequadamente as gorduras, proteínas e carboidratos que, todos os dias, consumimos como alimentos.

Activando centenas de enzimas no organismo, o magnésio ajuda a obter o máximo de nutrientes do alimento, fazendo com que o corpo fique satisfeito e saciado com a porção de alimento consumido. Quando os alimentos são pobres em nutrientes, o corpo implora por mais comida, num esforço para obter mais nutrientes vitais.

A desordem metabólica ocorre em função deste excesso de alimentos pobres em nutrientes, provocando uma redução nas actividades do intestino delgado e reduzindo a produção das hormonas que produzem a insulina no pâncreas.

Vários estudos têm mostrado que, quanto menor o consumo de magnésio, maior o risco de se desenvolver um quadro de diabetes. Condições como a resistência à insulina e diabetes estão fortemente associadas com a obesidade, que se liga ao estado anterior de uma alimentação sem os nutrientes de que o corpo necessita.

Ou seja: se faltar magnésio o corpo vai produzir menos insulina; os alimentos, em sua maioria, serão transformados em açúcar; como falta insulina, o açúcar será depositado na corrente sanguínea; para não haver um colapso do corpo, o açúcar será transformado em gordura pelo fígado e armazenada em várias partes do corpo.

Os alimentos ricos em magnésio

Frutas: abacate, banana e uva.

Verduras: beterraba, quiabo, batata, espinafre e couve.

Grãos e derivados: granola, aveia, farelo de milho, de arroz e gérmen de trigo.

Nozes e Sementes: girassol, gergelim, amendoim e castanhas.

Outros alimentos: soja, peixes, grão de bico.

São encontrados cerca de 30 mg de magnésio em 100 g destes alimentos, no entanto, o nosso corpo, para ter um bom funcionamento, precisa de um consumo diário de 400 mg de magnésio, sendo então necessário fazer uma suplementação.

Esses valores de magnésio estão muito abaixo do normal nos alimentos, pelo fato de nosso solo estar pobre deste nutriente e de vários outros, depois que a adubação passou a ser feita com produtos de base NPK (Nitrogênio, Fósforo e Potássio).

A falta de magnésio no organismo provoca vários sintomas tais como:

• Alterações do sistema nervoso como depressão, tremores e insónia;

• Insuficiência cardíaca;

• Osteoporose, calcificações da coluna e articulações;

• Pressão alta;

• Diabetes mellitus;

• Tensão pré-menstrual – TPM;

• Câimbras;

• Falta de apetite ou descontrole alimentar;

• Falta de memória.

Existem alguns medicamentos que provocam uma baixa concentração de magnésio no sangue, obrigando o organismo a retirar de várias partes do corpo o magnésio que é necessário no sangue, são eles: ciclosserina, furosemida, tiazidas, hidroclorotiazidas, tetraciclinas e os contraceptivos orais.

……………………………………………………………..

1 – DOSAGEM DO CLORETO DE MAGNÉSIO (PA)*: Normal

20 g (2 colheres sopa) em 1 litro de água filtrada.

……………………………………………………………..

* (PA) A sigla PA significa PARA ALIMENTAÇÃO

Renato dias

Do livro: O LIVRO VERMELHO DA SAÚDE

Relembramos que os resultados que partilhamos no nosso site são acerca do cloreto de magnésio P.A. em sais. Porquê Cloreto de magnésio P.A.? Porque daqui se extrai todas as formas de magnésio que o organismo humano usa nas infinitas ações químicas e biológicas. Outra forma não vai repor o equilíbrio, mas somente restaurar uma carência específica.

Como tomar o Cloreto de Magnésio PA?

Nota: A informação contida nesta página, não substitui a opinião de um técnico de saúde. Para um acompanhamento mais personalizado contacte o Aconselhamento Online ou “Há sempre uma solução perfeita na Casa Escola António Shiva®

Registe-se para receber as nossas novidades no seu email.

Não enviamos spam! Leia a nossa política de privacidade para mais informações.