Constituições metabólicas e dieta

Nas observações que diariamente fazemos das pessoas, descobrimos variados tipos físicos – aqueles cujo corpo é alto e magro, outros que são mais baixos ou pesados, alguns cuja compleição é rosada, outros que são pálidos ou amarelados. Vemos também aqueles que são nervosos, tensos e magros bem como aqueles que são mais descontraídos e têm uma estrutura mais pesada. Todas estas qualidades são devidas ao metabolismo individual.

O metabolismo é a função que mantém a vida; é a troca total de energia com o ambiente, uma troca que envolve alimentos, água, ar, luz e calor. A maneira de usar estas matérias-primas na manutenção da vida
é que difere de pessoa para pessoa.

Na medicina e fisiologia ocidentais, falamos de constituições metabólicas que são determinadas pelo domínio dos sistemas nervosos simpático ou parassimpático. O domínio simpático caracteriza indivíduos orientados para a acção, hiperactivos, tensos e magros. Muitas vezes têm problemas de obstipação; secura em redor da boca, olhos e nariz; extremidades frias; e esgotamento adrenalínico. Os parassimpáticos tendem a ser mais lentos e menos activos, adormecem mais facilmente, têm frequentemente uma compleição rosada e confiam mais na intuição do que na razão. O domínio simpático é caracterizado por uma oxidação e digestão lentas porque muitos dos impulsos nervosos vão para as glândulas de produção de energia. O domínio parassimpático, por outro lado, tem oxidações e digestões mais rápidas; estes indivíduos são propensos a diarreias, a problemas de estômago e intestinais e as baixas concentrações de açúcar no sangue por metabolizarem tão rapidamente.

Na medicina ayurvédica, o antigo sistema de cura hindu, os indivíduos são classificados segundo o dosha ou elemento predominante – Vata, ou Ar, Pitta, ou Fogo, Kapha, ou Agua. Os tipos Vata são muito mentais, tedem a ser magros e vigorosos, e muitas vezes têm problemas de obstipação e de digestão; oxidam bastante lentamente. Os tipos Pitta são impetuosos, activos e enérgicos, produtores de grande quantidade de bílis e decompõem os alimentos com facilidade; oxidam rapidamente e são propensos para a diarreia e problemas digestivos relacionados com o fígado. Os tipos Kapha são mais emocionais, movem-se lentamente normalmente mais pesados devido a um excesso de água que retêm organismo; oxidam muito lentamente.

Os vários tipos que resultam do domínio simpático ou parassimpático foram organizados num sistema de dez Tipos Metabólicos  pelo Dr. William Donald Kelley, um dentista que se curou a si próprio de um cancro no fígado e no pâncreas (ver One Answer to Cancer, The Kelley Foundation, 1974). Kelley descobriu que a dieta e os suplementos que o tinham ajudado não funcionavam para a sua mulher quando esta adoeceu com cancro. Ao pensar numa dieta totalmente diferente para ela, Kelley teve a  ideia que o levou a investigar estes dois ramos do sistema nervoso autónomo.

O sistema nervoso autónomo que regula o metabolismo controla involuntariamente certas acções metabólicas como os batimentos cardiacos e a digestão. O Dr. Kelley descobriu que a maior parte das pessoas são neurologicamente influenciadas com mais intensidade quer pelo ramo «acelerador» (simpático) quer pelo ramo «desacelerador» (parassimpatico) do  sistema nervoso autónomo. Algumas pessoas podem ser saudaveis com estímulos nervosos «aceleradores» ou «desaceleradores», enquanto outras podem ser do mesmo modo saudáveis com estímulos «equilibrados».

Continua

Pin It on Pinterest

Shares
Share This