Cerca de 70% do magnésio presente no organismo está localizado nos ossos juntamente com o cálcio e o fósforo, enquanto que só 30% se encontra nos tecidos moles e nos fluidos orgânicos. O magnésio é importante na ativação de enzimas necessárias ao metabolismo de hidratos de carbono e aminoácidos.

Equilibra o efeito de cálcio, mediante o desempenho de um importante papel nas contracções neuromusculares. Ajuda a regular o equilíbrio ácido-alcalino do organismo e promove a absorção de outros minerais, como o cálcio,o fósforo , o sódio e o potássio.

O magnésio possibilita a utilização das vitaminas do complexo B e das vitaminas C e E. Tem muita importância para o bom funcionamento de nervos e músculos, especialmente do músculo cardíaco.

O equilíbrio entre o cálcio e o magnésio é muito importante. Se o consumo de magnésio é muito importante. Se o consumo de cálcio for elevado, o de magnésio também precisa de o ser. As quantidades de proteína, fósforo e vitamina D também influenciam as necessidades de magnésio. Estas podem aumentar quando os níveis de colesterol no sangue são elevados e quando o consumo de proteína é elevado.

O magnésio é importante no controlo do modo como as cargas eléctricas são utilizadas pelo organismo para induzirem a passagem de nutrientes para dentro e fora das células. É vital na prevenção de ataques cardíacos e de tromboses coronárias. Também provou ser benéfico no tratamento de desordens neuromusculares, nervosismo, acessos de cólera e tremura das mãos. É usado no controlo de convulsões em pacientes epilépticos.

O magnésio, mais do que o cálcio, forma o género de esmalte duro dos dentes que resiste à cárie. Independentemente da quantidade de cálcio que se ingira, só se construirá um esmalte muito brando, a não ser
que o magnésio esteja presente. Este ajuda igualmente a prevenir a acumulação de depósitos de cálcio no trato urinário ao tornar o cálcio e o fósforo solúveis na urina e impedindo-os de se transformarem em pedra.

Os sintomas da deficiência de magnésio incluem a ansiedade, a confusão, contrações musculares, tremores e espasmos. A deficiência de magnésio está também relacionada com doenças das coronárias. Um suplemento inadequado pode resultar na formação de coágulo no coração e no cérebro e pode contribuir para a formação de depósitos de cálcio nos rins, no sangue, nas artérias e no coração.

Um dos primeiros passos a dar no tratamento de deficiências de magnésio, especialmente nas crianças, é eliminar o leite da dieta. O leite contém quantidades elevadas de calciferol, um tipo de vitamina D sintética, que se liga ao magnésio e o faz sai do organismo.

O magnésio encontra-se em quantidades enormes nas folha de vegetais verdes, visto ser um dos componentes essenciais de clorofila (tem a mesma relação coma a clorofila que o ferro tem com a hemoglobina). Encontra-se também nas oleaginosas e sementes ricas em óleo, especialmente as avelãs, a amêndoa e o caju. As ervas como a alfafa, a borragem e as folhas de framboesa contêm quantidades significativas de magnésio.

Marcia Starck – Manual de medicina natural

Saiba mais sobre o cloreto de magnésio PA: https://solucaoperfeita.com/magnesio/

 

Pin It on Pinterest

Shares
Share This