O potássio e o sódio são alcalinos; têm uma única carga elétrica em vez de duas cargas como muitos outros minerais.

Por isso, movem-se fácil­ mente em soluções, especialmente na água.

O potássio tende a concen­trar-se dentro da célula, enquanto o sódio surge em grandes quantida­des no fluido que rodeia as células.

O sódio encontra-se nas águas à superfície da Terra, enquanto o potássio se concentra dentro das plantas.
O potássio e o sódio ajudam a regular o equilíbrio de água no organis­mo; eles verificam a distribuição de fluidos de cada lado das membranas celulares.

O potássio é necessário para preservar a adequada alcalinida­de dos fluidos orgânicos. Favorece a conversão da glucose e do glicogénio (a forma como a glucose é armazenada no fígado). Estimula os rins a eliminarem toxinas e resíduos orgânicos.

O potássio é igualmente importante na manutenção da pele. Com o sódio, normaliza o ritmo cardíaco e alimenta o sistema muscular. Ligado com o fósforo, envia oxigénio para o cérebro e atua com o cálcio na regulação da atividade neuromuscular.
O potássio é absorvido no Intestino delgado. É eliminado através da urina e da respiração. A aldosterona uma hormona adrenal, estimula a excreção do potássio.

O uso excessivo de sal esgota a conservação de potássio no organismo. O potássio também pode desaparecer em condições de diarreia prolongada, vómitos, excesso de sudação e perda de líquidos Contrariamente à teoria da perda de sódio através da sudação excessiva e da sua substituição com pastilhas de sal, na verdade, é o potássio que é perdido.

Testei vários indivíduos que se tinham submetido durante vários dias a processos de sudação nas Native American Sweat Lodges. e o úni­co nutriente em que apresentavam deficiências era o potássio.

Tanto o álcool como o café aumentam a excreção de potássio; uma grande ingestão de açúcar também aumenta a eliminação de potássio. Um baixo nível de açúcar no sangue constitui uma condição de ‘stress’ que força as glândulas suprarrenais, provocando perdas adicionais de potássio através da urina, enquanto a água e o sal são retidos nos tecidos.

É necessário um ade­quado fornecimento de magnésio para reter o potássio armazenado nas células.
O potássio é usado para tratar casos de tensão arterial elevada causa­ da por uma ingestão excessiva de sódio

As injeções de cloreto de potás­sio são usadas para tratar cólicas em crianças. O cloreto de potássio é igualmente eficaz no tratamento de alergias.

A administração de potássio a pacientes diabéticos faz reduzir a tensão arterial e os níveis de açúcar no sangue19.
Os sintomas de deficiência de potássio podem incluir desordens de ori­gem nervosa, insónia, obstipação, ritmo cardíaco baixo, irregular e proble­mas musculares, além de acne e condições de pele seca.

Quando uma deficiência de potássio prejudica o metabolismo da glucose, deixa de haver energia disponível para os músculos, e estes podem ficar paralisados As crianças com problemas de diarreia podem apresentar uma deficiência de potássio devido à passagem do conteúdo intestinal ser tão rápida, causando assim uma menor absorção de potássio. Os pacientes diabéticos são muitas vezes deficientes em potássio tal como aqueles que tomam drogas à base de hormonas, como a cortisona e a aldosterona, que causam a retenção de sódio.

As fontes alimentares ricas em potássio incluem a batata, a banana, o amendoim e as folhas de vegetais verdes. Verduras como tanchagem e a alfafa são igualmente ricas em potássio.

Marcia Starck – Manual de medicina natural

 

Pin It on Pinterest

Shares
Share This