Vitamina B-3 (Niacina)

A niacina é uma vitamina importante para uma boa atividade do sistema nervoso e é eficaz na melhoria da circulação e na redução do nível de colesterol no sangue. A niacina também auxilia as enzimas na decomposição e utilização de proteínas, gorduras e hidratos de carbono.

A niacina tem sido usada em grandes doses com sucesso no tratamento de pacientes psiquiátricos e certas desordens como o elevado colesterol no sangue e os depósitos de colesterol na pele. As doses elevadas também prolongam o período de coagulação do sangue, que pode ser útil no tratamento de ataques cardíacos e tromboses. A niacina é usada no tratamento da doença de Meniére (vertigens) e em alguns casos de surdez.

A acne é igualmente tratada com sucesso com vitamina B-3.

Os sintomas de deficiência de niacina começam com fraqueza muscular, fadiga, perda de apetite, indigestão, erupções cutâneas, irritabilidade, tensão e depressão. Uma grave deficiência de niacina resulta em pelagra, que é caracterizada por diarreia, perturbações digestivas, lesões cutâneas e úlceras gangrenosas, vermelhidão cutânea, pele seca e áspera (o nome italiano pellagra significa «pele áspera»), para além de ansiedade, tremores e outras perturbações nervosas.

A pelagra ocorreu no sudeste dos Estados Unidos e noutros países em que o milho era o principal cereal constituinte da alimentação. Nem todo o milho é tão pobre em niacina, mas o que é importante é o modo como ele é preparado. Os índios americanos preparavam o milho demolhando-o em água na qual se dissolviam cinzas previamente. Esta água de cinzas amolecia a parte externa do grão e tornava a niacina acessível à absorção intestinal.

Por vezes, o grão era triturado e misturado com água de cinzas; este processo não só libertava a niacina mas também aumentava sais minerais provenientes das cinzas. Um costume semelhante existe no México, onde se junta água de cal ao milho para o amolecer e o transformar numa matéria pastosa.

Há três formas sintéticas de niacina – niacinamida, ácido nicotínico e nicotinamida. A niacinamida é por vezes usada como suplemento já que não causa vermelhidão na pele como a niacina. Todavia, deve haver muito cuidado no uso de qualquer destas formas, pois é sabido que o excesso de niacina causa depressão profunda e problemas de fígado.

Os alimentos contêm pequenas quantidades de niacina pura, mas muitos deles contêm triptofanio, um aminoácido que pode ser convertido em niacina pelo organismo. O farelo de arroz, o arroz polido, o germe de trigo, os amendoins, as carnes magras, as aves de criação, o peixe e os cereais integrais são ricos tanto em niacina como em triptofanio.

 

Do livro: Manual Completo de Medicina Natural, de Marcia Starck

Postado por: Isabel Pato

Artigos relacionados

Holler Box

Pin It on Pinterest

Shares
Share This