A vitamina F é uma vitamina lipossolúvel constituída pelos três ácidos gordos essenciais- linoleico, linolénico e araquidónico.

O organismo não é capaz de produzir esses AGE( ácidos gordos essenciais), tendo assim de ser obtidos através dos alimentos.

Os AGEs facilitam o transporte de óxigenio a todas as células, tecidos e órgãos: ajuda a lubrificar as células, a regular a velocidade de coagulação do sangue e a decompor o colesterol depositado nas paredes arteriais.

Estes ácidos gordos insaturados actuam juntamente com a vitamina D para colocar o cálcio ao dispor dos tecidos, favorecendo a assimilação de fósforo e estimulando a conversão de caroteno em vitamina A.
A existência de um equilíbrio entre ácidos gordos insaturados e saturados na proporção de 2 para 1 é benefício para a saúde do coração e do sistema arterial.

Um maior consumo de alimentos com manteiga, natas, queijo, leite e hidratos de carbono aumenta a necessidade de ácidos gordos insaturados.

Quando existe suficiente ácido linoleico na dieta, os outros dois ácidos gordos essenciais podem ser sintetizados a partir dele.

A fim de obter benefício total da vitamina F, devem incluir-se na dieta quantidades adequadas a vitamina E.
As deficiências da vitamina F podem ser responsáveis por um cabelo seco e quebradiço, caspa, eczema,acne, pele seca, bem como doenças do foro cardíaco, do aparelho circulatório, e dos rins associados a um metabolismo defeituoso das gorduras.

A vitamina F é usada na prevenção de doenças cardíacas: mantém o colesterol fluído e impede-o de formar
depósitos duros ao longo dos vasos sanguíneos ou sob a pele.

As fontes naturais de vitamina F incluem a lecitina, os óleos vegetais de açafrão, soja e milho, o germe de trigo e os óleos de sementes e de fígado de peixe.

In “Manual Completo de Medicina Natural” – Marcia Stark

Pin It on Pinterest

Shares
Share This